quinta-feira, fevereiro 26, 2009

Despedida para Paul Newman


Não sei quanto a outros cinéfilos, mas quando fecho meus olhos e penso no perfil ideal de astro, a primeira imagem que me vem a cabeça não é a de Tom Cruise, Brad Pitt ou Will Smith. Nem mesmo a do grande Harrison Ford, maior astro dos anos 80. Penso em Marlon Brando, Cary Grant, Humphrey Bogart, John Wayne, James Stewart, Charlton Heston e Paul Newman. Você, no entanto, talvez tenha conseguido ser o mais querido e, ao mesmo tempo, íntegro que Hollywood já viu. Com todo o respeito aos demais nomes, incluindo Cruise, Pitt e Smith.

Em setembro de 2008, você nos deixou. Seus olhos azuis se fecharam para sempre após uma luta incansável e desleal contra um câncer de pulmão. Também deixou sua bela mulher Joanne Woodward, com quem manteve um dos casamentos mais sólidos, respeitados e admirados em Hollywood, além de seis filhos e milhões de fãs. Cheguei até aqui e percebi que a vida teria sido muito triste e sem graça com a total ausência de ídolos. Ainda bem que tive os meus. Por isso, Paul Newman, esteja onde estiver, esse texto é para você.

É engraçado que muitos digam que seu último trabalho foi Estrada Para Perdição (2002), de Sam Mendes. Mas não esqueço sua voz em Carros (2006), quando dublou o velho Hudson Hornet da animação da Pixar. Sei que depois disso, você se aposentou, mas juro que eu ainda alimentava as esperanças de tantos outros cinéfilos, que acreditavam que o grande Paul Newman faria, pelo menos, mais uma dobradinha com seu amigo Robert Redford, parceiro de filmes inesquecíveis como Butch Cassidy (1969) e Golpe de Mestre (1973). Mas, enfim, Deus não quis assim.

Em 26 de janeiro de 1925, você nasceu em Ohio, nos EUA. Serviu na Marinha durante a Segunda Guerra Mundial como operador de rádio e, voltando para casa, estudou para ser ator em New Haven e Nova York. As primeiras demonstrações de seu talento foram vistas na Broadway. E embora você tenha estreado no cinema com O Cálice Sagrado (1954), seu debut como protagonista foi em Marcado Pela Sarjeta (1956), um belo filme do grande Robert Wise.

Além de ator e cineasta, você foi empresário e dono de uma linha de alimentos. Também foi piloto automobilístico - amava carros, corridas e velocidade. Foi indicado 10 vezes ao Oscar: Oito como Melhor Ator, por Gata em Teto de Zinco Quente (1958), Desafio a Corrupção (1961), O Indomado (1963), Rebeldia Indomável (1967), Ausência de Malícia (1981), O Veredicto (1982), A Cor do Dinheiro (1986) e O Indomável (1994); uma como Melhor Ator Coadjuvante, por Estrada Para Perdição (2002), e uma como produtor (Melhor Filme), por Rachel, Rachel (1968), sua estreia na direção. Não sei como isso foi possível, mas ganhou somente um único Oscar, como Melhor Ator, por A Cor do Dinheiro, em 1987. Na ocasião, repetiu um de seus maiores papéis, o de Eddie Felson, de Desafio a Corrupção.

Durante os anos, sua imagem de eterno jovem rebelde - aquele de O Indomado e Rebeldia Indomável -, aos poucos, ganhou a classe de um distinto cavaleiro. Na verdade, você sempre conservou uma elegância que insistia em ficar em segundo plano, mas que jamais enganou um olhar mais atento. E esses dois lados marcaram sua carreira para sempre.
Você trabalhou com diretores do calibre de Martin Scorsese, George Roy Hill, Alfred Hitchcock, Robert Wise, Robert Rossen, Otto Preminger, Martin Ritt, Stuart Rosenberg, Robert Altman, Sydney Pollack, Robert Benton, Sidney Lumet e Sam Mendes. Serviu de inspiração para astros da atualidade como George Clooney, Tom Cruise, Brad Pitt, Tom Hanks e tantos outros. Deixou saudades e cerca de 70 filmes para a eternidade.

Quando você se foi em setembro do ano passado, eu não fui capaz de dizer coisa alguma. Agora, com lágrimas nos olhos, muita tristeza, mas com a certeza de que aprendi muito com sua obra, despeço-me dizendo que jamais haverá um astro como você.


Descanse em paz...




Obs: Até 31 de março, HOLLYWOODIANO homenageia o ator/astro comentando seus melhores filmes no ESPECIAL PAUL NEWMAN.

13 Comments:

At 12:01 AM, fevereiro 27, 2009, OpenID denistorres79 said...

Otávio, que bela homenagem. Talvez grande parte da molecada de 20 anos pra baixo não entenda muita coisa ou não possa sentir o que realmente um astro do calibre de Paul Newman representa para nós. Sexy, inteligente, humanitário, carismático, íntegro. Enfim, astro com A maiusculo e não essas estrelas mimadas de hoje em dia. Parabéns mesmo! Conseguiu me deixar emocionado e com The Sting na gaveta do dvd player. Abs!

 
At 1:52 PM, fevereiro 27, 2009, Blogger Vinícius P. said...

Puxa, até eu fiquei emocionado com seu texto agora! Realmente ele foi um dos maiores - se não o maior - dos atores que marcaram a história do cinema. Enfim, homenagem mais do que merecida!

 
At 2:46 PM, fevereiro 27, 2009, Blogger Museu do Cinema said...

Vai deixar saudades! Ainda mais na hollywood de hoje! Espero essa retrospectiva!

 
At 3:50 PM, fevereiro 27, 2009, Blogger Kau Oliveira said...

Otavio, chorei. Paul vai deixar saudades imeeeensas. Minha mãe e minha avó são super fãs e até hoje estão meio chocadas com a morte do astro. Esta sua frase é perfeita: "Na verdade, você sempre conservou uma elegância que insistia em ficar em segundo plano, mas que jamais enganou um olhar mais atento."

Abs!

 
At 9:04 PM, fevereiro 27, 2009, Blogger • Cleber! said...

Não tive a chance de ver muitos trabalhos do ator ... por isso ...

 
At 11:26 PM, fevereiro 27, 2009, OpenID cinefilapornatureza said...

Nunca é tarde para se homenagear um grande astro. Parabéns pelo texto e pelo especial, Otavio!

Bom final de semana! Beijos!

 
At 1:40 AM, fevereiro 28, 2009, Blogger Fábio L. Rockenbach said...

Bem lembrado.
Sigo na onda. Já comentei "A Cor do Dinheiro", "Golpe de Mestre", "Desafio à Corrupção" e "Rebeldia Indomável". Estou para escrever sobre "Marcado pela Sarjeta".
Particularmente, acho que "Rebeldia Indomável" foi a síntese e a soma de tudo que ele fez no cinema. Luke e Paul se confundem com o próprio cinema...

 
At 5:23 AM, fevereiro 28, 2009, OpenID cinevita said...

Baita de um texto! Espero conhecer mais sobre o ator e seu trabalho com este seu especial. Mais um deleite no Hollywoodiano.

Ciao!

 
At 10:07 PM, fevereiro 28, 2009, Blogger Louro said...

boa homenagem ao maior actor de todos os tempos de hollywood na minha opinião embora também goste muito do trabalho de charles heston e will smith... desde que descobri o seu blog que tenho acompanhado porque gosto bastante, e faço agora o primeiro comentário.

www.blogdo-louro.blogspot.com

 
At 10:54 PM, fevereiro 28, 2009, Blogger Pedro Henrique said...

Cada vez melhor, Otávio! Muito bacana, texto apaixonado e bem conduzido. Grande homenagem!

 
At 11:53 PM, fevereiro 28, 2009, Blogger Flávia said...

O texto ficou lindo! Parabéns. Bjs!

 
At 10:31 AM, março 01, 2009, Blogger Filipe Machado said...

Participa na sondagem "Melhor James Bond com Roger Moore” até ao dia 12 de Março 2009, em http://additionalcamera.blogspot.com. Só faltam 10 dias!!

 
At 10:50 PM, março 13, 2013, Anonymous Anônimo said...

http://www.site.com - [url=http://www.site.com]site[/url] site
site

 

Postar um comentário

<< Home