segunda-feira, fevereiro 11, 2008

O homem que enfrentou o tubarão

"You're gonna need a bigger boat."

Essa é uma das falas mais famosas do cinema. Dita pelo Chefe de Polícia Martin Brody num dos momentos mais aterrorizantes de Tubarão, a frase expressa o tamanho do problema que sua tripulação enfrentará nos mares de Steven Spielberg. É uma daquelas cenas que acontecem somente de tempos em tempos.

Na pele do ator norte-americano Roy Scheider, Brody é um dos personagens marcantes do cinema hollywoodiano da década de 70. Não é famoso. Mas Brody tem uma imagem impactante no filmaço de Spielberg. Suas atitudes em lutar contra o prefeito da pacata cidade de Amity, que não quer fechar a praia na lucrativa temporada de verão devido à presença de um "suposto" tubarão, colocam Martin Brody num verdadeiro representante da rebeldia que marcou os anos 70. No fim, ele estava certo. Roy Scheider é tão bom nesse papel, que fica difícil imaginar outro em seu lugar. Mesmo numa época de Jack Nicholsons, Al Pacinos e Dustin Hoffmans. Tubarão foi o primeiro blockbuster de Hollywood.

O grande Roy Scheider morreu ontem aos 75 anos. Foi indicado ao Oscar duas vezes: Melhor Ator, pelo fantástico All That Jazz, o réquiem de Bob Fosse, e Melhor Ator Coadjuvante, por Operação França - ele é o parceiro de Gene Hackman no policial de William Friedkin. É importante ressaltar que Operação França inaugurou uma febre de filmes com duplas policiais, e All That Jazz foi um musical transgressor em sua época (e incomoda até hoje).

Apesar de All That Jazz, Tubarão e Na Calada da Noite, de Robert Benton, Scheider foi mesmo um coadjuvante de luxo. Foi um ótimo apoio para Dustin Hoffman em Maratona da Morte, que eu adoro, e para Jane Fonda e Donald Sutherland, em Klute - O Passado Condena, além de Sean Connery e Michelle Pfeiffer, em A Casa da Rússia.

Para os fãs de ficção científica, Scheider será lembrado como o protagonista de 2010 - O Ano em que Faremos Contato, a seqüência de 2001 recebida a pedras. Não chega aos pés da obra-prima de Kubrick, mas visto hoje, até que é um filme bem interessante. Seu último papel relevante foi o Capitão Nathan Bridger, da série de TV SeaQuest DSV, dos anos 90. Recentemente, Scheider fez participações especiais em séries como Law & Order - Criminal Intent e Third Watch.

12 Comments:

At 4:09 PM, fevereiro 11, 2008, Anonymous Wally said...

O cara morreu e não vi nenhum filme dele. Uma pena...Em homenagem pegarei Tubarao e Operação França esse mes para ver.

Ciao!

 
At 4:41 PM, fevereiro 11, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

É, Wally. Aluga TUBARÃO. Lembre-se de que o filme foi feito em 75. E que não havia efeito digital. A música é personagem do filme. Veja como funciona.

E depois tenta ver CLOVERFIELD. E compare o suspense dos dois.

Abs!

 
At 6:14 PM, fevereiro 11, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

Segunda perda para o cinema mundial em menos de um mês.
Triste, lamentável, porém, cumpriram suas tarefas.

Abraço!!

 
At 7:06 PM, fevereiro 11, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

É, Pedro. Mas Heath Ledger ainda era jovem e tinha um longo caminho pela frente, não?

Acho que Roy Scheider fez o papel dele muito bem.

Abs!

 
At 7:37 PM, fevereiro 11, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

Ledger,o que fez, fez bem. Porém, realmente poderia ter feito mais.

Até mais.

 
At 7:47 PM, fevereiro 11, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Com certeza! E ainda deixou mais duas surpresas pra gente. Duas, não?

Abs!

 
At 8:50 PM, fevereiro 11, 2008, Blogger Kamila said...

Otavio, só me lembrava do Roy Scheider em "Tubarão", mas lendo aqui seu texto me dei conta de que já vi mais filmes com ele do que eu imaginava... Acho que ele é um daqueles atores que a gente conhece a fisionomia, mas não se lembra muito do nome, e que sempre dá performances marcantes.

Belo tributo!

 
At 10:33 PM, fevereiro 11, 2008, Anonymous Vinícius P. said...

Gostei da homenagem, nem sabia sobre sua morte. Apesar de gostar de "Tubarão", não lembro de nada da participação do Scheider nesse filme. Amo "All That Jazz", nem lembro quem venceu o Oscar naquele ano, mas ele merecia.

Abraço!

 
At 11:28 PM, fevereiro 11, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Obrigado, Kamila!

Vinicius, em 79, o Oscar de Melhor Filme ficou com KRAMER VS. KRAMER. Mas acho que meu favorito entre os indicados é APOCALYPSE NOW.

Abs!

 
At 11:37 PM, fevereiro 11, 2008, Anonymous Vinícius P. said...

Não vi "Apocalypse Now", acredita? Mas prefiro "All That Jazz" a "Kramer vs. Kramer". Ao menos o de melhor ator o Scheider deveria ter vencido...

 
At 1:27 AM, fevereiro 12, 2008, Anonymous Weiner said...

É verdade, ele fez "Operação França", havia me esquecido. Vi também "Tubarão", e adoro. Não acompanhei a carreira dele muito, mas sabia que tinha talento. E morte é sempre muito triste, que a família encontre conforto. Obrigado pelos comentários lá no blog.
Abraços!

 
At 10:29 AM, fevereiro 12, 2008, Blogger Museu do Cinema said...

Celebridades sempre morrem em 3, como dizia um filme do detetive Dirty Harry.

 

Postar um comentário

<< Home