sábado, dezembro 15, 2007

O Globo de Ouro não é mais o mesmo


A maioria dos cinéfilos fala e pensa com o coração. Até outro dia, um grande diretor como Martin Scorsese nunca havia segurado um Oscar. Do ponto de vista do verdadeiro amante do cinema, isso era um absurdo. Assim como Kubrick e Hitchcock, que morreram sem Oscars. Mas, na verdade, isso importa? Com ou sem prêmios, deixamos de amar os filmes?

Para começo de conversa, há muito tempo que os principais prêmios do cinema deixaram de funcionar de forma justa. O importante é que seus integrantes vejam astros, estrelas, produtores, diretores e roteiristas fazendo a publicidade necessária para promover não somente os seus filmes, mas também a indústria e seus respectivos prêmios. É o tal conceito de "arroz de festa". E são festas e mais festas em desfiles de Barbies e Kens. Cinema que é bom... é desse "tamanhinho" aqui, oh...

Enfim, de qualquer forma, prêmios representam a opinião de um grupo. Nada mais. Na lista de indicados ao Globo de Ouro divulgada na última quinta-feira (veja aqui), a impressão que fica é: as pessoas que vivem, sentem, falam, cheiram e idolatram Hollywood gostam de espetáculos. O épico romântico Desejo e Reparação e o musical gótico Sweeney Todd (FOTO) são os grandes favoritos. O filme de Joe Wright é bonito. Há momentos que beiram o sublime, mas não é inteiramente impecável, principalmente o miolo que envolve a Segunda Guerra Mundial. O de Tim Burton, ainda não vi. Mas tem tudo para ser sua consagração. E a de Johnny Depp, que nem tem um Globo de Ouro em sua carreira. O problema para Sweeney Todd, na categoria de Melhor Filme (Comédia/Musical) é Jogos do Poder, de Mike Nichols, que recebeu uma indicação a mais: cinco. E não podemos nos esquecer de Juno. O crítico Roger Ebert, do Chicago SunTimes, o chamou de melhor filme do ano.

Onde os Fracos Não Têm Vez
é o favorito da crítica. O filme dos irmãos Coen, possivelmente, difere de qualquer outro longa do ano por sua narrativa única. Até a metade é maravilhoso, mas depois, eles tomam algumas decisões com a intenção de deixar o filme genial e me pareceu forçada de barra. Ainda assim, a crítica adorou e Onde os Fracos Não Têm Vez pode levar o prêmio de Melhor Roteiro - os Coen ainda não ganharam um Globo de Ouro. Nem por Fargo. Mas em Melhor Filme (Drama), deve ser preterido por Desejo e Reparação.

Mas como acreditar num prêmio de verdade sem a indicação do lendário diretor Sidney Lumet? Alguns arriscam que ele fez seu melhor trabalho em Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto. E olha que ele já fez Serpico, Um Dia de Cão e Rede de Intrigas. Elogiadíssimo, o longa foi esquecido pelo Globo de Ouro. O problema é que a indústria já "aposentou" o grande Sidney Lumet há tempos.
Mas ele não entendeu isso e entregou um filme que quase todo mundo adorou.

O que dizer da ausência de Into the Wild e Sean Penn nas categorias principais? Se sete filmes são indicados na categoria principal, entendo que ainda cabe mais um. Ou mais dois. E Ratatouille? Sinceramente, a Pixar fez melhor do que muita coisa aí nessa lista geral. Só recebeu uma indicação como Melhor Animação. E talvez nem ganhe. O que dizer de Marion Cotillard, que pode não levar uma estatueta por Piaf - Um Hino ao Amor? Não disse que não vai ganhar. Mas ela deveria ter entrado com o status de "barbada".

Mais uma vez, o diretor Paul Thomas Anderson foi ignorado. Muitos gostam de seu trabalho. É inegável a sua contribuição para a renovação da indústria. Então, por que deixam ele de fora? E, meu Deus, onde está Zodíaco? Eles não devem gostar de David Fincher. Esse foi um dos melhores filmes do ano. Cadê Tommy Lee Jones, que entregou não uma, mas duas performances arrebatadoras em No Vale das Sombras e Onde os Fracos Não Têm Vez?

O Globo de Ouro tem a fama de ser a prévia do Oscar. Mas nem é mais. Não 100%. O Critics' Choice Awards vem batendo com a lista do Oscar nos últimos anos com muito mais precisão. E desde 2003 que o vencedor do Globo de Ouro de Melhor Filme não repete a façanha no Oscar. Será que a Academia nem liga mais para a Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood? Pode ser. Eu não ligo mais.

10 Comments:

At 8:35 PM, dezembro 15, 2007, Blogger Kamila said...

Otavio, a maior prova de que a gente continua ligando para o Globo de Ouro está no seu próprio texto. :-)

A gente continua a discutir as injustiças, os esquecimentos. E, quer queira ou quer não, alguns dos nomes vistos no GG estarão no Oscar - vencendo ou não.

Concordo em relação ao fato de que o Critics Choice Awards, hoje, é um indicador bem melhor do prêmio da Academia. Mas, o Globo de Ouro ainda tem sua importância.

Beijos.

 
At 10:58 PM, dezembro 15, 2007, OpenID cinevita said...

Ótimo post, e concordo que premiações não mudam nossa valorização por cinema e por certos filmes. Com o passar dos anos, foram raros os filmes que adoro de verdade que foram consagrados por premiações como o Globo de Ouro ou até mesmo o Oscar. Nós vemos, torçemos e nos envolvemos na premiação por impulso, por diversão, mas não podem ser levados tão a sério. Ás vezes acho que nós (pelo menos eu) superestimamos demais tais premiações. O Globo realmente cometeu inúmeros equívocos, como em muitos outros anos já havia cometido. O que podemos fazer é relaxar, aceitar e torcer para que os que nós veneremos sejam os escolhidos. Se o Oscar fosse justo, mas justo mesmo, não existiria FYC, e todos os membros veriam todos os filmes do ano. Não dúvido que Ashley Judd não será indicada por Bug, pelo motivo de ser um filme pequeno, barato e que não teve hype nenhum. A Academia a esquecerá, mesmo sendo uma das mais brilhantes performances do ano. Uma pena, mas é assim que funciona.

Ciao!

 
At 9:47 AM, dezembro 16, 2007, Blogger Marfil said...

Mas enfim, eis a prévia do Oscar.

 
At 6:14 PM, dezembro 16, 2007, Blogger Alex Gonçalves said...

A festa do Globo de Ouro não tem o mesmo prestígio que o Oscar, mas costuma acertar muito mais do que a maior premiação anual de cinema. Gosto bastante da lista de melhores do Globo de Ouro, pois é relacionado filmes bem distintos entre si, sempre constando filmes para gostos diversificados. Mas fico incomodado com essa divisão de categorias, como melhor musical/comédia e melhor drama.

 
At 6:32 PM, dezembro 16, 2007, Blogger A Sala said...

Gostei demais do texto, mesmo porque foi com este sentimento de revolta (e até descaso) que recebi a lista dos indicados. Que filmes mais recentes são previlegiados é fato, mas isso não se restringe apenas ao tempo. Parece uma espécie de propaganda acertada para que os filmes rescém lançados estejam no alvo dos espectadores. Prova disso é mesmo Zodíaco. O filme é de um roteiro impressionante (que tranformou o livro mais ou menos do Robert Garysmith numa verdadeira jóia) e sequer é indicado.

Não digo que os filmes indicados são ruins, alguns deles são aguardados por mim com ansiedade. Mas não dá para deixar de lado a revolta por filmes de verdade serem deixados de lado. Eu, por exemplo, trocaria sem problemas o roteiro de Desejo e Reparação por Zodíaco...

 
At 7:01 PM, dezembro 16, 2007, OpenID Vinícius P. said...

Eu gosto do Globo de Ouro apesar de tudo. Claro que o Oscar aindaé o grande prêmio do cinema (por mais que muita gente fale que não), mas o GG também tem seu charme. Acho que "Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto" já era, assim como "Zodíaco" e "Ratatouille" (uma pena, pois esses dois últimos são os melhores filmes do ano). Minhas apostas vão para "No Country for Old Men", que para mim tem muito mais chances do que "Atonement". Já entre as comédias/musicas, só vai dar "Sweeney Todd".

Abraço!

 
At 9:32 PM, dezembro 16, 2007, Blogger Otavio Almeida said...

Valeu, pessoal!

E olha que eu nem citei TV... Onde está FAMÍLIA SOPRANO?????

Abs a todos!

 
At 10:20 AM, dezembro 17, 2007, Blogger Museu do Cinema said...

Nossa Otávio, vc ficou irritado mesmo hein!

Eu confesso a vc que há muito tempo enxergo esses prêmios como ele vem tentando se passar, uma grande festa do cinema, não necessariamente escolhendo os melhores do ano, mas invariavelmente premiando as estrelas do ano, ou o que foram mais falados.

Se pararmos para pensar em quem são os nomes mais significativos de Hollywood atualmente, a lista passaria pelos nomes de Fincher, PTA e Tarantino sem duvidas, para quem quer q seja, mas eles são ignorados ano pós ano. Esse ano o PTA tentou, mas pelo visto não irá conseguir, apesar dos burburinhos terem crescido com o esquecimento do globo de ouro...

O Fincher nem tentou, e, apesar de Zodiaco ser um dos belos filmes do ano sem duvida, ele foi lançado ano passado para esses prêmios.

Por isso Otávio, costumo pegar dois ou três indicações que gostei e torcer por eles. Esse ano foram os irmãos Coen, Javier Bardem, o melhor ator da atualidade de longe, e There Will Be Blood, que nem vi, mas já gosto.

 
At 10:43 AM, dezembro 17, 2007, Blogger Otavio Almeida said...

É, Cassiano... Vida que segue. Por mais estranho que seja dizer isso (como vc): "Não vi THERE WILL BE BLOOD, mas já gostei".

Abs!

 
At 8:44 PM, dezembro 17, 2007, Blogger Wanderley Teixeira said...

o Q MAIS ME IRRITA oTÁVIO, É Q NOS ULTIMOS ANOS TEM SE FORMADO UMA PATOTA, UM GRUPINHO DE FAVORITOS, Q FAZENDO QUALQUER COISA SÃO INDICADOS, COMO É O CASO DO EXECRADO ELIZABETH Q RENDEU UMA INDICAÇÃO A ATRIZ, FORA Q COTILLARD FOI INDICADA NA CATEGORIA MUSICAL, ESTRATAGEMA PARA INCLUIR NOMES COMO OS DE FOSTER E BLANCHETT? NAUM SEI, MAS DESCONFIO. MESMO COM ALGUMAS DISCORDÂNCIAS, GRANDE PARTE DESSES FILMES MERECE SER VISTO MUITO MAIS DO CERTAS PORCARIAS Q VEMOS DURANTE TODO ANO.NEM FALO DAS AUSÊNCIAS CITADAS POR TI.INTO THE WILD E BEFORE THE DEVIL KNOWS YOU'RE DEAD.

 

Postar um comentário

<< Home