quarta-feira, julho 23, 2008

Batman - O Cavaleiro das Trevas


Dentro de uma sociedade, em qualquer época, heróis e vilões ajudam a escrever a História. Homens loucos, gananciosos, corajosos ou perversos desenham cenários dignos de lendas ou mitos. Sempre foi assim. O que poucos param pra pensar é que o homem que se torna lenda é um sujeito de carne e osso, um fruto da sociedade na qual ele vive. Para quem ouve as histórias, no entanto, o que importa é somente a lenda. Ou o mito. Não interessa se o conto é inteiramente verdadeiro ou não. As pessoas precisam de lendas e mitos de heróis e vilões em suas vidas.

Para chegar nesta conclusão, o diretor Christopher Nolan fez de Batman - O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight, 2008) não exatamente uma seqüência de Batman Begins, mas seu complemento. A primeira parte não deixa de ser um "filme de super-herói", mas antes de Nolan reinventar o Homem-Morcego, o cinema jamais havia mostrado um filme do gênero com os pés no chão; dentro de nossa realidade.

Já em O Cavaleiro das Trevas, o diretor não teve medo da pressão e da cara feia dos fãs de um personagem adorado por gerações. Com o sucesso de Batman Begins, ele ganhou mais liberdade para tomar decisões e atravessou os limites da fórmula "filme-baseado-em-quadrinhos". Se O Cavaleiro das Trevas pode ser definido por um gênero, não me diga que temos aqui mais um "filme de super-herói". A estética visual e o conteúdo de O Cavaleiro das Trevas vêm do cinema brutal e político dos anos 70. Como conseqüência, Nolan fez um épico policial moderno e intimista com mocinhos e bandidos verossímeis, que reagem à violência e ao caos de seus tempos - mesmo que o tira em questão utilize uma fantasia de morcego.

Mas o gênero policial é apenas o território e a estrutura. O que Nolan quer dizer é algo muito maior. Em um típico "filme de super-herói", como Homem-Aranha, Superman, Homem de Ferro e até Batman Begins, o herói triunfa sobre o ambiente desenvolvido pelas falhas do governo e suas conseqüências na sociedade. Com uma análise mais profunda do que podemos ver na Hollywood de hoje sobre as origens do bem e do mal, Chris Nolan vai além em sua alegoria política e social. No estudo proposto pelo diretor em O Cavaleiro das Trevas, heróis e vilões são derrotados. Todos perdem, mas o ambiente permanece. Resta o mito ou a lenda. As histórias vivem para sempre em contos, livros e canções. Para Chris Nolan, o bem não existe sem o mal. E vice-versa. Um completa o outro. Essa é a forte conexão entre o Batman e o Coringa.

Na mitologia de Gotham City, o herói ideal nasce do caos. Os criminosos atrás de dinheiro e poder não são páreos para o Batman. Mas como tudo é parte de um ciclo, o perfil do Coringa é o resultado inevitável e previsível da gênese do Homem-Morcego. Ambos nasceram do mesmo caos. Porém, a evolução do tipo de vilão rompe com qualquer regra ou objetivo. Com isso, o herói não consegue compreender seu inimigo. Então, como derrotá-lo? Adepto máximo da anarquia, o Coringa de Heath Ledger é um psicopata, um agente do caos. Ele quer mostrar que qualquer um é capaz de roubar, matar, mentir ou agredir quando a lei e a ordem desaparecem. Infelizmente, não importa se você concorda ou não, o Coringa tem razão. Ou, pelo menos, Heath Ledger prova que sim.

Para pegar o Coringa, que inspira o mal e a histeria coletiva, o incorruptível Batman questiona se ele deverá quebrar as regras do jogo. Antes de chegar neste ponto, o herói pensa em se aposentar e acredita que a esperança de Gotham reside na figura do promotor Harvey Dent (Aaron Eckhart), um justiceiro que, ao contrário dele, mostra seu verdadeiro rosto ao povo. Mas numa sociedade à beira do caos, como diz o promotor a Bruce Wayne/Batman (Christian Bale), "ou você morre como um herói, ou vive tempo suficiente para se tornar o vilão." Por isso, Harvey Dent é o mediador de todos os conflitos do filme - o bem e o mal, a ordem e a anarquia, Batman e o Coringa.

Dentro desta análise aparentemente louca, a base do roteiro de Christopher Nolan (e seu irmão Jonathan Nolan) não é o Batman clássico dos quadrinhos. Para chegar à conclusão de que tudo passa, mas a lenda permanece, O Cavaleiro das Trevas desconstrói heróis e vilões de forma niilista num filme policial violento cheio de camadas complexas e surpreendentes - algumas visíveis aos olhos do espectador, enquanto outras nem tanto.

Pensando assim, seria injusto com Aaron Eckhart se todos falassem somente da atuação "possuída" de Heath Ledger, que desaparece para dar lugar ao Coringa. Seria injusto com Gary Oldman, perfeito como o contido e correto Comissário Gordon. É ele quem "vive" para contar a história e divulgar a lenda. Seria injusto com o ótimo trabalho de direção de Chris Nolan - ele é talentoso ao orquestrar ação, tensão, drama e diálogos memoráveis, além de ser extremamente competente na hora de arrancar o máximo de seus atores. Nolan também lembra como a trilha sonora é importante num filme. Composta por James Newton Howard e Hans Zimmer, a música é aproveitada de maneira clássica pelo diretor - ela empolga nas atitudes heróicas do Batman, emociona quando o drama é exigido e coloca os nervos da platéia à flor da pele com um ruído irritante que antecipa a entrada do Coringa em cena. O Palhaço do Crime está magnífico, você sabe, porém o mais impressionante, ao compreender as intenções do filme, é constatar que a atuação de Heath Ledger é apenas parte de um plano comandado pelo diretor.

No fim, Batman Begins e O Cavaleiro das Trevas formam um filme completo. Vejo a saga do Batman de Chris Nolan como um ciclo. Muita gente espera que o final emocionante, poético e inesperado seja reduzido a um gancho perfeito para a terceira parte. Ela deverá existir, claro, mas temo pelo futuro da série. Colocar Batman contra o Pingüim ou a Mulher-Gato pode deixar a inevitável continuação um tanto repetitiva. Nolan mostrou que Batman é conseqüência do caos. Assim como o Coringa, que veio em seguida para provar ao herói que o bem e o mal são apenas pontos de vista diferentes. O próprio Coringa diz ao Batman que ambos estão destinados a uma luta eterna. Então, a mensagem já foi passada. Não há razão para continuar uma série que chegou ao topo da genialidade artística.

Para terminar, um grande filme não se prende a um gênero só, mas se você insiste que Christopher Nolan fez mais um "filme de super-herói", então existe o "antes" e o "depois" de O Cavaleiro das Trevas.

Batman - O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight, 2008)
Direção: Christopher Nolan
Roteiro: Jonathan Nolan e Christopher Nolan (Baseado nos personagens criados por Bob Kane)
Elenco: Christian Bale, Heath Ledger, Aaron Eckhart, Gary Oldman, Maggie Gyllenhaal, Morgan Freeman, Michael Caine e Eric Roberts

57 Comments:

At 7:26 PM, julho 23, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, vc já entrou no site americano oficial do Cavaleiro das Trevas? É muito legal, está recheado de extras e o visual é fantástico. Agora se vc quiser rir, vá na seção de trailers na versão brasileira (sempre mais pobre)e escolha a opção de trailer dublado. O cara que dubla a voz do Coringa é arrepiante (no pior sentido) e chega a ser até engraçado de tão ridículo. Vc soube da notícia que Christian Bale foi preso por ter batido na mãe e na avó? Cruzes! Baixou o Coringa no homem...

 
At 7:40 PM, julho 23, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Bela crítica, Otávio. E também como você, temo pela terceira parte dessa chamada "trilogia". Nolan disse que talvez desista, mas tanto ele como os atores principais tem contratos para mais um filme. O inevitável deve acontecer, o que será uma terceira parte mais fraca que a segunda. Ele deve fazer na sequência um ótimo filme de ação, mas como superar essa obra-prima? Impossível. Se ele conseguir fazer um filme no mesmo nível, eu tiro o meu chapéu para ele e já o coloco na minha galeria de melhores diretores de todos os tempos. E acho que a única maneira de isso acontecer é manter o Coringa no terceiro filme e rezar para que um ator tão talentoso como Heath Ledger assuma o papel. Concorda?

 
At 7:45 PM, julho 23, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Tem uma outra notícia que diz que quem Christian Bale agrediu foi a mãe e a irmã...

 
At 7:57 PM, julho 23, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Obrigado, Denis! Concordo com você. Ainda não li sobre essa confusão com o Christian Bale. Mas sei que ele foi preso por agressão. Mas pagou fiança, etc. Ele tem grana. Ele é o Bruce Wayne.

Abs!

 
At 8:39 PM, julho 23, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Ele é o Bruce Wayne, o poder subiu na cabeça, rsrs. "Ou você morre como um herói, ou vive tempo suficiente para se tornar o vilão".

 
At 9:12 PM, julho 23, 2008, Anonymous Kamila said...

Otavio, sua crítica está excelente. Parabéns! Eu acho que Nolan redefiniu as adaptações de heróis dos quadrinhos já em "Batman Begins". Por mais que eu ainda não consiga enxergar esse aspecto cinco-estrelas de "O Cavaleiro das Trevas", reconheço que é um belíssimo filme e que vai definir as futuras continuações.

Beijos!

 
At 10:51 PM, julho 23, 2008, Blogger Johnny Strangelove said...

Daqui a pouco quando Watchmen sair ... vai surgir o antes de Watchmen e depois de watchmen e blablabla


porém estão prezando pela qualidade e o furor pela novidade ...



e não vi o filme ...

 
At 11:04 PM, julho 23, 2008, Blogger Mateus said...

bom, infelizmente não consegui definir se gostei ou não de Batman, por incrível que pareça, mas em breve vou revê-lo. Boa crítica.

Abraço
Mateus

 
At 10:19 AM, julho 24, 2008, Anonymous Robson Santos Costa said...

Pra mim esse filme no cinema em relação às adptações e HQs está tendo e terá o mesmo impacto que O cavaleiro das trevas (a revista) e watchmen tiveram pros quadrinhos nos anos 80. Esse filme é a primeira "Graphic-Novel" feita no cinema os outros eram boas histórias de edições mensais.

 
At 10:39 AM, julho 24, 2008, Anonymous Robson Santos Costa said...

Ah mais duas considerações:
1-Não concordo absolutamente quando vc diz que não é o Batman clássico dos quadrinhos. Como assim???? Pela primira vez na vida eu vi, presenciei o Batman clássico dos quadrinhos nas telas, esse é o Batman da "A Piada Mortal"; "Asilo Arkhan" e tantas outras HQs memoráveis, esse é o Batman dos quadrinhos sim.
2-Concordo que o Ledger está magnífico mas realmente o filme é de todos. E mérito da história e direção. Poucas vezes vi um filme onde a divisão de tempo para os atores é tão perfeita, todos podem mostrar seu talento, há espaço pra todo mundo e todos fizeram seu melhor.
Quero ver de novo. Considero desde já esse filme um marco do cinema contemporâneo e deveria ser indicado ao Oscar. Não é exagero é Cinema com C maiúsculo em todos os aspectos: direção, atuações, trilha, tudo. Pode não ganhar (pois não sei os concorrentes) mas merece concorrer. Além disso seria um sinal de respeito indireto aos quadrinhos que são a fonte original. Pois não há nada no filme que eu já não tenho lido nas HQs do personagem mas foi tudo transportado na forma de Cinema de maneira magistral. O Senhor dos Anéis (fantasia) não ganhou?
Ainda queria escrever mais mas o texto tá grande, desculpa.

 
At 11:01 AM, julho 24, 2008, Blogger Alex Sandro Alves said...

O filme é ótimo, mas poderia ser menor. Heath Ledger é estupendo, mas Gary Oldman é maravilhoso.

Acho pouco provável que não aja um terceiro filme. Mas será primordial manter a mesma equipe para que o padrão de qualidade seja mantido.

E outra coisa: que Robin e BatGirl não aparecam de forma alguma.

 
At 11:14 AM, julho 24, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Kamila, obrigado! Achei um filmão! Bjs!

Johnny, veja o filme. Não consigo imaginar você desaprovando este filme. Abs!

Robson, eu quis dizer que isso AGORA é cinema. Finalmente. Acho que o filme é um policial em grande escala. Um épico setentista. Esteticamente, o filme não lembra uma história em quadrinhos como... 300, do Zack Snyder. Pode ser o Batman dos sonhos dos fãs das HQs, mas finalmente eu vi cinema aí. Para mim, esse é o Batman do cinema. Não dos quadrinhos. Entendeu? Abs!

Mateus, obrigado! O filme tem muita informação. Vi pela segunda vez e Nolan não deixou nenhum buraco. Tudo faz sentido. Talvez você goste mais do filme pela segunda vez. Abs!

Alex Sandro, também torço para que o Robin e a BatGirl jamais apareçam. Abs!

 
At 12:21 PM, julho 24, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio,os fãs puranistas das HQs quererm aquele Batman e isso é difícil de conseguir por 2 motivos: O cinema é uma outra mídia, portanto sempre será diferente daquilo que é baseado, e segundo, em megaproduções como essa, o dinheiro envolvido dita as regras e é incrível como realmente deixaram o Nolan trabalhar à vontade nesse filme, pois muitos caras não teriam nem metade da liberdade que ele teve em TDK e por isso ele foi bem sucedido até demais. E uma das lições que ele aprendeu com o primeiro Batman, de 89, é que um vilão tão carismático como o Coringa não pode roubar todo o filme para si, e deixar o super-herói em segundo plano. Abs.

 
At 12:29 PM, julho 24, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Uma das exigências de Christian Bale (e isso está em contrato) é que o Robin não apareça em nenhum dos 3 filmes. O Robson tem razão que esse filme é o Batman mais fiel em relação às HQs, mas mesmo assim foram feitas muitas mudanças para o filme. A diferença aqui é que essas mudanças foram extremamente felizes e bem escolhidas. Só que o grande diferencial aqui é que Nolan elevou o filme um degrau acima de qualquer outro filme baseado em HQs, e isso é muito mais difícil do que fazer um HQ bem escrita, pois no cinema são diversos elementos que podem sair fora de controle.

 
At 3:10 PM, julho 24, 2008, Anonymous Robson Santos Costa said...

Ah tá Otávio, nesse sentido eu concordo.
Realmente fizeram um filme de cinema mesmo, utilizando a linguagem do cinema, com personagens de quadrinhos. Isso é fato. Não tentaram imitar outra linguagem - que seria a dos quadrinhos. E, por mais paradoxal que isso possa parecer, terminou que foi um dos filmes mais fidedignos aos quadrinhos já feitos até hoje. Simplesmente porque foi levado a sério e realmente(como o Denis disse), acredito que com pouca interferência dos chefões da Warner e feito com linguagem cinematográfica.
Mas estou sorrindo (nenhuma relação com o Coringa) até hoje de felicidade por ter saindo um filme que me agradou tanto.
Agora é esperar Watchmen, estou com um receio enorme....pois já vimos que vão tentar utilizar linguagem dos quadrinhos no cinema de novo...
E sobre o filme concorrer ao Oscar? O que vcs acham? Exagero de minha parte?

 
At 4:02 PM, julho 24, 2008, Blogger Robson Saldanha said...

Podemos dizer que essa continuação é melhor, sim, do que Batman Begins. Uma direção super competentes com atuações excelente, seguidas de boa maquiagem e um som alucinante. Ledger fechou sua carreira com chave de ouro, isso deixa-nos triste pois era um talento que surgia brilhantemente.

 
At 4:14 PM, julho 24, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Denis, que o Robin descanse em paz! O legal em TDK é que o Coringa está excelente, mas não necessariamente rouba o show. O filme ainda é do Batman. Ainda mais com aquele final monumental (Because he's not a hero. He's a silent guardian... a watchful protector... a dark knight.)

Isso, Robson! Falo de linguagem! Olha... eu torço pelo filme no assunto premiações. Mas a minha amiga Kamila pode falar das chances do filme bem melhor do que eu. Sei que há um buzz em torno do Heath Ledger. Mas o fato é que o filme merece uma indicação, assim como Nolan (pela direção e pelo roteiro).

Agora o outro Robson: Pois é, o Heath Ledger provou de uma vez por todas que vai fazer falta. E além de ser melhor do que BATMAN BEGINS, THE DARK KNIGHT funciona como um complemento perfeito para o primeiro filme.

Abs!

 
At 4:56 PM, julho 24, 2008, Anonymous Robson Santos Costa said...

Um momento viagem pra descontrair:
Suposições de um terceiro filme:
Robert DeNiro como Pinguim????(Faz tempo que ele não faz um grande papel). Edward Norton ou Jude Law como Charada??? Só suposições.
Um terceiro filme tão bom quanto esse seria ótimo, melhor quase impossível (mas não impossível, nunca digo nunca).

p.s.: quero o Nolan dirigindo um filme decente do Constantine, o personagem merece.

 
At 5:26 PM, julho 24, 2008, Blogger Luis Fernando said...

Otavio esse filme para você é livre?

Eu posso levar uma criança para assisitir o filme nos cinemas?

 
At 5:34 PM, julho 24, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Robson, meu colega Wanderley, do blog ESPAÇO LUMIERE (http://espacoolumiere.blogspot.com/) comenta isso no último post dele. Como ele, eu gostaria de ver Philip Seymour Hoffman como o Pingüim e Charlize Theron como a felina. Mas o Charada... hmm... Norton seria legal, mas acho que a Marvel não deixaria, afinal ele é o Hulk. Mas seria uma ótima escolha.

Luis Fernando, depende da idade ou da personalidade da criança. Acho que o ideal é a partir de 10 anos. Mas tem uma criançada de sete anos com cabeça de 10... O problema é que o Coringa é o Cão. E o filme é longo.

Abs!

 
At 6:14 PM, julho 24, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, a fala final do filme é poesia pura e não poderia fechar melhor. Esse final ficou excelente e não precisou deixar aquela dúvida no ar se haverá continuação ou não, afinal um grande filme merece um grande final. Há tantas falas geniais nesse filme que mesmo após vários dias vc ainda relembra, e isso mostra o quanto o filme é bom, pois entretenimento rápido você esquece no dia seguinte ou assim que sai da sala de cinema. Naquela cena em que o Coringa vai soltar a Rachel Dawes do edifício e Batman fala: "Let her go" e o Coringa responde "Poor choice of words". Os diálogos na sala de interrogatório entre Batman e Coringa e no hospital entre Coringa e o agora Duas-Caras são brilhantes. E Nolan conseguiu usar o Duas-Caras de modo sensacional, pois ele é uma espécie de mediador entre Batman e Coringa com a sua dupla personalidade.

 
At 6:28 PM, julho 24, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Sim! Falas como "No, no... I kill the bus driver!" ou "I believe whatever doesn't kill you simply makes you... STRANGER!" ou "I'm gonna make this pencil disappear."

 
At 6:48 PM, julho 24, 2008, Anonymous Anônimo said...

Genial, Otavio!! Adorei teu texto!! De acordo com o topo da genialidade artistica!! Mas nao nos preocupemos com a sequencia..de qualquer maneira o Chris Nolan ja marcou sua genialidade tambem!! Abracos e obrigado!!

 
At 6:51 PM, julho 24, 2008, Anonymous Anônimo said...

Let's not blow this out of proportions…
ME?? I was here the whole time...
I'm gonna make this pencil disappear..
HA HA HA

 
At 7:01 PM, julho 24, 2008, Anonymous Anônimo said...

Nao sei como fazer para nao sair Anonimo..

 
At 7:02 PM, julho 24, 2008, Anonymous Anônimo said...

O melhor filme do ano, cinco estrelas super merecidas!

 
At 7:05 PM, julho 24, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Anônimo, muito obrigado! HA HA HA HA HA... And I thought my jokes were bad...

 
At 7:33 PM, julho 24, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, it´s simple. Kill the Batman... Agora em relação ao elenco, todos atores estão excelentes, só não achei tão boa a interpretação da Maggie Gyllenhaal em relação ao elenco principal. Entenda, ela está bem no filme, mas eu esperava mais, pois ela é uma atriz muito mais talentosa do que a Katie Holmes. (ATENÇÂO SPOILER) Lembrei de mais uma coisa muito legal no filme, a cena logo após a morte dela em que Michael Caine retira a nota da bandeja de café em que ela escreve um recado dando um batfora em Bruce Wayne. Imagina se ele tivesse lido a nota? Teríamos uma sequência chamada Batman Depression, rsrsrs!

 
At 7:36 PM, julho 24, 2008, Anonymous Denis Torres said...

A terceira parte se chamaria BATMAN DEPRESSION e o psicólogo do Batman/Bruce Wayne seria o Coringa! rsrsrs

 
At 8:53 PM, julho 24, 2008, Anonymous Kamila said...

Otavio, me desculpa porque eu não tinha visto o questionamento ali em cima.

Acho que "O Cavaleiro das Trevas" será lembrado na temporada de premiações. Acredito que as maiores chances do filme são nas seguintes categorias:

Melhor Ator Coadjuvante | Heath Ledger
Melhor Maquiagem
Melhor Efeitos Visuais
Melhor Som
Melhor Edição de Som

Com possibilidades de receber outra em Melhor Edição.

Tem gente levantando a possibilidade de indicações para Melhor Filme e Diretor. Acho que isto é mais difícil de acontecer.

Beijos!

 
At 8:54 PM, julho 24, 2008, Blogger Wiliam Domingos said...

Prefiro não fazer resenhas de filmes assim, pq sei que uma galera grande fará e muito bem, como você fez aqui. Muito bom o texto. Direção, roteiro, técnica e agilidade. Tudo muito eficaz, funciona e muito bem. O filme é bonzaço!

 
At 10:21 PM, julho 24, 2008, Anonymous Vinícius P. said...

Esperei até ver o filme para poder comentar com mais propriedade aqui. Não poderia concordar mais com seu texto, que realmente merece os elogios de todos. "The Dark Knight" não pode ser visto com um simples filme de super-herói, até porque a evolução desde "Batman Begins" realmente me surpreendeu. Talvez o Nolan teve mais liberdade agora para trabalhar questões pouco comuns no gênero, realizando algo memorável em todos os sentidos (foi assim que também percebi que o desempenho excepcional do Ledger pertencia a algo maior, algo meticulosamente construído). Abraço!

 
At 10:28 PM, julho 24, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

Depois comento sobre o filme, agora não vai dar porque vou para festa comemorar a maior goleada do campeonato até agora e a liderança. Da próxima vez seca mais que nós faremos 10 de uma vez!!!

Abraço, Otávio!!!

 
At 10:45 PM, julho 24, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Caraca, 7 a 1 foi demais, ainda mais na casa dos caras. Alguém anotou a placa do caminhão? Atropelou geral!

 
At 10:48 PM, julho 24, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, sobre a segunda parte do longa Arquivo X que estréia amanhã eu só digo uma coisa: I want to believe, but it is gonna be difficult...

 
At 11:14 PM, julho 24, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Outra grande fala do Coringa:

Do you wanna know why I use a knife? Guns are too quick. You can't savor all the...little..emotions. And you see..in their last moments people show you who they really are. So, in a way, I know your friends better than you ever did. Would you like to know which one of them were cowards?

 
At 12:33 AM, julho 25, 2008, Blogger Mateus said...

Realmente, "Blindness" está prometendo se sair muito bem, agora é só aguardar um pouco mais de uma mês para conferir o resultado dessa divulgação toda.

Abraço
Mateus

 
At 2:03 AM, julho 25, 2008, Anonymous Wally said...

O texto ta excelente Otavio! Fez jus ao emblemático e maravilhoso épico de Nolan, que me surpreendeu e me deixou completamente impressionado. Ainda não consegui tirá-lo da cabeça. Como você, vou revê-lo. Talvez assim eu pare de me pertubador com as memórias da performance eletrizante de Ledger. É um filmaço 5 estrelas sem um pingo de dúvida.

Agora, uma pergunta bem difícil, visto o quanto de filmes excepcionais deste ano, qual é o seu preferido definitivo até agora?? (incluindo Sangue Negro)

Ciao!

 
At 10:57 AM, julho 25, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Robson, a Kamila já fez as previsões para o Oscar aí em cima. Pode confiar.

William, não tenha vergonha de escrever sobre aquilo que todo mundo está falando. Ainda mais quando ninguém vê a arte com os mesmos olhos do outro. Tenho certeza de que você achou algo no filme que eu não vi.

Vinicius, obrigado! Vamos torcer para o filme ter o reconhecimento que merece nas premiações.

Ai, ai... agora agüenta os cornetas. Pedro, parabéns! SETE foi demais! Só que... ainda não acabou meu caro amigo!

Mateus, acredito que BLINDNESS esteja entre os melhores filmes do ano.

Wally, obrigado! Para mim, SANGUE NEGRO ainda é o melhor.

Denis, BATMAN DEPRESSION????

Abs!

 
At 11:53 AM, julho 25, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, minha crítica do O Cavaleiro das Trevas está pronta, depois dê uma olhada: www.veep.com.br. Abs.

 
At 1:35 PM, julho 25, 2008, Anonymous Robson Santos Costa said...

O Batman faz a terapia dele espancando criminosos na rua, depois volta de manhã cedo pra sua mansão calminho pra dormir em paz...

 
At 4:43 PM, julho 25, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Legal, Denis. Ficou muito bom. Só que você contou um ponto importante do final do filme, né? E acho que não comentam muito sobre Harvey Dent nas críticas, porque não deixa de ser uma surpresa do filme, não acha?

Robson, o Denis tocou num ponto interessante na crítica dele quando o Batman espanca o Coringa na cena do interrogatório. Aliás, Denis, esse foi o ponto alto da sua crítica. Parabéns!

Abs!

 
At 5:06 PM, julho 25, 2008, Anonymous Robson Santos Costa said...

Eu estava aqui pensado...A frase "Deus escreve certo por linhas tortas" é extremamente real. Aquele lixo de filme(?) chamado Batman e Robin com o George Clooney teve sua importância. Acredito que se não fosse ele e as críticas "maravilhosas" que recebeu jamais teríamos tido um Batman Begins e esse magnífico Cavaleiro das Trevas. Se o Schumacher tivesse feito um filme razoável como o priemiro ou o segundo(do Tim Burton), jamais teríamos o Dark Knight. É, a frase é verdadeira....

 
At 7:48 PM, julho 25, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, obrigado pelo elogio. É que me preocupei em fazer um resumo para quem já assistiu o filme e por isso não precisei me preocupar com spoilers, pois o dono do site pediu dessa maneira, entende?

 
At 8:59 PM, julho 25, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Robson, tem razão! Boa sacada!

Denis, entendi sim. Ficou ótimo!

Abs!

 
At 9:31 PM, julho 25, 2008, Blogger Weiner said...

Belo filme, é o que tenho a dizer. Gostei de tudo o que os blogueiros gostaram - direção de Nolan, atuação de Ledger, atenção dada a Harvey Dent... Não aponto erros graves (talvez o roteiro tenha sido meio confuso algumas vezes, mas Nolan conseguiu pôr ordem em grande parte dele)...
E decidi nem lançar resenha lá no meu blog, porque a obviedade é tanta! Adorei, e acho que todo mundo já sabe o porquê!
Nota: 9,0 (*****)
Um grande abraço, bom fim de semana!

 
At 1:01 AM, julho 28, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, fiquei sabendo de mais detalhes do caso Christian Bale x sua mãe. A dita cuja abandonou Bale quando pequeno para se juntar a uma trupe de circo e sumiu. Agora que se passaram vários anos ela aparece do nada bem na estréia do filme TDK e faz um pequeno pedido para Bale: a mera quantia de 200 mil dólares! É brincadeira?

 
At 3:06 PM, julho 28, 2008, Blogger Poetrica said...

Otávio,
vc escreve cada vez melhor!Gostei muito do texto. Acho o filme superestimado, entretanto. Confuso, rebuscado, redundante, o tempo todo reiterando o que todos já sabem e tentando compensar a pobreza da trama com música e o histrionismo manjado do "profundo" Coringa. Ok, o herói e o anti-herói tem contornos "interessantes" e boas atuações - mas, hello, todos estes milhões devem aparecer em algum lugar. Acho o Batman o resultado de uma excelente campanha publicitária. Ponto. Não me diverti, que é o que se espera de um filme desses. Aliás, me diverti, sim, no Viagem ao Centro da Terra. Grande abraço!!

 
At 3:22 PM, julho 28, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Poetrica é um figuraça, preterir O Cavaleiro das Trevas por Viagem ao Centro da M.... é de matar! Essa foi a killing joke da semana!

 
At 3:24 PM, julho 28, 2008, Anonymous Denis Torres said...

O mais contraditório é que ele gosta do texto e não gosta do filme, que é o assunto do texto!

 
At 2:22 PM, julho 29, 2008, Blogger Carla Martins said...

Adorei o filme também!

Escrevi sobre ele no meu blog hoje!

Beijos!

 
At 2:40 PM, julho 29, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Para quem é fã de Batman, principalmente nas HQs, essa notícia é espetacular: http://br.noticias.yahoo.com/s/080729/48/gjqeua.html

 
At 3:04 PM, julho 29, 2008, Anonymous Mario Mancuso said...

Otavio, conheci seu blog por acaso mas agora consulto sempre. Acho muito inteligentes suas criticas. Sou mestrando em comunicação e meu trabalho é sobre o homem-morcego. Acho q não é exagero em falar que o Batman é um dos principais super-herois q temos na cultura popular (multimidiatica) em virtude de toda sua construção e carga mitica. Acho q o Batman Beggins é um ensaio, quase um trailer para o senhor Nolan conhecer no q está mexendo, assim como o Christian Bale e outros. Neste Cavaleiro das Trevas, ele amadureceu e mostrou-se tão talentoso e, principalmente, tão conhecedor do univeros e da significação do q é o Batman quanto foi Miller nas HQs durante os anos 80. Batman não é um herói, é uma força da natureza, uma manifestação personificada da realidade que vivemos e ele reage de acordo com os fatos. Porém, Batman é uma força de ordem (as vezes quase intolerante)que ve seu poder controlador disperso na personificação do caos que ´o Coringa. Só mesmo um promotor incorruptível, maniqueísta como o Harvey poderia ser aliado do homem-morcego. Porém, sua tentativa de trazer ordem onde não há, de encontrar sentido onde não tem, o leva ao universos do Coringa. Sempre vi o Batman como uma força q quer moldar o mundo do jeito que acha (tem certeza, alias) q deve ser; o Coringa é o caos destrutivo que vira e mexe da uma reviravolta na existência. Acho q definirmos quem é herói e quem é vilão, é minimizar tamanho drama mitológico da mídia moderna.

 
At 9:32 PM, julho 29, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Weiner, pois eu acho que você deveria escrever sim, amigo.

Marcelo, muito obrigado pelos elogios. Mas... VIAGEM AO CENTRO DA TERRA???????

Denis, o Marcelo é meu amigo, mas ele curte filmes sérios sobre a vida e filmes bobos sobre bobagens. Ele não gosta de filmes como BATMAN levados a sério. Para ele, é só diversão. A ambição de Christopher Nolan, no entanto, é outra.

Obrigado, Mario! E que bela análise que você fez. Volte sempre!

Abs!

 
At 10:19 PM, julho 29, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, abra um pouco a cabeça de seu amigo Marcelo, às vezes acho que ele tem uma inteligência mal direcionada. Se minha memória não falha não foi ele que uma vez chamou o Daniel Day-Lewis de canastrão? Todo mundo tem direito à opinião, mas tem vezes que ele "pega pesado". Ele possui boa argumentação, mas tem mais jeito de crítico de livro, entende? Mudando de assunto, sua resenha de TDK já merece um prêmio, pois acho que esse é o seu post mais comentado de todos os tempos, pois já é o 55º comentário! É lógico que meu "fanatismo" pelo filme contribuiu, rsrs.

 
At 10:24 PM, julho 29, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Mas, Denis, discordo. Todo mundo tem sua própria opinião. O Marcelo tem o direito de preferir VIAGEM AO CENTRO DA TERRA a O CAVALEIRO DAS TREVAS. Fazer o quê se a gente não concorda com ele? Abs!

Carla, vou lá no blog ler a sua crítica. Bjs!

 
At 11:29 PM, julho 29, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Ok Otávio, eu disse que todo mundo tem direito à sua opinião, mas acredito que não se pode falar mal de algo levianamente. Qual a base para alguém dizer que o Day-Lewis é um canastrão? Nenhuma! É a mesma coisa que dizer que o São Paulo e o Flamengo são times pequenos e sem importância! É um disparate total! Complementando o que o amigo Mario disse, o Batman é um mito permanente e de um sucesso total, pois até quando o personagem se transformou numa figura cômica no seriado dos anos 60 foi um sucesso! Batman & Robin foi anunciado como um desastre e de qualidade duvidosa, e mesmo assim faturou na casa dos R$230 milhões de dólares! Acredito que alguém deveria pensar em fazer uma série de tv com o personagem, pois ele é lucro certo! Veja os diversos desenhos animados da década de 90, que tiveram diversas mudanças conceituais tanto no traço como na criação de novos personagens (como a Arlequina) e todos muito bons. Sem contar que é o herói com a maior e melhor galeria de vilões das HQs, cujo potencial sequer foi explorado. Abs.

 

Postar um comentário

<< Home