sexta-feira, agosto 14, 2009

Os 10 melhores filmes de terror

Pronto para encarar a estreia de "Arraste-me Para o Inferno"?
Antes, relembre os maiores filmes de terror de todos os tempos.

1 - O Exorcista (1973), de William Friedkin

Todo mundo tem medo deste filme. Mesmo com seus efeitos visuais do início da década de 70, O Exorcista jamais envelheceu. E a maioria ainda lembra que é o filme de terror sobre a menina (Linda Blair) possuída pelo Demônio e o drama de sua mãe (Ellen Burstyn) tentando salvá-la. Desesperada, ela pede ajuda ao Padre Karras (Jason Miller). Mas tente ver por este lado: O roteiro de William Peter Blatty, baseado em seu livro, é focado em Karras, um homem dividido entre o Céu e a Terra, que resolve ajudar a mãe de uma menina que foi abraçada pelo capeta. O filme é sobre o padre, afinal o título é O Exorcista. Deste ponto de vista, o clássico de William Friedkin (Operação França) é brilhante como cinema e tem um dos melhores roteiros já feitos. Mas você também pode ficar a vontade para ver O Exorcista como o filme da menina possuída, claro. Numa coisa, todos concordam: É o favorito de nove entre dez cinéfilos quando o assunto é terror.


2- O Iluminado
(1980), de Stanley Kubrick

Stephen King odeia esta adaptação de Stanley Kubrick para um de seus livros mais famosos. Mas os cinéfilos idolatram este que é um dos filmes mais assustadores de todos os tempos. Para a garotada que vai ao cinema hoje em dia, O Iluminado pode parecer incompreensível no que diz respeito ao culto de adoração que existe ao seu redor. Kubrick não constriu uma obra carregada de sustos fáceis. O maior de todos os horrores está guardado na mente humana. E quando isso vem à tona, as barreiras entre a loucura e a sanidade se perdem entre machados, corredores vazios de um hotel no meio do nada e, principalmente, os berros ensurdecedores de Shelley Duvall. O pior é que ninguém, além da plateia, pode ouvi-la. Stephen King pode ser um grande escritor, mas não entende nada de cinema.


3- A Profecia (1976), de Richard Donner

Pais de primeira viagem não esquecem jamais esta experiência. Mas o que fazer quando algumas pessoas tentam convencê-lo de que seu pequeno herdeiro é ninguém mais, ninguém menos que o filho do Diabo? Por mais que você acredite na verdade, o mais difícil é aceitá-la. Contra a própria vontade, lá no fundo, você sabe que precisa impedir que a criança cumpra o seu destino. E este é o dilema aterrorizante de Gregory Peck, em A Profecia, o melhor filme de Richard Donner, diretor de grandes sucessos como Superman, Os Goonies e a série Máquina Mortífera. O mal representado pelo rostinho inocente de uma criança é uma ideia, no mínimo, abominável. Mas que, graças a Deus, deu certo. Ajuda muito ver o filme com o volume bem alto para curtir os sustos e os arrepios provocados pela trilha do maestro Jerry Goldsmith, que, claro, levou o Oscar.



4- O Bebê de Rosemary (1968), de Roman Polanski

O Bebê de Rosemary deveria ser visto por todo diretor e roteirista antes de filmar ou escrever qualquer exemplar do gênero. Roman Polanski ensina (ou lembra) que o frio na espinha e a sensação de medo vêm do desconhecido. Se você não vê, o medo aumenta. É a voz que vem do fim do corredor e você não sabe de quem é. É o barulho do vento que vem debaixo da porta. São aqueles passos no andar de cima. Medos básicos, que nascem em nosso inconsciente enquanto somos crianças. A platéia não precisa ver, mas sentir. (Leia a crítica completa
aqui).


5- Poltergeist: O Fenômeno (1982), de Tobe Hooper

Lembro que não consegui dormir direito quando assisti ao filme pela primeira vez. Ok, eu era uma criança, então dê um desconto. Mas achei que os espíritos me puxariam para a TV ou que os brinquedos no meu quarto ganhariam vida e me arrastariam para debaixo da cama. Depois de Poltergeist, o cinema nunca mais acertou no quesito casa mal-assombrada. O filme foi dirigido por Tobe Hooper, de O Massacre da Serra Elétrica. Diz a lenda que ele se desentendeu com o produtor Steven Spielberg e perdeu a briga. Muitos alegam que Steven assumiu o controle da produção e ainda acrescentou um final alternativo. em relação ao roteiro original. Mesmo assim, Poltergeist impressionou e marcou época. Numa de suas raras declarações, o grande Stanley Kubrick disse que filmes de terror com espíritos ou assombrações significam otimismo, afinal é a esperança de que há vida após a morte. Steven parece compartilhar dessa idéia.



6- Um Lobisomem Americano em Londres (1981), de John Landis

Existem bons filmes de lobisomem como Grito de Horror e Bala de Prata, mas nenhum deles teve o impacto de Um Lobisomem Americano em Londres. Fazer filmes de terror é uma arte. Imagine então equilibrar terror e comédia sem cair no ridículo e, acima de tudo, manter a proposta de assustar. É o que John Landis fez neste clássico moderno em que dois amigos americanos são atacados por um lobo na Inglaterra. Um deles morre. O outro sobrevive somente para sofrer uma lenta e dolorosa transformação à luz do luar. A cena em que o ator David Naughton vira lobisomem impressiona até hoje. É de deixar o queixo no chão. Trata-se de um trabalho magnífico de Rick Baker, que faturou o merecido Oscar de Melhor Maquiagem. Não há computador que supere este milagre do cinema.



7- A Morte do Demônio (1981), de Sam Raimi

O primeiro (e melhor) filme da trilogia Evil Dead, de Sam Raimi, infelizmente, envelheceu. A geração de hoje, que adora A Bruxa de Blair, deve ter uma série de dificuldades para apreciar este filme de baixíssimo orçamento extremamente criativo em seus movimentos de câmera. Mas para quem veio dos anos 80 (ou antes), Evil Dead permanece tenso, nojento e engraçado. É filme de horror de primeira qualidade com sangue, vísceras e gosma, mesmo com efeitos, maquiagem e outros truques para lá de datados. Evil Dead revelou o diretor Sam Raimi, que ainda faria os filmes do Homem-Aranha e Arraste-me Para o Inferno. De quebra, Evil Dead contou com um certo Joel Coen trabalhando como editor-assistente.



8- A Hora do Espanto (1985), de Tom Holland

O diretor Tom Holland fez A Hora do Espanto e, três anos depois, Brinquedo Assassino (Sim, o primeiro é muito bom), mas logo desapareceu do mapa. Se você tiver notícias dele, por favor, avise este blogueiro. E com todo o respeito a clássicos estrelados por Bela Lugosi, Christopher Lee e dirigidos por Murnau, Herzog e Coppola, A Hora do Espanto é o melhor filme de vampiro já feito. Na onda de Um Lobisomem Americano em Londres e A Morte do Demônio, este filme é mais um ótimo exemplar do "terrir", uma mistura de terror e comédia. Além disso, A Hora do Espanto é uma criativa homenagem aos filmes de vampiro, mas tem personalidade e originalidade de sobra para ser facilmente reverenciado como uma das melhores produções dos anos 80.


9- A Noite dos Mortos Vivos (1968), de George A. Romero

Com este clássico, o diretor George A. Romero inventou o gênero "filme de zumbi". Ok, próximo.



10- A Hora do Pesadelo (1984), de Wes Craven

Desde pequenos que sofremos com pesadelos. Mamãe e papai cansaram de nos ensinar que eram apenas sonhos ruins. Agora, imagine se um cara de aparência repugnante com um chapéu feio e fedido, além de uma camisa velha da Portuguesa e uma horripilante luva na mão direita com navalhas no lugar de unhas resolvesse perseguir você em todos os seus pesadelos. Pior: Se ele te mata no sonho, você morre na vida real. É uma ideia claustrofóbica e tenebrosa, não? O diretor Wes Craven soube transformá-la em filme e criou um ícone da cultura pop: Freddy Krueger.

23 Comments:

At 9:34 AM, agosto 15, 2009, Blogger altieres bruno machado junior said...

Olá Otávio

Ótimo post. Você conseguiu sintetizar os melhores filmes de terror. Um mais horripilante que o outro. Dos que já vi, tenho mais medo de O Exorcista e A Hora do Pesadelo, A Noite dos Mortes Vivos também me assustou na época que vi. Já Poltergeist: O Fenômeno e O Bebê de Rosemary nunca tive coragem de assistir por inteiros.

Abraços e até mais.

 
At 10:43 AM, agosto 15, 2009, Blogger Bruno Soares said...

É Exorcista mesmo e não tem pra ninguém! Lembro que fiquei 2 anos dormindo de luz acesa depois de ver pela 1ª vez. rs

 
At 10:54 AM, agosto 15, 2009, Anonymous Luciano Almeida said...

Essa camiseta do Freddy parece mais com o modelo que o Flamengo usou ano passado...

 
At 6:26 PM, agosto 15, 2009, Blogger Fábio L. Rockenbach said...

Bela relação, praticamente iguala a minha. Mas depois que assisti "O Despertar dos Mortos", troquei o clássico "A Noite..." por ele, mais pela durabilidade da mensagem e pela realização do que pela importância, que o filme de 1968 tem de inegável.
E passei a respeitar pra c... gente como Fulci e Bava depois que comecei a ver os gore italianos dos anos 60 e 70...

 
At 10:12 PM, agosto 15, 2009, Blogger Airton said...

opaa
cara chamo atençao o titulo vim ler hehe
num vi tds daee...sao filmes mto bons apesar q naum gosto do iluminado...o primeiro tem razao...apesar de naum dar tanto susto como outros...tem uma puta historia...axo q de susto o melhor sao os japoneses msm heheheh

http://publicandobr.blogspot.com/2009/08/imagens-que-resumem-rio-bravo.html

passa la

 
At 9:01 AM, agosto 16, 2009, Anonymous Renan said...

Ótima lista!!! Belas escolhas...

Estou fazendo análises sobre o humanismo por trás dos filmes de terror para o jornal da faculdade. O próximo texto será sobre "O Iluminado" e "O Bebê de Rosemary"; assim que estiver pronto posto no meu blog.

Abraços,
Renan

 
At 3:57 PM, agosto 16, 2009, Anonymous Vinícius P. said...

Lista de respeito, realmente não tem como fugir muito disso não - inclusive concordo totalmente com a primeira posição ("O Exorcista" ainda é imbatível). Só não vejo grande coisa em "O Iluminado"...

 
At 8:21 PM, agosto 16, 2009, Blogger Mayara Bastos said...

Apesar de não me afinar muito com o gênero, meu favorito da lista é "Poltergeist: O Fenômeno". ;)

 
At 9:07 PM, agosto 16, 2009, Anonymous Kamila said...

Otavio, eu não assisti a vários filmes da lista porque não sou a maior fã do gênero de terror. Porém, algumas das obras citadas por você me causam arrepios, como "O Exorcista".

Beijos!

 
At 9:02 AM, agosto 17, 2009, Anonymous Robson Costa said...

Já vi todos, pois quando era criança/pré-adolescente terror era meu gênero predileto rsrsrsrsr. Só não concordo com O Iluminado em segundo. Quanto mais assito melhor ele fica mas não acho isso tudo não, teria colocado ele entre os 10lógico mas lá pro final. Terror psicológico 10 é O Bebe de Rosemery esse sim eu botaria em segundo. O Exorcista ninguém precisa de comentar né? É o mesmo que dizer que o Zico não sabia jogar futebol...

 
At 12:57 PM, agosto 17, 2009, Anonymous Denis Torres said...

Bela lista. Talvez eu colocaria O Despertar dos Mortos, mas no geral a minha lista seria bem parecida com a sua. Abs!

 
At 1:19 PM, agosto 17, 2009, Blogger Weiner said...

Adorei sua lista, Otávio! Especilamente porque já lancei uma no meu blog e é bem parecida. Minha ordem:
1) O Iluminado
2) O Sexto Sentido
3) O Bebê de Rosemary
4) Inverno de Sangue em Veneza
5) O exorcista
6) A Noite dos Mortos Vivos
7) Poltergeist
8) Massacre da Serra Elétrica
9) Bruxa de Blair
10) Halloween

P.S Sou fãzaço de "Lobismomem Americano em Londres"... Acho que vou acabar incluindo ele na minha lista também. Por outro lado, Freddy Kruger já me encheu.

Abraços!

 
At 2:33 PM, agosto 17, 2009, Blogger Kau Oliveira said...

Otavio, eu assisti O exorcista uma única vez. Filmaço, sem dúvidas. Mas NUNCA mais quero assistí-lo...

E vc citou dois filmes pelos quais sou doente: O Bebê de Rosemary e Poltergeist: O Fenômeno.

Abs!

 
At 9:38 PM, agosto 17, 2009, Blogger Otavio Almeida said...

ALTIERES
Obrigado! Mas liga não. Ainda tenho medo desses filmes também. Abs!

BRUNO
Não é à toa que é o filme mais assustador de todos os tempos. Abs!

LUCIANO
Parece, mas a camisa do Freddy é verde (escuro) e vermelha. Abs!

FABIO
É uma escolha difícil, mas fiquei com A NOITE porque inaugurou o "gênero". Abs!

AIRTON
Japoneses, é? Hmm.. Ok, ok... Seja bem-vindo, rapaz! Depois visito teu blog. Abs!

RENAN
Fiquei interessado nesta sua análise. Quero ler depois. Abs!

KAMILA
Não é que sou fã do gênero. São filmes para quem ama o cinema. Dê uma chance a eles. Não de uma só vez, claro, ou então você não dormirá mais. Bjs!

ROBSON
Gostei da comparação com o Zico! Aliás, saudades do Galinho... Abs!

VINICIUS
Não gostas de O ILUMINADO? Hmm... Mas Kubrick não é fácil mesmo... Pelo menos concordamos com grande parte da lista. E com o primeiro lugar de O EXORCISTA. Abs!

MAYARA
POLTERGEIST é o melhor filme de casa mal-assombrada já feito. Bjs!

DENIS
Você fala do George Romero, certo? Não do Zack Snyder, claro... Abs!

WEINER
Boa lista! Fiquei tentado em colocar O SEXTO SENTIDO e HALLOWEEN. E A HORA DO PESADELO? O primeiro é muito bom. O resto eu não aguento. Ah, o 3 é bom também. E só. Não podemos menosprezar o original só porque as continuações jogaram sujeira no ventilador. Abs!

KAU
Pior que eu entendo o que você quer dizer sobre O EXORCISTA. Abs!

 
At 8:45 AM, agosto 18, 2009, Anonymous Robson Costa said...

Alguém já leu o livro do exorcista? Eu li antes de ver o filme. E o melhor (ou pior): consegue ser melhor e mais assustador do que o filme. Eu imaginei lendo cenas piores que as do filme....

 
At 8:36 AM, agosto 19, 2009, Blogger leo said...

Achei a lista incrível e entre esses o meu preferido disparado é O Bêbê de Rosemary até mesmo porque acho que o filme vai muito além de um filme de terror é um cinema arte que nunca mais nós veremos (pelo menos eu) fazer por aí e concordo totalmente com você quando diz que todos roteiristas e diretores deviam assistir antes de filme ou escrever qualquer exemplar do gênero,ótima lista.
Abraços

 
At 1:21 PM, agosto 20, 2009, Anonymous Mario Bourges said...

Boa sacada esta de fazer algo sobre filmes que têm a intenção de assustar. Lembro-me de quando vi O Exorcista pela primeira vez, fiquei com medo até de circular pela casa, tive de acender tudo quanto era luz que tinha para ficar mais calmo. A Hora do Espanto vi no cinema, muito bom mesmo. Uma vez assisti uma seção corrida no cinema que trazia A Hora do Pesadelo III e O Massacre da Serra Elétrica II... Muito sangue. E falando em Hora do Pesadelo, está para acontecer um remake do filme, e se não me engano quem está para fazer o papel do Freddy Krueger é Jackie Earle Haley, o mesmo ator que interpretou o personagem Walter Kovacs, ou, Rorschach. Mas é isso. Legal este post.

 
At 4:15 PM, agosto 20, 2009, Blogger Otavio Almeida said...

LEO
Obrigado! Seja bem-vindo! E você tem razão sobre o que disse a respeito de O BEBÊ DE ROSEMARY. É um dos grandes filmes já feitos. Abs!

MARIO
Seja-bem vindo! E obrigado! Bom, eu sou contra a nova versão de A HORA DO PESADELO, mas, de qualquer forma, a escolha de Jackie Earle Haley para o papel de Freddie Krueger foi um acerto. Abs!

 
At 7:36 PM, agosto 20, 2009, Anonymous Fábio said...

Cara, só de ouvir a música, 1,2 ele vem te pegar eu torava aço de tanto medo. Muito boa a lista.

 
At 2:36 PM, agosto 21, 2009, Blogger Otavio Almeida said...

É assim, Fabio, eu acho:

"One, two, Freddy's coming for you. Three, four, better lock the door. Five, six, grab your crucifix. Seven, eight, better stay up late"

Abs!

 
At 4:24 PM, setembro 01, 2009, Anonymous Aumenta visitas said...

O legal desses filmes é que a grande maioria é antigo. muito boa as dicas de filmes de terror, vou até baixar alguns aqui rsrs.

 
At 10:12 PM, junho 24, 2010, Anonymous Anônimo said...

ha as vezes estas coisas me dam medo muito mesmo sao muitas coisas esquisitas e sao saustadoras eu que nao queria fica so com esta coisas em realidade nao mesmo serio poderia tar com alguma pessoa mesmo estando com medo daquilo tudo e esteas coisa sao de profissionais agradeço a deus po risso ser so um sonho...

 
At 6:03 PM, dezembro 01, 2016, Blogger Soy Sofia Maror said...

Muito, muito bons clássicos. Eu acho que estou com muito medo, mas eu gostaria de ver de terror ou suspense histórias e filmes exorcismos. Exorcistas No Vaticano (a propósito aqui eu pendurá-los tempos de transmissão: http://www.hbomax.tv/movie/WHL230285/Exorcistas-No-Vaticano e talvez uma segunda olhada mudar a sua percepção), é uma história que é liberado em queda livre bater a cada clichês imagináveis em um filme de terror. De tudo isso, o mais interessante é uma cena em que ela cospe três ovos que representam a Santíssima Trindade. Poderíamos dizer que há material para contar uma história interessante, mas certamente com intenções não é suficiente. "As Fitas do Vaticano" poderia ter tido melhor destino se o tom geral do filme era crua e cheia de deboche.

 

Postar um comentário

<< Home