sábado, agosto 30, 2008

Madonna dos tímidos e extrovertidos


Madonna é uma figuraça do universo pop. Não há como negar. Com shows confirmados no Brasil em dezembro, a gurizada de Rio e São Paulo não fala em outra coisa, pois nesta segunda-feira, dia 1º de setembro, é dia de ver neguinho dormindo em fila pra descolar ingressos para os shows da moça de 50 anos.

Depois que o mundo se tornou sem vergonha, com uma boa dose de colaboração da musa pop, Madonna decidiu se reinventar uma, duas, três vezes nos últimos 10, 15 anos. A maioria dos fãs aprovou suas músicas cada vez mais dançantes e eletrônicas e os cinéfilos deram graças aos céus quando ela deixou de se levar a sério como atriz.

Confesso que gosto dela, mas parei de ouvir suas músicas há tempos, pois minha alma é rock and roll e não adianta fugir muito disso. Saiba que estou por fora das canções novas e velhas pós-Bedtime Stories, álbum de 1994. Mas a verdade é que Madonna foi muito importante para o meu interesse pela música durante a infância e a pré-adolescência. Por motivos óbvios, não havia menino da minha idade que não curtisse a loira e suas mensagens de uma vida adulta promiscuamente promissora.

Like a Virgin, ela disse. Como Material Girl, ela se definiu. Dali pra frente, a vida não seria a mesma. Foi um aprendizado cultural e social, que animava as festinhas e deixava uma garotada tímida um pouco mais desinibida. Ainda mais numa época muito mais conservadora do que hoje, Madonna falou e cantou mais alto para mostrar aos nossos pais que santo moderno não vive e não sai de casa sem o pecado na carteira ou no bolso. E olha que nos tempos de Like a Prayer, Madonna ainda ficava nas metáforas. Imagine só como foi depois do álbum Erotica.

Mas os anos passaram e Madonna foi se reinventando. Bom pra ela. Não gosto quando os ídolos de uma geração desaparecem e se tornam humanos, mas também ninguém é obrigado a gostar de tudo o que uma artista como a Madonna faz. Ninguém é perfeito. Porém, ouço sempre que possível o The Immaculate Collection, mas olhe lá. Ainda adoro Open Your Heart, Like a Prayer, Papa Don't Preach, Borderline, Material Girl, True Blue, Who's That Girl, Holiday e Into the Groove, a minha favorita (you know: "And you can dance... For inspiration... Come on, come on..."). Mas eu deixei pra lá, pois como a puberdade, ela já havia me ensinado o que era preciso. Eu não precisava mais dela.

Madonna seguiu em frente, afinal tem marmanjo que não se apegou somente às músicas da artista e levou seus trejeitos e maneirismos muito a sério. Já entre as mulheres, não conheço uma só que não goste dela. Tem gente que nem curte mais a Madonna atual, mas também irá ao show assim mesmo porque estamos falando da Madonna em pessoa e não de uma wannabe como Britney Spears, que fez apenas uma única coisa boa em toda a sua medíocre carreira: Beijar a Madonna.

Talvez até valha a pena aparecer no Morumbi, estádio que só fica cheio em show da Madonna, para prestigiar essa mulher que foi muito importante para uma galerinha que viveu muito bem os anos 80. Ela já está com 50. E pode ser a última chance para mandar um "muito obrigado" para a ex-rival da Cyndi Lauper em terras brasileiras. Mas eu prefiro guardar uma grana e esperar pela possível vinda do R.E.M. em novembro. Fazer o quê? Eu posso escolher e arriscar. Foi a Madonna quem me ensinou.

16 Comments:

At 1:48 AM, agosto 31, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Pequena correção: Morumbi, estádio que só fica cheio em dia de show (as 2 noites do U2 foram inesquecíveis), fase mata-mata da Libertadores e quando o São Paulo joga pra levar o caneco, rsrs. Espero que o novo metrô mude isso. Abs.

 
At 6:06 AM, agosto 31, 2008, Blogger Romeika said...

Muito bom o texto, Otavio! Espero que vc consiga ir aos dois shows, mas se tivesse de escolher, acho que eu iria de R.E.M. Bom domingo!

 
At 11:39 AM, agosto 31, 2008, Anonymous Vinícius P. said...

Que excelente texto, Otavio! Acho que vou até mostrar para meu irmão, que é super fã da Madonna e louco que é sairá daqui de Pernambuco para ver esse bendito show em SP.

Pela questão de idade, só conheço a fase mais recente da Madonna, e gosto bastante de seu trabalho - muito mais competente do que qualquer outra genérica como Britney, como bem foi comentado aqui. Boa semana!

 
At 12:43 PM, agosto 31, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

Nunca gostei da Madonna. Mas minha mãe adora. Porquê será?

Abraço!

 
At 3:55 PM, agosto 31, 2008, Anonymous Kamila said...

Eu tenho o CD "The Immaculate Collection" e adoro escutá-lo. :-)

Beijos!

 
At 7:32 PM, agosto 31, 2008, Blogger Flávia said...

A Madonna é o máximo, DIVA! Estarei lá me acabando no show dela em SP.

Bjs!

 
At 8:42 PM, agosto 31, 2008, Blogger Alex Gonçalves said...

A Madonna é a minha cantora pop predileta (além da própria Cyndi Lauper e da Marie Fredriksson)! Eu posso ter nascido nos anos 90, mas ainda pude curti muito o que ela ofereceu para a década de 1980. Músicas prediletas? “Holiday”,“Crazy For You”, “Material Girl”, "La Isla Bonita" e dezenas de outras. E talvez por gostar tanto dela no campo musical, consequentemente, acabei também gostando dela como atriz. E o trabalho dela como diretora, “Filth and Wisdom”, para a surpresa de todos, recebeu bons elogios quando lançado num festival de cinema. Grande garota que, mesmo com seus cinquenta anos, tem energia de adolescente.

Ah, e infelizmente não poderei ir na pré de "Cegueira", pois já marquei com um amigo de ir na segunda semana de exibição por aqui. Mas obrigado pelo convite.

Abraços, excelente semana.

 
At 10:34 PM, agosto 31, 2008, Anonymous Wally said...

Madonna também já foi primordial na minha formação. Hoje nem lembro mais dela, apesar de ainda ter ótimas músicas.

Ciao!

 
At 10:29 AM, setembro 01, 2008, Anonymous Robson Santos Costa said...

Gosto mais da Cindi Lauper hehehehe. Mas meu negócio também é ock, acho Madonna legal e tal mas não é minha praia. Sou mais rock e, principalmente, metal mesmo. Foi no Scorpions sábado e Tarja ontem, ambos maravilhosos.
Comecei na vida ouvindo Beatles e Sepultura e amei os dois mesmo tão diferentes. Prova que amo mesmo é rock.

 
At 10:54 AM, setembro 01, 2008, Blogger fabiana said...

Eu gosto da Madonna, mas, nao vou ao show!

 
At 11:58 AM, setembro 01, 2008, Blogger Museu do Cinema said...

Viva Madonna!

Essa foto dela é bem HOT.

 
At 5:03 PM, setembro 01, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Evolução ou suicídio?

Antigamente, quando via um gol na TV eu dizia: “Que golaço!”. Hoje, quando vejo este mesmo gol, digo: “Que cagada do zagueiro!”.

Reflexo puro e claro do que a imprensa transformou o torcedor brasileiro. O que antes era paixão, hoje é apenas alvo de avaliaçào e cobrança. Torcer cegamente, me divertir, vibrar? Não. O “evoluido” critica, analisa, torce, mas não aceita o prazer sem a camisinha. Torcedor de futebol, hoje, corta o próprio prazer por uma “aids” que só a imprensa pode pegar.

Quando nós, jornalistas de uma geração influenciada por alguns outros que acham que jornalismo é ideal e não profissão como outra qualquer, elogiamos demais uma coisa, corremos o risco de criar um monstro irreal. Por isso temos que ser ”menos empolgados”. Mas você não. Quem precisa meter uma camisinha no prazer futebolistico somos nós, não o torcedor.

Termina no Maracanã! 2×2, jogaço! Nós vamos buscar analises táticas, mas você não devia. Está cometendo o maior crime do mundo, que é matar o futebol dentro de você.

Que me importa se o Toró chegou no Conca ou não? Ele fez um gol antológico, que em outra época seria tema para Nelson Rodrigues humilhar o beque e exaltar o chute. Hoje, nessa imprensa “chatinha” que vivemos, é capaz da discussão ficar horas em torno de “quem falhou” e não do puta gol do argentino.

O juiz ajudou não sei quem! Como pode o beque falhar desse jeito? Onde já se viu tomar gol de bola parada?

Frases que deveriam parar na imprensa. Não deveriam nunca ter ido pra arquibancada. O futebol perdeu paixão, perdeu emoção e se encheu de razão. Todo torcedor acha que precisa entender de futebol pra acompanhá-lo, quando na verdade o torcedor que realmente entende de futebol a primeira coisa que faz é acompanhar menos e gostar menos do esporte.

Para nós, jornalistas chatos, importa quem tem saída de jogo, quem erra passes, quem joga no 352, 442, etc. Para você, torcedor apaixonado, não deveria interessar. O interesse, ou o fingimento dele, só gerou um torcedor reclamão, cheio de razão, que acha que entende mais que todo mundo, que briga com o time por tomar um gol num 3×1, que procura o beque errado no gol sofrido, que não vê nenhuma beleza num gol em outro time e que se obriga a odiar todos os clubes menos o dele. É a moda, vamos segui-la.

Antigamente era super comum: “Que time você torce no Rio? E no Sul? E na Bahia?”. Hoje, ao fazer esta pergunta você constantemente ouve: “Pro meu! Quero que se fodam todos os outros!”. Não que esteja errado, mas repare como o prazer se tornou uma obrigação quase agressiva…

O narrador, que ontem só era motivo de crianças imitando na rua, hoje é alvo de estádios cantando e mandando ele “tomar no cu”. O melhor narrador esportivo que a Tv já teve ate hoje recebe mais criticas do que elogios. Assim como o melhor treinador do país é mais perseguido por “supostas” coisas que ninguém prova do que pelos títulos que ganha. Tudo, absolutamente tudo que envolve futebol, virou motivo de criticas.

O erro do zagueiro.

Nada mais me irrita do que “o erro do zagueiro”. Porque diabos meter essa camisinha na alma? Pra que olhar zagueiro quando se tem um golaço? Porque o futebol tem que ser chato e motivo de desconfiança pra todos? Era tão mais bonito e gostoso quando o torcedor torcia, a imprensa analisava e os times jogavam.

Hoje a imprensa procura pelo em ovo. Bom jornalista é o que passa o dia denunciando e procurando problemas numa vitória. O bom torcedor é aquele que odeia todos os outros, vai ao estádio para aplaudir o jogo todo e que, friamente, analisa o resultado. O bom time é o que ganha, dane-se se com a bola no chão ou se com o time na retranca sem chutar no gol adversário.

O futebol está sendo “racionalizado”. As pessoas “sofrem” negativamente pelo futebol, não mais por amor.

Por amor você não tem limites, você fica cego, você se entrega, se declara, não vê defeitos, sofre igual um babaca e chora quando dá certo. Por amor a gente abraça quem não conhece num estádio, a gente acorda puto na segunda-feira porque perdeu, a gente briga com a mulher por causa de um mesa-redonda.

Por burrice o torcedor analisa tática, procura méritos em 0×0, duvida de tudo que é dito, desconfia do caráter de todos os envolvidos, xinga a torcida rival, faz musica para ofender e não para exaltar e passa até, pasmem, a preferir o futebol 1×0 retranqueiro e feio do que o que abre a chance do 3×3, sem tantas garantias de vitória.

Futebol era paixão, virou competição. Futebol era cego, virou razão. Torcedor de futebol era o cartão postal da beleza deste esporte, virou um retrato em branco e preto de quem “sofre” por culpa de vilões de chuteiras.

Se Nelson Rodrigues tivesse um blog seria considerado o pior jornalista do país por esta geração de corneteiros revoltados sabe-se lá com que. Diriam: “Como pode um tricolor exaltar um título do Flamengo?”. E fatalmente apareceria algum jornalista daqueles insuportaveis dizendo que Nelson era ufanista, recebia propina das diretorias cariocas para elogiar, que era empresário do Bellini, etc, etc, etc…

Saudades do futebol. Puro, cego e apaixonante como foi um dia.

Ontem, quando acabou aquele PUTA JOGO no Maracanã, eu estava sentado na frente da TV absolutamente feliz com o que acabei de ver enquanto meu messenger pipocava de gente analisando o erro, o bandeira, o zagueiro, a formação tatica, a função sem bola do atacante, etc.

Fechei o messenger, fechei os olhos e não vou analisar o jogo. Vou guardar pra mim o raro prazer de ver uma partida de futebol bonita, emocionante, com dribles, torcida, mídia, importancia, gols, erros, frangos e tudo que o futebol tem direito.

Assim me apaixonei por isso. Não serei estúpido o suficiente para notar mais os defeitos do que as qualidades do que mais amo na vida.

Fonte: Blog do Rica Perrone

 
At 7:17 PM, maio 01, 2009, Anonymous KATARINA said...

adoro a madonna,e gosto de tudo o que ela faz e tudo o que ela fala, pois e tudo verdade.e vou lhe fala uma coisa ela tem um excelente gosto pois jesus e lindo.gosto de todas as suas musicas,continue sempre assim pois voce e tudo de booooooooooooooooooooooooooooooom.

 
At 7:17 PM, maio 01, 2009, Anonymous KATARINA said...

adoro a madonna,e gosto de tudo o que ela faz e tudo o que ela fala, pois e tudo verdade.e vou lhe fala uma coisa ela tem um excelente gosto pois jesus e lindo.gosto de todas as suas musicas,continue sempre assim pois voce e tudo de booooooooooooooooooooooooooooooom.

 
At 7:25 PM, maio 01, 2009, Anonymous Anônimo said...

A MADONNA TEMOS QUE CONCORDA QUE NÃO É UMA FONTE DE VIRTUDES, MAS TAMBEM NIMGUEM É SANTO.MAS TIRANO SUAS MALUQUICES QUE SÃO MUITO ENGRAÇADAS,ELA VAI SER SEMPRE A RAINHA DO POP.

 
At 7:32 PM, maio 01, 2009, Anonymous KATARINA LABORE said...

MADONNA VOCE É´A PESSOA + LOUCA DO MUNDO,MAS A + INTELIGENTE.PARABENS PELA SUA CARREIRA LINDA,COM ALGUMAS COISAS INESPERADAS NÃO PODEMOS NEGAR,+ BRILHANTES,TEADORO E AMO SEU CLIPE COM JUSTIN TIMBERLAKE.

 

Postar um comentário

<< Home