segunda-feira, dezembro 08, 2008

O que é o "melhor filme"?


Nesta quinta-feira, a Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood revela sua lista de indicados ao Globo de Ouro. Sem piquetes pelo caminho (ao contrário do ano passado), a festa vai mesmo acontecer. Sei que teremos os filmes cotados de sempre (O Curioso caso de Benjamin Button, Frost/Nixon, Slumdog Millionaire etc, etc), nós adoramos apostar, torcer, especular, mas sou da seguinte opinião, meninos e meninas... Acompanhem-me logo abaixo.

Acho que o "melhor filme" do ano deve ser aquele que fala a linguagem cinematográfica de forma direta em todos os quesitos, sem bois na linha, com público e crítica. Entende? Ok. Tentarei de novo. As últimas edições do Oscar e do Globo de Ouro puxaram sardinha para Onde os Fracos Não têm Vez, certo? O filme dos Irmãos Coen pode ter seus defensores, mas concorde ou não, o longa que carregou a história, a bagagem, o ensinamento e a linguagem da sétima arte em cada fotograma ou em cada camada de sua trama, foi Sangue Negro, de Paul Thomas Anderson. Para alcançar o resultado final, o diretor precisou conhecer e estudar MUITO a história do cinema. Simples assim.

Mas, acho que, muitas vezes, escolhemos nossos favoritos com o coração. No ano passado, por exemplo, eu mesmo rasguei elogios para Na Natureza Selvagem e Juno. Porém, friamente, com a razão falando mais alto, eu prefiro Sangue Negro. Mas o que realmente é um "melhor filme"? É aquele que você jamais esquece? Ou é aquele que dá a você uma aula de cinema? Aquele que lembra você o significado (ou os vários signifocados) do que é cinema?

Veja o caso da Academia na edição de 1981. Touro Indomável, de Martin Scorsese, era o filme dos racionais por assim dizer. Gente Como a Gente, de Robert Redford, foi a escolha dos apaixonados. Muita gente diz que foi um erro crasso da Academia. A mesma coisa aconteceu quando o emotivo Kramer Vs. Kramer, de Robert Benton, derrotou o guia-básico-para-se-construir-uma-obra-prima Apocalypse Now, de Francis Ford Coppola.

Filmes emocionantes sempre nos conquistam. Isso é fato. A vida é dura e o cinema é um lugar de sonhos. Desculpe-me, mas não há discussão. E não quero ser pragmático aqui, afinal temos exemplos racionais entre filmes que nos fazem rir e chorar, que também são resumos da história do cinema, apostilas para qualquer estudioso da sétima arte - é o caso de E.T. - O Extraterrestre, de Steven Spielberg, que perdeu o Oscar par Gandhi. Imbecilidade da Academia, claro. Naquela época, filme de fantasia não podia ganhar Oscar. Ora bolas. E hoje? Animação pode? O que vocês me dizem de WALL-E, de Andrew Stanton? Para mim, WALL-E fala o esperanto do cinema. É ficção científica, é atual, é antigo, é moderno, é Chaplin, é som, é movimento, é emoção, é razão. Não sei se vocês estão comigo, mas não acredito em listas de melhores do ano sem WALL-E, que já chegou às locadoras.

12 Comments:

At 8:48 PM, dezembro 08, 2008, Blogger João Vicente Nascimento Lins said...

O melhor filme para mim é um filme que ao mesmo tempo seja inesquecível, e que mecha com todos os meus sentimentos, e que ao mesmo tempo consiga dar uma aula de cinema.
Sei que muitos poucos filmes conseguem passar esse significado, e justamente por isso uma obra prima é algo raro, e justamente é uma obra prima por que é raro. É uma equação difícil de ser respondida, mas é justamente por isso que eu lembro mais de um Apocalipse Now do que um Kramer vs. Kramer, por que somente Apocalipse conseguiu ao mesmo tempo dar uma aula de cinema, construir cenas inesquecíveis na minha memória, ao mesmo tempo que tocava todos os meus sentimentos. Não cabe nem dizer a injustiça que é Touro Indomável não ter ganho um oscar, mas acho que num ano em que estrearam Cavaleiro das Trevas e Wall-e, ambos sejam preteridos por uma obra mais intimista, o problema é que nesse ano foram justamente os dois filmes que para mim são novas obras primas, meu medo é que mesmo um David Flincher novamente seja esquecido em nome de um "Austrália" por exemplo.

 
At 9:12 PM, dezembro 08, 2008, Anonymous Kamila said...

Para mim, o melhor filme é aquele que mais me emociona e que tem qualidade técnica. Nesse sentido, tenho que dizer que "Linha de Passe" é meu melhor filme do ano, seguido por "Wall-E".

Beijos!

 
At 11:20 PM, dezembro 08, 2008, Anonymous Deni Torres said...

Otávio, concordo totalmente que Wall-E é aquilo que mais tecnicamente se aproxima do chamado puro cinema em 2008, mas levanto outra questão: até onde uma animação pode ser comparada com filmes com pessoas de carne e osso?

 
At 11:25 PM, dezembro 08, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

Eu estou incomodando muito nos teus últimos posts, não acha? Bom, mas vamos lá.

Não tem como não discutir, Otávio. Aliás, o que você defende é uma opinião pessoal. A minha, por exemplo, vê o filme dos Coen merecedor de todos os prêmios que levou (apesar de achar Sangue Negro mais filme, não vejo tanta superioridade). O cinema permite que cada um goste de uma coisa. Cada um tem os seus melhores do ano e um prêmio aqui ou acolá não influencia em nada disso. Se Wall-E não for indicado ao Oscar, que dane-se a Academia, se for indicado, ótimo.

Não acredito nessa história de "erro da Academia". Acho que a Academia tem o "gosto" dela, o olhar dela e as razões dela para escolher um filme, seja ele "a" ou "b". Assim como eu, tu e todo mundo defende seus filmes favoritos. O que eu acho que seja o melhor não significa que seja melhor que o seu, e vice-versa. Se eu acho tal filme ruim isso não quer dizer que ele seja ruim de fato. É apenas a minha opinião pessoal.

Não adianta, seu post dá margem à discussões.

Abraço!

 
At 11:33 PM, dezembro 08, 2008, Anonymous Vinícius P. said...

Ah, esse post já me conquistou somente pela foto do Andrew Stanton! Acho que "WALL-E" é o melhor filme do ano (2008) e merece o reconhecimento em todas as premiações. Inclusive estou na dúvida se escolho ele ou "Sangue Negro" como o melhor lançado no Brasil durante esse ano. Belo texto!

 
At 12:44 AM, dezembro 09, 2008, Blogger Cris Soleitão said...

Gostei muito do seu post e concordo com você, Otávio!

Eu SEMPRE escolho meus favoritos com o coração, embora para me conquistar o filme tenha que ter qualidade e tem que ser do tipo que podemos aprender algo com ele.
Só que de uns anos para cá desisti de torcer pelos meus favoritos nestes prêmios... Pode parecer paranóia ou 'teoria da conspiração', mas tem me cheirado a marmelada.

Um Abraço,
Cris

 
At 7:49 AM, dezembro 09, 2008, Blogger Sam said...

Caro Hollywoodiano,

O Keyzer Soze’s Place convida o moderador deste blogue a participar na votação dos Óscares de Marketing Cinematográfico, iniciativa que nomeará o melhor em publicidade de Cinema no ano de 2008.

A votação pode ser efectuada em http://sozekeyser.blogspot.com/2008/12/scares-de-marketing-cinematogrfico.html.

Desde já, apresento o meu profundo agradecimento na tua disponibilidade para participar nesta iniciativa.

Cumprimentos cinéfilos!

 
At 11:12 AM, dezembro 09, 2008, Blogger Alex Sandro Alves said...

Qualquer questão que envolva escolha (cinematográfica) querendo ou não cairá sim na subjetividade. Ou seja, é impossível determinar o que é o 'melhor filme' como uma verdade absoluta. O máximo que conseguiremos é dizer o que é o 'melhor filme' individualmente.

O Oscar muitas vezes não é justo (mas não é justo pra quem?), mas é sempre honesto (o que não podemos dizer cem por cento de festivais onde a escolha pode ser política e acordada entre os jurados). Ele geralmente espelha o sentimento do momento dos membros da Academia. Isso explica por exemplo filmes pesados como 'Soldado Ryan' e 'O Pianista' (apesar de ganharem oscars de direção e roteiro, ou seja eles premiaram os realizadores, algo como dizer que aprovaram o trabalho deles) perderem o Oscar principal para filmes como 'Shakespeare Apaixonado' e 'Chicago' respectivamente!

O que mais me fascina no cinema é justamente isso, como um único filme pode causar reações tão diferentes nas pessoas. 'Wall-e' tão elogiado por você (e por tantos outros) por exemplo é na minha opinião (olha a subjetividade aí) genial apenas até os humanos entrarem na história. Sua magia e encanto perdem em brilho e intensidade. Ou seja, pra mim é um filme irregular com uma magnífica primeira metade e uma segunda bem inferior.

Agora eu te pergunto: isso me desqualifica como admirador da sétima arte? Só porque eu não compartilho de sua opinião (e da maioria que seja)? Acredito que não! 'O Labirinto do Fauno' é pra mim um dos melhores filmes da década, mas conheço pessoas que simplesmente não gostam do filme. O que posso fazer? Absolutamente nada, a não ser respeitar.

O 'melhor filme' pra mim Otávio é aquele que o diretor consegue extrair de seu elenco melhor de cada ator, que consegue transformar as palavras de um roteiro em algo marcante e relevante, que use a qualidade técnica em prol do história. E que no fim da sessão o espectador tenha se emocionado, se surpreendido, enfim, que ele tenha vivido uma experiência que lhe sirva também para a vida. Abs!

 
At 3:34 PM, dezembro 09, 2008, Blogger Kau said...

Otavio, eu costumo fazer duas listas no Oscar, por exemplo. Uma com os MEUS indicados e outra com os possíveis indicados de acordo com o gosto DELES. Esta, infelizmente, é a que mais dá certo.

Abração!

 
At 1:42 AM, dezembro 10, 2008, Anonymous Wally said...

Brilhante texto Otavio! É algo que revira na cabeça mesmo. Este ano, por exemplo, estou rasgado entre a perfeição sublime de Sangue Negro e minha paixão emotiva por Desejo e Reparação. E ainda tem Wall-E no top 5, maravilhoso em todos os aspectos. Não esquecendo de O Cavaleiro das Trevas, impecável cinema.

Enfim, até o fim do ano terei escolhido o meu...

 
At 12:11 PM, dezembro 10, 2008, Anonymous John said...

é isso mesmo cinema é paixão, não adianta dar um aula de cinema, sem conquistar o coração, o melhor filme é aquele que leva você a outros lugares, e tráz sentimentos nunca sentidos antes. ano passado não gostei de onde os fracos não têm vez, foi uma aula de cinema mas sem paixão. O que mais gostei foi o desejo e reparação, ele tinha muito sentimento.
já esse ano eu não tenho duvidas, o melhor filme foi O cavaleiro das trevas, gostaria que ele ganhase( e também queria ver uma animação entre os 5 melhores, afinal n]ao todo dia que isso acontece)

O cinema é paixão

 
At 4:41 PM, dezembro 11, 2008, Blogger fabiana said...

Eu acho que coração passa bem longe da academia, sério. Sangue Negro representou este ano pra mim, exatamente o que vc disse: a sétima arte como ela é, e como há alguns Oscars eu não via!

 

Postar um comentário

<< Home