sábado, julho 19, 2008

Viagem ao Centro da Terra


Deixando de lado o fato que este Viagem ao Centro da Terra (Journey to the Center of the Earth, 2008) foi rodado para exibições digitais em 3D, a mais recente adaptação da obra de Júlio Verne é um lixo. Alguns dirão que é um filme para a garotada conhecer o clássico do autor, etc, etc. Mas embora eu saiba que literatura é uma coisa e cinema é outra, Viagem ao Centro da Terra nunca foi infantil ou juvenil - o que faz do filme do estreante Eric Brevig um desrespeito ao trabalho de Verne e uma ofensa à capacidade do público fazer algo bem simples: pensar.

Como adaptação, este Viagem ao Centro da Terra não justifica todo o barulho em torno da história de Verne. Como adaptação, pior, lembra A Feiticeira, com Will Ferrell e Nicole Kidman - quando novos personagens embarcam numa história inédita em cima de uma obra já dominada pelo imaginário coletivo. Neste caso, seria mais inteligente fazer algo como a trilogia De Volta Para o Futuro, em que temos o cientista Doc Brown (Christopher Lloyd) apaixonado e movido pelas histórias de Júlio Verne, mas em filmes completamente diferentes.

Existe uma diferença entre fidelidade ao material original e as escolhas de um diretor na hora de adaptar um livro para o cinema. Um diretor pode cortar uma ou outra passagem, mas o clima, a mensagem e os conflitos dos personagens precisam resistir a qualquer alteração para que a história caiba no formato de cinema. Isso não acontece com o novo Viagem ao Centro da Terra. E se é para crianças e adolescentes, essa faixa do público já viu coisa melhor - e até pode ver algo superior na sala de cinema ao lado.

Mas o filme não funciona somente pela desastrosa adaptação. O roteiro foi escrito para jogar o público dentro de uma experiência tridimensional. As falas e as reações dos protagonistas, no entanto, antecipam qualquer surpresa para o espectador - o que é um erro, que já me irritava nas atrações em 3D de parques temáticos. Em português claro, isso acaba com o direito da platéia se assustar ou se surpreender numa cena.

Como eu disse lá no primeiro parágrafo, o filme foi feito para exibições em salas 3D. Então, talvez seja injusto deixar isso de lado. A tecnologia realmente é um espanto - o que mais impressiona não é ver um monstro ou uma pedra saltando em direção aos seus olhos, mas observar a profundidade visual de uma cena. Mas quanto ao drama no desenvolvimento dos personagens, não há óculos 3D que coloque isso diante da platéia. Se estamos falando de cinema, este Viagem ao Centro da Terra é um desastre. Se é uma atração de parque de diversões, então, a conversa é outra.

Viagem ao Centro da Terra (Journey to the Center of the Earth, 2008)
Direção: Eric Brevig
Roteiro: Michael Weiss, Jennifer Flackett e Mark Levin (Baseado no livro de Júlio Verne)
Elenco: Brendan Fraser, Josh Hutcherson, Anita Briem, Seth Meyers, Michel Pare e Jane Wheeler

16 Comments:

At 3:01 PM, julho 19, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Não vi nenhum desses 2 filmes e pretendo ver Hancock somente em dvd quando estiver a fim de assistir entretenimento sórdido. Estou no aguardo da sua crítica de O Cavaleiro das Trevas, que é o que interessa. Abs.

 
At 3:06 PM, julho 19, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, não entendi bulhufas do critério de Dança com Lobos não poder entrar na lista dos 10 melhores filmes da década de 90, nessa lista da SBBC. Os Bons Companheiros e Poderoso Chefão 3 são ótimos filmes, assim como Dança com Lobos. Você poderia me explicar melhor?

 
At 8:34 PM, julho 19, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

Nem que de graça...

Apesar que, após eu assistir o simpático "As Crônicas de Spiderwick", esse tipo de filme que eu não gostava antes começou a me chamar atenção. Mas nessa aí eu não caio.

Abraço!!!

 
At 11:18 PM, julho 19, 2008, Blogger Mateus said...

Olá! Que bom que você voltou!

Bom, estou meio assim com esse filme, uns falam bem, outros falam mal, quero ver se dou um conferida nessa semana pra tirar alguma conclusão!

Abraço
Mateus

Obs: podemos te linkar no "Cinéfilos do Cinema"? ;]

 
At 11:34 PM, julho 19, 2008, Blogger Isabela said...

Pois é, no dia que assisti Hancock, quase vi esse filme, mas meio que esperava uma bomba. Quem sabe eu ainda assisto!

 
At 3:01 AM, julho 20, 2008, Anonymous Wally said...

Nossa, sem sorte você hein?? Corrige isso vendo Batman! =D

Farei isso hoje. Melhor presente de aniversário impossível.

Ciao!

 
At 9:52 AM, julho 20, 2008, Blogger contra-regra said...

Eu vi Hancock (Bomba, realmente), mas acabei usando da minha astúcia e economizando o meu dinheiro para não ir a Viagem ao centro da terra (primeiro, por que senti que era bomba no trailer, e segundo, porque não curto essa paranóia de 3D). Enfim, é a época das férias. Vale tudo para tirar o dinheiro de nossas carteiras. Quem sabe agora, com a chegada do Batman, o clima melhore.

Discutir mídia e cultura?
http://robertoqueiroz.wordpress.com

 
At 9:53 AM, julho 20, 2008, Anonymous Kamila said...

Otavio, em primeiro lugar, seja bem-vindo de volta! Estava com saudades de ler seus textos!

Pelo que posso compreender da sua crítica a este filme, você não o assistiu em uma sala 3D. Estou pensando em assistir a "Viagem ao Centro da Terra", mas sem ter muitas expectativas, sabe?

Beijos e bom Domingo!

 
At 1:17 PM, julho 20, 2008, Anonymous Vinícius P. said...

Realmente parece que a graça toda desse "Viagem ao Centro da Terra" é justamente pelo 3D, mas depois de seu texto pensarei duas vezes antes de vê-lo...

 
At 2:04 PM, julho 20, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Denis, eu vi THE DARK KNIGHT, mas ainda estou digerindo o filme. E eu disse que não tenho nada contra DANÇA COM LOBOS.

Pedro, mas AS CRÔNICAS DE SPIDERWICK é bacana...

Mateus, pode sim! Obrigado! Já coloco teu link aqui também.

Isabela, não deu, HANCOCK é um dos piores do ano.

Roberto, em 3D fica legal. Mas parece atração de parque temático. Falta cinema.

Wally, eu vi THE DARK KNIGHT, mas estou pensando ainda no filme. E é seu aniversário??? Meus parabéns!!!

Olá, Kamila! Obrigado! Eu vi numa sala 3D sim. É legal, mas não é cinema. Só que acho que ainda não estou pronto pra isso. Fiquei com dor de cabeça o dia inteiro. Não sei se foi por isso.

Vinicius, veja o filme. Mas veja em 3D. E leve uma criança com você.

Abs! E obrigado, amigos!

 
At 3:36 PM, julho 20, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, vai fazer uma segunda revisão? Afinal TDK é tão denso que vale uma segunda, terceira, quarta sessão... É o único filme do ano que ao sair da sessão já estava com vontade de ver de novo... e com certeza vou ver. E olha que esse ano não vi nenhum filme mais de uma vez, quase fui em Indiana mas desisti. Abs.

 
At 11:38 PM, julho 20, 2008, Blogger Weiner said...

Parece que filmes deste tipo (3D) servem mesmo para parques de diversão... Não li o livro, não vi a primeira versão, e nem sei se vou ver esta... Na verdade, seu texto me deu uma bela desanimada. Mas, é claro, se estiver com o mínimo de paciência para lidar com tais chatices de sempre, quem sabe...?
Abraço, Otávio!

 
At 3:50 PM, julho 21, 2008, Blogger fabiana said...

Vou esperar o DVD.

 
At 3:00 PM, julho 22, 2008, Blogger Wanderley Teixeira said...

Acho que este filme acabou tendo seu roteiro comprometido e que existe em função de toda a parafernalha tecnológica que se tentou em vão empregar. No mais concordo em tudo o que disse sobre adaptações e a necessidade da manutenção da fidelidade quanto ao estilo e do vazio que estes personagens de Viagem ao Centro da Terra representa.

 
At 5:13 PM, julho 22, 2008, Anonymous Kamila said...

Otavio, acabei de chegar do cinema aonde assistir a este filme. Acho que, apesar da tecnologia 3D, faltou ousadia à adaptação. Emularam demais o livro do Verne e se esqueceram de dar sua própria visão à história do livro.

Beijos!

 
At 6:22 PM, julho 22, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

SPIDERWICK é mais que bacana!!!

 

Postar um comentário

<< Home