segunda-feira, junho 23, 2008

P.S. Eu Te Amo

Gerard Butler manda mais um P.S.: "Hilary, minha menina de ouro,
só espero que Clint não veja você assim."


Então esse é o tal P.S. Eu Te Amo (P.S. I Love You, 2007) que todos falavam? Isso é o que chamam de legítimo representante do cinemão romântico, que recomenda lenços ao final da sessão? Hmm... Sei de muita gente que viu essa gororoba que mistura vários ingredientes do gênero, mas nunca viu um Desejo e Reparação. Nem é preciso citar clássicos, mas o público precisa redescobrir urgentemente o romantismo no cinema.

O fato é que P.S. Eu Te Amo encantou platéias, principalmente a feminina. O diretor e roteirista Richard LaGravenese parecia o sujeito ideal para resgatar o gênero, afinal ele escreveu O Espelho tem Duas Faces, para Barbra Streisand, e As Pontes de Madison, para Clint Eastwood. Mas a cena inicial de P.S. Eu Te Amo já denuncia a mão pesada do diretor. Antes dos créditos de abertura, temos 11 longos minutos num apartamento para conhecermos o casal Gerry (Gerard Butler) e Holly (Hilary Swank). ONZE! Depois da abertura, a ação dá um salto para o velório do rapaz, que morreu como vítima de um tumor cerebral. Apesar dos 11 minutos, essa passagem de tempo é interessante, mas engana quem começa a pensar que está diante de um bom filme.

Continuando: Holly entra num terrível período de luto, mas o cara é legal até depois de morto - Gerry armou um plano criativo para evitar que a moça se jogue de uma ponte. De vez em quando, Holly recebe cartas do maridão. A intenção, claro, é mostrar que ela ainda pode ser feliz na vida.

Meigo, não? A idéia é ótima, mas sabemos que um bom filme não se faz apenas com boas intenções. Temos vários títulos decepcionantes que viraram filmes só por causa de uma premissa interessante - como A Corrente do Bem, Patch Adams ou Minha Vida -, mas a idéia deveria ser somente o ponto de partida.

Com a sacada "genial" em mente, Richard LaGravenese ligou o piloto automático e deixou o filme correr solto. A seqüência inicial de 11 minutos é um exemplo negativo, que mostra como LaGravenese ainda precisa melhorar como diretor. Outro exemplo é a cena interminável e completamente sem ritmo com Hilary Swank cantando sozinha em seu apartamento antes de ser surpreendida pela mãe (Kathy Bates) e duas amigas, Denise (Lisa Kudrow) e Sharon (Gina Gershon). Mas onde foi parar o trabalho de edição? O problema é que LaGravenese pensa como roteirista. Talvez ele queira ver o texto na íntegra. Só pode ser isso, mas um diretor experiente teria cortado os excessos. Pode apostar.

O roteiro de P.S. Eu Te Amo não é exatamente ruim, mas o fracasso de LaGravenese como diretor é tão comprometedor, que também envolve a escolha dos atores. Hilary Swank não precisa provar nada a ninguém, mas ela jamais será uma donzela sexy e romântica. É sacanagem com a Menina de Ouro, não? Uma grande atriz precisa encarar desafios, mas não dá pra engolir Hilary Swank nesse tipo de papel. É como escalar Clint Eastwood para um pastelão. Nada a ver. O único que consegue se salvar entre mortos e feridos é Gerard Butler, que está a vontade no papel e convence como o "homem dos sonhos" de qualquer mulher. Como ele ainda trabalha sua imagem junto ao público, P.S. Eu Te Amo saiu no lucro para o astro de 300.

Mas será que sou (ou estou) insensível? Ou o filme é ruim mesmo? Qual opinião devo escolher? Deixe-me pensar... Bom, eu sou homem e choro no cinema. Quando há emoção sincera, não consigo evitar. Confesso. Mas pela divulgação boca a boca que P.S. Eu Te Amo ganhou, eu achei que o tom romântico do filme conquistaria os públicos masculinos e femininos com mesma eficiência de raridades como Uma Linda Mulher, Ghost e Titanic. Pois me resta a seguinte opinião: P.S. Eu Te Amo é ruim. Fraquinho de dar dó.

Pelo menos, o filme funciona para quem precisa afogar as mágoas ou curte um masoquismo emocional ou dor de cotovelo. Tem até musiquinha chata do James Blunt pra ajudar no final. Mas se o cinema também tem essa função, amigo, levante a cabeça, sacuda a poeira e dê a volta por cima. Nada de fossa. Alugue um Frank Capra e seja feliz.

P.S. Eu Te Amo (P.S. I Love You, 2007)
Direção: Richard LaGravenese
Roteiro: Richard LaGravenese e Steven Rogers (Baseado no livro de Cecelia Ahern)
Elenco: Hilary Swank, Gerard Butler, Gina Gershon, Lisa Kudrow, James Marsters, Kathy Bates, Harry Connick Jr. e Jeffrey Dean Morgan

Obs: Disponível em DVD pela Paris Filmes

21 Comments:

At 7:34 PM, junho 23, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Olá Otávio, fui convidado para escrever sobre cinema num portal cultural que abrange cinema, teatro, dança e várias artes. Se puder visitar e prestigiar, agradeço. O endereço é este: http://www.veep.com.br/ Minha mátéria está aqui:
http://www.veep.com.br/mat_amst.htm
Abraços.

 
At 8:27 PM, junho 23, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio (e para quem quiser responder), tricky question: Quais destes 10 diretores entraria na sua lista dos 10 maiores e quais ficariam de fora:

1. Orson Welles

2. Alfred Hitchcock

3. David Lean

4. Stanley Kubrick

4. F. Ford Coppola

5. Akira Kurosawa

6. Roman Polanski

7. John Ford

8. Frank Capra

9. Robert Altman

10. Steven Spielberg

Quero ver você sair dessa, abraços!

 
At 8:52 PM, junho 23, 2008, Anonymous Kamila said...

Otavio, acho que você pegou pesado com o filme. O roteiro do Richard LaGravenese é manipulador, sim (a gente chora e ri nas horas em que ele quer). Mas, eu acredito que o filme funciona porque a gente acredita na química e no amor do casal vivido por Gerard Butler e Hilary Swank. Ao contrário de você, adorei vê-la num papel bem feminino, diferente do que estamos acostumados. E, acredite, isso foi um desafio para ela!

Beijos!

 
At 8:59 PM, junho 23, 2008, Blogger Flávia said...

Super concordo! Também ouvi falar muito desse filme e quando vi me decepcionei. Fui taxada de insensível porque não chorei nem uma lágrima. Também acho que o papel não tem nada a ver com a Hilary Swank e é dífícil engolir ela como heroína romântica. Para mim só valeu mesmo pelo figurino, que é maravilhosoooo!

Bjs

 
At 9:21 PM, junho 23, 2008, Blogger Johnny Strangelove said...

Rapaz ... coloco Desejo e Reparação também no bolo de goroboa ...


e sim ... o carisma do ator salva (se o conjunto ajudasse) o filme ...

e outra ... não precisa ir tão longe meu amigo ... Team America ajuda ... ehehehe


abraços

 
At 9:40 PM, junho 23, 2008, Blogger Romulo Silva said...

"mas o público precisa redescobrir urgentemente o romantismo no cinema."

Concordo. Que aconteceu com as pessoas que choravam com Titanic?

 
At 1:03 AM, junho 24, 2008, Anonymous Wally said...

Concordo com muito do que escreveu, mesmo que eu tenha achado o filme legal. Acho estranho alguém conseguir se emocionar com ele, mas tudo bem. A trilha e os atores me venceram, como também a sensibilidade. Agora, muito manipulador, grande e óbvio.

No seu sistema, 2 estrelas, provavelmente.

E vi Agente 86 e Incrívle Hulk. Gostei de ambos.

Ciao!

 
At 1:37 AM, junho 24, 2008, Anonymous Vinícius P. said...

Já não vi esse filme nos cinemas pelo fato do gênero não me agradar tanto. Depois de seu texto, serei cuidadoso até mesmo para conferir no DVD ;-) E bom saber que ao menos o Gerard Butler está bem...

Abraço!

 
At 9:05 AM, junho 24, 2008, Blogger Ygor Moretti Fiorante said...

Não vi nada de romantico nesse filme, talvez tivesse muita expectativa sei lá, não me encomodo com roteiros manipuladores, desde que consigam isso o que não é o caso desse trabalho. No geral agente não compra a briga do spersonagens naum acredita na dor deles, exceto em alguns momentos da Hilary(tb né é a Hilary) no mais as coisas acontecem muito rápidas, algumas vezes sem sentido outras de forma superficial. Bom deixo aqui alguns filmes que como romances representam muito para mim: História de Nós Dois, (na ultima cena com a Michelle Pfeiffer confesso q abri o berreiro rss) outro que gostei muito é "Para Roseana", com Jean Reno.

 
At 9:17 AM, junho 24, 2008, Blogger Fábio L. Rockenbach said...

É, minha esposa chorou. E coooooomo chorou, e eu ali, sem entender muita coisa, me achando um crápula sentimental, sem coração....

 
At 10:11 AM, junho 24, 2008, Blogger Alex Sandro Alves said...

Minha noiva Otávio chorou em diversos momentos do filme. Ele foi feito pra isso: emocionar os corações mais sensíveis e românticos. Me emocionei em apenas um momento: quando ela volta para o local do karaoke. Que tristeza! O filme é bem deprimente. Concordo com vc que o roteiro é bem ruinzinho e que o diretor tem a mão pesada, mas o casal Swank & Butler transmite verdade em seus sentimentos!

 
At 10:13 AM, junho 24, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Denis, vou olhar. Sobre os diretores, preciso pensar. Mas é Spielberg contra o resto. E ainda dou um gol de lambuja para os outros.

Kamila, certamente. Foi um desafio para a Hilary Swank. Mas não me convenceu. Como os únicos defeitos de O PRÍNCIPE DAS MARÉS e O ESPELHO TEM DUAS FACES: Nick Nolte e Jeff Bridges dizendo que Barbra Streisand é linda! Várias vezes!

Flavia, confesso que não reparei no figurino do filme. Mas lembro da música do James Blunt. Infelizmente.

Johnny, você não gostou de DESEJO E REPARAÇÃO?

Rômulo, não sei. Mas eu chorei de rir em AGENTE 86.

Wally, que bom que você gostou de AGENTE 86 e HULK.

Vinicius, alugue o DVD e assista sem expectativas. Talvez você tenha mais sorte que eu.

Ygor, é isso. Esqueci a palavra "superficial" na crítica.

Fabio... Seu crápula sentimental!

Abs a todos!

 
At 10:14 AM, junho 24, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Alex Sandro, também achei o filme deprimente. No pior sentido da palavra.

Abs!

 
At 10:47 AM, junho 24, 2008, Blogger Marcus Vinícius said...

To expressamente proibido de ver filmes desse gênero.
E meu Grêmio hein, por um gol de saldo não pegamos a liderança. Mas domingo é dia de socar 'elas', hehe.

Abs!

 
At 2:07 PM, junho 24, 2008, Blogger Johnny Strangelove said...

Viajei muito não
ele é bom ... mas não pra tanto
bom romance atual é com certeza Antes do Amanhecer e Por do sol ...
ai sim ...

 
At 2:29 PM, junho 24, 2008, Blogger fabiana said...

Simplesmente um dos piores filmes dos últimos tempos. Deprimente.

Mas o Gerard Butler é gostoso demais, benza Deus!!

 
At 5:09 PM, junho 24, 2008, Blogger Robson Saldanha said...

Otávio, acho que não fui tão rigoroso quanto você cara! Isso porque ainda não escrevia na época que assisti ao filme e também porque estava apaixonado, estava!! kkkkkkkkkkkkkkkk Mas quem leu o livro disse que a adaptação foi ridícula e que praticamente, só existe um P.S.: Eu Te amo de original!

 
At 5:43 PM, junho 24, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

Não vi nada nesse filme. Medianamente razoável. A sala inteira riu e chorou no filme quando fui assistir. Não entendi o motivo de tamanha excitação.

Abraço!

 
At 6:04 PM, junho 24, 2008, Anonymous Kamila said...

Ah, Otavio! Mas a beleza está nos olhos de quem a vê! ;-)

Beijos!

 
At 6:40 PM, junho 24, 2008, Blogger Isabela said...

Estou com esse filme aqui, se tudo der certo é hoje que vejo essa gororoba. Muitsa gente me recomendou, mas acredito que sejam os mesmos que acham que o classico mór do romantismo de hollywood é um amor para recordar ou diario de uma paixão.

 
At 11:22 AM, junho 25, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Marcus, infelizmente, não posso torcer pelo Grêmio neste final de semana. Você compreende, não?

Johnny, gosto muito dos filmes com Ethan Hawke e Julie Delpy.

Fabiana, o filme é deprimente.

Robson, está aí um livro que eu jamais comprarei.

Pedro, viva a diversidade!

Kamila, exato! Quem vê cara não vê coração. Se o Clint diz que ela é uma menina de ouro, quem sou para discordar?

Isabela, depois em conte o que achou.

Abs!

 

Postar um comentário

<< Home