segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Tamanho não é documento


Quem Quer Ser um Milionário?
pode ser um filme pequeno, modesto, em relação a O Curioso Caso de Benjamin Button, Frost/Nixon e Milk. Mas saiu como vencedor das principais premiações com o tamanho de seu coração representando, de fato, a grande produção do cinema
que é. Ontem, foi a vez da Academia passar a régua na temporada 2008, dando nada menos do que oito Oscars para o cachorro magro. OITO! Exagero? Bom, é um número que geralmente marca produções épicas, grandiosas, mas em um ano de crise econômica, oito Oscars vêm bem a calhar para mostrar que com menos pode se fazer mais (e melhor).

Não deixa de ser um recado e tanto para a própria Hollywood. Filme, direção (Danny Boyle), roteiro adaptado, montagem, fotografia e trilha sonora, pelo menos, foram merecidíssimos. Canção pra
Jai ho? Hmm... Eu prefiro Down to Earth, de Peter Gabriel. Mixagem de som? Brincadeira, hein! Ainda mais concorrendo com filmes como O Cavaleiro das Trevas, WALL-E e O Procurado. Estamos falando de som, certo? Você viu esses filmes em um bom cinema? Ou em casa com home theater? Pois é.


Agora, comentando a festa, confesso que achei Hugh Jackman o melhor apresentador desde que vejo o Oscar. Mas foi impressão minha ou ele apareceu bem menos que os ex-hosts Jon Stewart, Steve Martin, Billy Crystal, etc? Até os números musicais ficaram legais, na medida certa. A apresentação dos cinco filmes indicados ao prêmio máximo como se ninguém tivesse muito dinheiro pra festa pareceu teatrinho de escola, mas ficou engraçado, com um empolgadíssimo Wolverine comandando o espetáculo.

Achei ótimo ver os indicados pertinho do palco. Deu uma sensação de que "Ninguém é melhor que ninguém. Isso é uma festa". Também gostei muito de ver antigos vencedores do Oscar entregando as estatuetas para os atores. Demorado, mas foi emocionante. Tirando um ou outro nome como o escandaloso Cuba Gooding Jr. retornando dos mortos, achei bacana adivinhar quem seriam os próximos ex-oscarizados que apareceriam no palco.

Kate Winslet, enfim, levou mesmo a tão esperada estatueta de Melhor Atriz, e das mãos de Sophia Loren, Marion Cottilard, Halle Berry e Nicole Kidman. Emocionada, Kate agradeceu até a Peter Jackson, seu diretor em Almas Gêmeas, mas não lembro de ter ouvido o nome de James Cameron.


Sean Penn confirmou o prestígio da categoria de Melhor Ator, que é a aquela que os votantes mais levam a sério. Repare no histórico e entenda a minha impressão. Mickey Rourke? Magnífico! Um retorno extraordinário, mas Sean Penn é mais ator. Sorry. Aliás, Penn fez questão de homenagear Rourke, chamando-o de "um ator corajoso". Seu discurso foi o mais legal da noite. O Melhor Ator, por Milk, disse que a Academia realmente gosta de homossexuais (ótimo), elogiou o país por ter colocado o "elegante" Barack Obama na Casa Branca e tremeu na hora de ler o papelzinho com os agradecimentos. Sean Penn é um monstro, mas também é de carne e osso.

Merecidamente, Penélope Cruz ganhou o Oscar de
Atriz Coadjuvante, por Vicky Cristina Barcelona, das mãos de Eva Marie Saint, Anjelica Huston, Goldie Hawn, Whoopi Goldberg e Tilda Swinton. Pai, mãe e irmã de Heath Ledger subiram ao palco para aceitar o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, por Batman - O Cavaleiro das Trevas. O trio prometeu guardar a estatueta para a filhinha de Ledger, Matilda, que tem apenas três anos. Na platéia, lágrimas nos olhos de vários colegas.


No mais, O Curioso Caso de Benjamin Button conquistou Oscars técnicos e merecidos: Direção de Arte, Maquiagem e Efeitos Visuais. Questão de gosto, mas eu preferia O Cavaleiro das Trevas nessas três categorias. De qualquer forma, merecido. Só não engoli a insistência da Academia em dar prêmio de Melhor Figurino não exatamente para filmes de época, mas para produções sobre... "Realeza". E A Duquesa roubou essa estatueta que pertencia a Benjamin Button.

Também não gostei de um único Oscar para WALL-E, o de Animação. Até fiquei com a impressão do diretor Andrew Stanton recebendo sua estatueta com cara de poucos amigos, pois WALL-E merecia estar entre os indicados a Melhor Filme. Em tempo: Stanton já havia ganho na mesma categoria por Procurando Nemo.

Gostei da perfomance musical de Queen Latifah na parte tradicional da festa que homenageia os talentos que nos deixaram durante o ano. O vídeo terminou com uma ode a Paul Newman. Aproveito para dizer que farei um especial em breve sobre o ator. Na época de sua morte, apenas registrei meu luto. Não fui capaz de dizer mais do que aquilo, mas Newman não foi esquecido pelo blog. Aguardem.

No fim, Steven Spielberg, para variar, entregou o prêmio de Melhor Filme, coroando Slumdog Millionaire. Seria um recado? Spielberg simbolizando Hollywood se unindo a Bollywood? Interessante, não? Neste Oscar em toda a temporada de prêmios, Quem Quer Ser um Milionário?, time pequeno, jogou como time grande. No encerramento do campeonato, deu uma goleada na forte concorrência.

8 Comments:

At 5:44 PM, fevereiro 23, 2009, Blogger Luis Felipe said...

"A definição "Filme certo, na hora certa", por mais reducionista que possa parecer, é, sim, perfeita para o filme de Danny Boyle. Talvez seja o marco de uma mudança de rumos, uma guinada em direção a histórias mais otimistas. O que não significa melhores filmes. Existem filmes bons e ruins, otimistas ou não."

Sobre Slumdog, considero-o excelente até a metade, com as inegáveis semelhanças à Cidade de Deus e tudo mais. Depois perde força. Em parte pela montagem, que concentrou as boas sacadas na metade inicial. Nessa parte, tudo é surpresa, da criatividade do fio-condutor narrativo até a real condição do protagonista. Sem contar o charme do elenco infantil. Depois tudo fica muito óbvio, previsível e piegas. Uma pena...

Sobre Penn vencer Rourke, não acho que seja tanto uma questão de quem é "mais ator", mas sim "quem é melhor visto". Rourke é "outsider" demais para a Academia. O lado bom é que ambos estão impecáveis em seus papéis...

No mais, volto a dizer, achei a seleção do ano passado muito melhor...

 
At 6:08 PM, fevereiro 23, 2009, OpenID cinefilapornatureza said...

Bom, eu concordo com muito do que você escreveu. Adorei o novo desenho do palco, com as pessoas mais próximas dele. Adorei a nova maneira de apresentar as categorias de atuação. Adorei o novo perfil de apresentador, um cara mais showman (só não diria que Jackman foi o melhor Oscar host desde Billy Crystal, pois ainda prefiro o Steve Martin). Mas, o resultado foi que a noite de ontem, apesar de óbvia, foi a melhor festa do Oscar desde a de 2003.

Beijos!

 
At 6:43 PM, fevereiro 23, 2009, Blogger Kau Oliveira said...

Detesto a maneira segundo a qual entregaram as estatuetas de atuação. Claro que eu chorei ao ver aqueles ícones juntos ali, mas sei lá...

Hugh é um cara total multiuso, né? Aquela homenagem aos musicais ficou estupenda!

Sobre os prêmios, me irrita muito ver Slumdog vencendo Mixagem e Trilha...

Abs!

 
At 9:04 PM, fevereiro 23, 2009, Blogger Vinícius P. said...

Que foto bonita essa de "Slumdog", aliás o visual desse Oscar foi impecável, os produtores estão de parabéns! Concordo com a maioria dos seus comentários, mas gostei da festa em sua totalidade, realmente não tenho do que reclamar. Abraço!

 
At 8:53 PM, fevereiro 24, 2009, Blogger Weiner said...

Acho que o cachorro magro só não mereceu o Oscar de mixagem de som, os outros são mais do que bem dados! Nunca na minha vida eu imaginava um filme tão ruim como "Benjamin Button" faturando Oscar, portanto fico feliz demais com a vitória de "Slumdog".
Concordo quanto à Penn. Não acho que um ator que se mostra bem num único filme (Rourke) mereça o Oscar que é de direito de outro ator bem mais talentoso.
Oscar pra Matilda, que cuti cuti. :-)
E, por fim, achei esta a melhor de todas as edições que acompanhei, que não foram poucas. Vejo Oscar desde 1998.
Um abraço!!!

 
At 10:04 PM, fevereiro 24, 2009, Blogger Pedro Henrique said...

Como eu já disse, viva Danny Boyle. E a consagração do cinema independente. Estou muito feliz!

 
At 3:47 AM, fevereiro 25, 2009, OpenID cinevita said...

Realmente tamanho não é documento. Ainda não vi Slumdog, mas adorei a cerimônia e tenho uma certa suspeita de que não irei me decepcionar com os premiados...

Ciao!

 
At 12:42 PM, fevereiro 28, 2009, Blogger Gustavo H.R. said...

Mais um Davi que vence outros Golias cinematográficos.
Valeu a tentativa de repaginar a cerimônia também.

Cumps.

 

Postar um comentário

<< Home