sexta-feira, março 06, 2009

Watchmen, amor, ódio, crianças, censura e pinto azul


Um dos quadrinhos mais cultuados de todos os tempos chega aos cinemas hoje em versão carne, osso e pixels. Watchmen, escrito por Alan Moore e ilustrado por Dave Gibbons, virou filme. Com direção de Zack Snyder, de 300 e Madrugada dos Mortos, Watchmen já recebeu altos elogios na mesma proporção em que foi desprezado.

Lançada em meados dos anos 80, a HQ foi dividida em 12 edições. Quem conhece e acompanha a nona arte, sabe que Watchmen revolucionou os quadrinhos, levando-os a um novo patamar. Há muito tempo, então, que os fãs querem ver um filme da criação de Alan Moore. O autor, no entanto, menospreza qualquer adaptação de sua obra para o cinema, inclusive a de Zack Snyder. Para Moore, entre outras razões, Watchmen só funciona nos quadrinhos.

Aos desavisados, que acham que filme de super-herói é sempre para crianças, Watchmen ganhou censura 18 anos. Violência, sexo, palavrões e nu frontal do peladão Dr. Manhattan y otras cositas mas talvez não deixem a garotada esperta de cabelo em pé. Mas seus pais talvez queiram bater no pobre gerente do cinema, que não tem culpa se super-herói azul não precisa de cueca. Então, pense um pouco antes de cair na empolgação do pimpolho. Assistir Watchmen antes dos guris é uma opção para avaliar o conteúdo.

Na verdade, essa coisa de pudor é um tanto hipócrita quando temos novelas e Big Brothers abertos para todos os tipos de público na TV do país do carnaval. Sobre o excesso de violência, na época do lançamento dos quadrinhos, talvez Watchmen fosse capaz de chocar a sociedade oitentista, mas hoje o cidadão comum está acostumado com as torturas de 24 Horas e as músicas chatas da Mallu Magalhães. O fato é que não vemos mais o mundo como nossos pais e avós o interpretaram. Estamos por cima da carne seca e prontos para o que der e vier. E, desculpe-me, mas também incluo as crianças nisso. Elas aprendem muito mais hoje do que eu jamais aprendi há 20 anos. Algo como Louis Armstrong cantou em What a Wonderful World.

Se Alan Moore não quer saber do Watchmen do cinema, um monte de gente quer. O filme não pertence nem mais a Zack Snyder, pois já chegou às telas. Agora, a obra pertence ao público. O engraçado será ver como os responsáveis tentarão conter a criançada com menos de 18 anos, que cansou de ver os trailers, além de pôsteres, bonequinhos e todo o tipo de merchandising em cima do filme. Por isso, o sucesso nas bilheterias ainda é uma incógnita. É uma armadilha (ou um teste) e tanto para Hollywood, afinal será que blockbuster precisa ser infantil para faturar alto? A obra original precisa ser alterada para agradar diferentes públicos? Zack Snyder diz que não.

Hollywood muda o conteúdo de livros, games, peças e outras fontes não somente para ajustar a linguagem correta nas telas, mas também para não espantar o perfil de espectador que aprende o que é Jane Austen numa sala de cinema. Há tempos que cinema deixou de ser arte para virar negócio. Isso, claro, na visão de Hollywood. No entanto, uma versão fiel de Watchmen pode agradar aos fãs, mas e quanto ao restante do público que não leu a HQ? Talvez tenhamos alcançado um limite e pode ser que o resultado nas bilheterias de Watchmen faça a indústria repensar alguns tabus.
Ou não. Vamos ver onde isso vai dar.

O mundo real é ou não é um caos? Esse Alan Moore pode ser um chato de galochas, mas é um visionário....

10 Comments:

At 11:21 AM, março 07, 2009, Blogger Pedro Henrique said...

Vou ver hoje! Acho que vou gostar da brincadeira!

 
At 2:10 PM, março 07, 2009, Blogger Kau Oliveira said...

Não pude ir na estrééééééia!!!!!!!!! Talvez vá amanhã. Meu primo assistiu e disse ser "um dos piores filmes de super-heróis dos últimos anos!". MEDO!

E eu fiz um texto sobre aquela discussão entre real e fantásrico. Publiquei no Bit!

Abs!

 
At 7:18 PM, março 07, 2009, OpenID cinefilapornatureza said...

Ele, sim, pode ser um visionário, mas o Sr. Zack Snyder deixou os elogios que recebeu por "300" lhe subir à cabeça. Assisti "Watchmen" hoje e não gostei do filme. Achei muita informação sendo jogada e pouco tempo para a gente processá-la. Além disso, achei os personagens bem inexpressivos, e isso é culpa total dos atores!!

Beijos!

 
At 11:57 AM, março 08, 2009, Blogger Robson Saldanha said...

Quero muito conferir... talvez amanhã!

 
At 12:49 PM, março 08, 2009, Blogger Vinícius P. said...

Tudo o que espero de "Watchmen" é um filme divertido. Apesar do visual parecer fantástico, não acho que há muito potencial ali para virar algo memorável dentro do gênero. Abs!

 
At 2:09 PM, março 08, 2009, Blogger john said...

censura, não pude ver, vou fazer 18 em junho, e mesmo com meu pai, o gerente não liberou. faz oq né? mas achoq deviam liberar a entrada se estivesse acompanhado do responsavel. vou dar um jeito de ver( download)

abraçus

 
At 8:37 PM, março 09, 2009, Blogger Dih said...

Recebi informações que o filme é muito bom, e até melhor do que Batman e TDK. Acho um pouco difícil algum filme superar meu ponto de vista altamente positivo sobre esse que é um filme muito bom, e maravilhosamente comandado por Heath, mas vou assistir em breve. Não antes de quem quer ser ummilionário, que ainda é uma incógnita para mim.
Bjoks!

ps; adorei a resenha.

 
At 8:47 PM, março 10, 2009, Anonymous Moacir said...

Parabéns pelo blog, que eu não conhecia! Muito bom!

Vi Watchmen na estréia e li a HQ à época do lançamento. Sempre fui fã. Sei que filme é filme e HQ é HQ. Mídias diferentes, linguagens diferentes. Mas que "conversam". Eu adorei o filme. Quero ver de novo.

Abraço.

 
At 11:31 PM, março 10, 2009, Anonymous O Cara da Locadora said...

Sempre gosto do que você escreve aqui, uma análise que perpassa o filme em si... Excelentes palavras...

 
At 1:30 AM, agosto 08, 2009, Anonymous Anônimo said...

GENTE O FILME É FANTÁSTICO!!!
E O BILAU DO DR. É TUDO DE BOM!!!!!!!!!!! AMEI O PAU DELE BALANÇANDO.....

 

Postar um comentário

<< Home