quarta-feira, setembro 02, 2009

Amantes


O amor evolui em fases, mas nenhuma delas é fácil. Quando somos pequenos (no masculino, porque sou menino), escolhemos a garota mais bonita da escola para namorar. Seguramos sua mão ou simplesmente aparecemos ao lado dela e isso já significa namoro. Mais tarde, começamos a chorar pelos amores impossíveis quando ainda temos espinhas e nenhum centavo no bolso. Pouco tempo depois, temos a certeza de que encontramos a nossa alma gêmea. Mas quando passamos dos 30, no entanto, entramos na fase do "E agora?" Se já é difícil descobrir o que fazer para manter um bom relacionamento com quem você ama, imagine, então, quando sua cara metade resolve deixá-lo na mão e partir para outra. São exatamente esses demônios que não saem do pobre Leonard (Joaquin Phoenix), o desiludido protagonista de Amantes (Two Lovers, 2009).


Leonard é aquele tipo de ser humano que ama como se não houvesse amanhã. Ele acredita no romantismo, que surge em filmes e livros como um estado de espírito ou característica de uma personalidade cheia de atitudes nas horas certas para com a pessoa amada. Mas o maior problema de Leonard está no Criador: para o diretor James Gray, o significado que demos ao romantismo ao longo dos tempos é uma mentira. Ele não passa de uma doença com sintomas que geram a confusão, a depressão e a alienação. James Gray não acredita no sucesso do amor. Ainda mais na época de uma geração que não sabe o que quer e nem onde (e como) procurar; uma geração bombardeada por informações vindas de qualquer pessoa online sobre diversos temas e situações.

Entre essas porradas que a vida dá em todos nós, o caminho mais fácil é desistir de tudo. Só que assim não se aprende nada com o sofrimento. No caso de Leonard, ele pode apanhar, mas sempre corre para os braços de seus pais - ou de qualquer pessoa que lhe dê apoio incondicional. Ele não desiste completamente, claro, de ser feliz, mas se apega à sensações de conforto. Enfim, quase todo mundo leva a vida inteira assim.

Segurando essa ideia, talvez o filme termine como começa. Cabe a quem olha de fora a situação, julgar se Leonard está certo ou errado. Só que o diretor James Gray faz questão de colocar o espectador ao lado de seu protagonista. Aí, como ele, fica difícil de chegar a uma conclusão. Mas é esse mergulho no melodrama de Leonard que faz o público acreditar no filme.



Leonard é interpretado por Joaquin Phoenix, um dos meus atores favoritos. Como todo mundo sabe, ele decidiu largar o cinema depois deste filme. Sua atuação é brilhante. Talvez a melhor de toda a sua (curta) carreira. Quando Amantes termina, por mais que o filme seja ótimo, o que fica é a imagem de Joaquin Phoenix. O jeitão de Leonard vagando de forma errante por sua "noite branca" atrás de sua Nástienka
cairia muito bem em um ator como Marlon Brando nos anos de Sindicato de Ladrões e Uma Rua Chamada Pecado. E isso é um elogio para Joaquin Phoenix, que poderia reconsiderar sua decisão para o bem da sétima arte. Dizem as más línguas que o sujeito pirou de vez. Se é assim, melhor ele não voltar. Ainda mais para quem viu Amantes, a pergunta bate na cabeça: Será que Joaquin Phoenix estava realmente atuando neste filme? Cara, a dor é na alma.

O que Leonard deve fazer? Ficar entre a segurança e a compreensão da "sem sal" Sandra (Vinessa Shaw), filha de amigos da família, ou jogar todas as fichas no acaso e chutar o pau da barraca com a imprevisível e loiraça vizinha Michelle (Gwyneth "Just my imagination" Paltrow)? Todo mundo já passou por uma situação dessas. Não necessariamente no amor. Mas James Gray sabe como capturar o público. Ainda mais com seu apreço por valores básicos como honra, amizade, amor e a importância da família.

Descendente de russos, o subestimado James Gray filma na época errada. Hollywood e o público seriam mais justos com ele se seu nome tivesse surgido nos anos 70 ao lado de monstros como Martin Scorsese. Gosta de falar de crime e família numa Nova York cinzenta durante o dia e dominada por luzes e fumaça à noite. Foi assim em Caminho Sem Volta e Os Donos da Noite - ambos com Joaquin Phoenix. Em Amantes, Gray substitui a criminalidade pelo amor. Mas a intensidade é a mesma. E a família continua sendo o único alicerce que nos mantêm de pé. Na visão de Gray, os pais podem imaginar o futuro ideal para seus filhos, mas, no fim, aceitarão o que eles escolherem. É só prestar atenção na cena do diálogo na escada entre Leonard e sua mãe, interpretada por Isabella Rossellini, que está fabulosa.



Amantes é o filme definitivo da década para uma geração que vive procurando nas telas do cinema por situações que possam representar suas desilusões e responder algumas perguntas lançadas pelo coração. Muitos, por exemplo, abraçam Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças, de Michel Gondry, e Encontros e Desencontros, de Sofia Coppola. Só que James Gray recorre ao cinema clássico para contar não uma história de amor, mas um filme sobre o amor nos dias de hoje. Longe do moderno, sóbrio e fazendo bom uso de tomadas lentas e o som do vento para indicar as portas abertas para o protagonista, Gray mostra que o amor faz sangrar o coração, enquanto o romantismo corrói a alma.

Amantes (Two Lovers, 2009)
Direção: James Gray
Roteiro: James Gray e Ric Menello
Elenco: Joaquin Phoenix, Gwyneth Paltrow, Vinessa Shaw, Isabella Rossellini, Moni Moshonov, Elias Koteas e Bob Ari

13 Comments:

At 11:28 PM, setembro 02, 2009, Blogger Museu do Cinema said...

Filmão Otávio, o James Gray tá aparecendo como um grande nome do cinema hollywoodiano!

 
At 11:33 PM, setembro 02, 2009, Blogger Otavio Almeida said...

É, Cassiano! Só quero ver quem será seu protagonista num próximo filme, já que o Joaquin Phoenix jogou a toalha.

Abs!

 
At 1:47 AM, setembro 03, 2009, Blogger Bruno Soares said...

Acho que seu texto foi o que mais me deixou curioso de todos os que eu li sobre o filme, Otavio. E tenho lido coisas realmente animadoras. Espero que seja bom mesmo, gosto do Gray.

 
At 2:10 AM, setembro 03, 2009, Anonymous Vinícius P. said...

Não sou um dos maiores admiradores do cinema do James Gray, mas muitos tem considerado esse "Amantes" como seu melhor trabalho. Bem ansioso para ver!

 
At 2:01 PM, setembro 03, 2009, Anonymous Charles said...

Otávio, adorei tua crítica. Os últimos dois parágrafos sintetizam bem a atmosfera do filme. Ele tem uma andamento muito próximo dos filmes daquela geração anos 70. Desse diretor só havia assistido a Donos da Noite, mas dizem que Little Odessa é outro grande filme dele. abs.

 
At 6:16 PM, setembro 03, 2009, Anonymous Kamila said...

Gosto do James Gray, acho que ele é um cineasta que faz um tipo de cinema diferente do que a gente é acostumado. E adoro a parceria dele com Joaquin Phoenix. Seu texto me deixou com muita vontade de conferir "Amantes".

Beijos!

 
At 1:07 AM, setembro 04, 2009, Blogger Marcus Vinícius said...

To com medo de ver esse filme, ainda mais com a derradeira frase do texto. =D

o/

 
At 1:50 PM, setembro 04, 2009, Blogger Mayara Bastos said...

"Amantes" deve funcionar muito bem para não virar um drama açucarado. Tenho bastante vontade de ver, parece ótimo mesmo.

Beijos! ;)

 
At 6:35 PM, setembro 08, 2009, Blogger Prensada said...

a atriz "sem sal" do seu texto é deslumbrante !

 
At 9:52 PM, setembro 09, 2009, OpenID moviefordummies said...

Amantes é um filme delicioso, daqueles que só aparece nos cinemas de tempos em tempos. O trio principal está magnífico, especialmente Joaquin Phoenix.. (pena que ele inventou essa besteira de virar rapper).
Cara, acompanho seu blog já algum tempo e posso dizer que ele é um dos melhores do gênero!
Abs!

 
At 12:41 AM, setembro 11, 2009, Anonymous Wally said...

Me apixonei por este texto. Já li umas 3 vezes, rsrsrs. E to me torturando por não ter oportunidade de conferir o filme.

 
At 5:21 PM, setembro 11, 2009, Blogger Dewonny said...

Phoenix é muito bom ator, espero q ñ seja verdade o q ele disse q este é seu último filme, o kra tá excelente, muito bom o filme!
Abs! Diego!

 
At 10:04 PM, outubro 03, 2009, Blogger Amenar Neto said...

Sinceramente... Acho que esse é seu melhor texto. Já disse isso antes, mas retifico aqui.

Ele me fez ir ver o filme, e te agradeço imensamente por isso.

Abraço e parabéns!

 

Postar um comentário

<< Home