quarta-feira, dezembro 17, 2008

Deus, por que não me fizeste Brad Pitt?


Entre todos os galãs da Hollywood atual, Brad Pitt é o mais falado, desejado, cobiçado e todo tipo de "ado" que você possa imaginar. Menos aquele que começa com "vi", afinal, que a gente saiba, o cara ganhou carinhos múltiplos e assistência 24 horas de Gwyneth Paltrow, Jennifer Aniston e Angelina Jolie.

Até hoje, no entanto, Pitt só foi indicado ao Oscar uma vez - como Melhor Ator Coadjuvante, por Os 12 Macacos. Em 2009, pode ser que seu nome esteja entre os finalistas ao prêmio máximo do cinema como Melhor Ator, por O Curioso Caso de Benjamin Button, de David Fincher, filme que é a sensação do ano. Se bem que, para mim, o sujeito merecia também uma indicação de Melhor Ator Coadjuvante, por Queime Depois de Ler. Ele está engraçadíssimo no filme dos Irmãos Coen. Admita. Aliás, a cena que envolve Brad Pitt, George Clooney e um armário é uma das mais extraordinárias do ano. É de chorar de rir.

Eu mesmo tive problemas em admitir que Brad Pitt é um cara legal. Nas tentativas inconseqüentes e imprudentes de controlar minhas vontades (e obsessões) de adolescente, como todo bom rapaz interessado em meninas, eu torcia o nariz para aquele "mala", que levava a mulherada ao cinema para ser enganada com truques baratos como Lendas da Paixão, épico romanticuzinho dirigido por Edward Zwick em 1994 - ainda dou risada na cena final quando o urso persegue Pitt em velocidade estilo Os Trapalhões. É demais de ruim. Mas até que o astro fez um filme bom naquele mesmo ano. Falo de Entrevista Com o Vampiro, de Neil Jordan. É meiguei, mas não é somente bom. Na verdade, acho um Filmão com F maiúsculo. E a Kirsten Dunst deu ali não somente uma bitoca Lolita no Brad Pitt ou seu cartão de visitas aos cinéfilos, mas também entregou sua melhor atuação até hoje.

Para minha surpresa, nos anos seguintes, Pitt deixou um pouco de lado a superexeposição de seu apelo junto ao público feminino. Caí do cavalo. E ainda bem que o diretor David Fincher estava em seu caminho. Fomos presenteados com Seven e Clube da Luta, dois dos melhores e mais ousados filmes da década passada. O problema foi todo da mulherada que queria Brad Pitt fazendo cara de McDreamy. Mas é claro que as fãs inteligentes gostaram, afinal não dá para gostar de cinema e virar a cara para o ator em filmes de primeira como esses dois assinados por David Fincher e Os 12 Macacos, de Terry Gilliam.


Em pouco tempo, Brad Pitt entrou para a turma do astro George Clooney e do diretor Steven Soderbergh. União que deu muito certo para as carreiras de todos os envolvidos. União que foi além de 11, 12, 13 homens, vários segredos, muita diversão e muitos dólares. Está certo que só o primeiro filme vale alguma coisa, e que Pitt fez bobagens como Encontro Marcado, A Mexicana, Tróia e Sr. e Sra. Smith - embora deste último ele tenha saído com um mulherão na bagagem e diversas crianças adotivas internacionais -, mas é um astro que sabe escolher filmes (e os profissionais certos) capazes de transformá-lo num ator cada vez melhor.

Esforçado e esperto, Brad Pitt já trabalhou com grandes diretores. E exatamente nesta quinta-feira, dia 18 de dezembro, o astro completa 45 anos, o que quer dizer que ele ainda tem muita coisa pela frente. Quem sabe? De repente vem uma indicação ao Oscar de Melhor Ator, por O Curioso Caso de Benjamin Button, de presente de aniversário no mês que vem. Em 2009, inclusive, ele será o astro do novo filme de Quentin Tarantino, Inglourious Basterds. Não é pouca coisa. E é interessante notar como ele chegou até aqui sem ter no currículo um personagem indispensável para a cultura pop construída pelo cinema. Ele não foi Batman, nem o Coringa e acho que também não será o Capitão América. Não foi um Jedi, nem esteve na Terra-Média. Nada disso. Não foi Indiana Jones ou Dirty Harry. Um dia, pode até ser que ele ganhe um papel que ocupe o imaginário coletivo, mas será que isso seria realmente necessário?

O que mais importa nesta vida talvez seja a família. E os amigos. Acredito nisso. E Brad Pitt tem as melhores pessoas do show business ao seu lado. Tanto na vida pessoal quanto na profissional. Precisa mais? Nada mal para um ator que foi obrigado a correr do urso de Lendas da Paixão como Didi Mocó faria. E essa história definitivamente não acaba aqui. Deus, por que será que eu não nasci Brad Pitt?

15 Comments:

At 10:10 AM, dezembro 18, 2008, Blogger Robson Saldanha said...

Eu acho Brad Pitt um cara talentoso e que até sabe escolher seus papéis. O que falta nele é o que não se sabe. Mas gostaria de vê-lo indicado ao Oscar, apesar de achar pouco provável...

 
At 11:14 AM, dezembro 18, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

O cara vem evoluindo mesmo. Mas é isso aí, é só escolher bem o que e com quem trabalhar. Baita texto!!!

 
At 1:45 PM, dezembro 18, 2008, Blogger Kau said...

Otavio, sou suspeito para falar tanto de Brad quanto de Angelina. Acho ambos extremamente simpáticos e corretíssimo como artistas. Mas o assunto é ele, então vamos lá: acaba de praticamente se garantir no Oscar com esta indicação ao SAG. Seu melhor papel até agora, a meu ver, está em Clube da Luta. Mas ele não faz feio em Babel...

...ah, é um caso à parte em Queime Depois de Ler! HILÁRIO! "I got his nuuumber!!" Hahahahahahahaa

Abraços!

 
At 2:52 PM, dezembro 18, 2008, Blogger Flávia said...

Sensacional seu texto. Mas ainda acho que a foto deveria ser do Brad...

Bjs!

 
At 4:47 PM, dezembro 18, 2008, Anonymous Denis Torres said...

'Quod me nutrit me destruit'

O que me alimenta me destrói.

 
At 6:32 PM, dezembro 18, 2008, Anonymous Kamila said...

Não sou a maior fã do Brad Pitt (acho que ele é um ator limitado, de trejeitos repetidos), mas tenho que admitir que ele tem conduzido a carreira dele de uma forma muito inteligente. Como você bem disse, trabalhou com os melhores diretores, fez filmes interessantes e que afastaram a sua imagem de galãzinho.

Beijos!

 
At 9:41 PM, dezembro 18, 2008, Anonymous Vinícius P. said...

Adorei o título, a foto, o texto, tudo! Hehehehe. Acho que o Pitt está melhorando cada vez mais como ator e será um pouco estranho se o Oscar esquecer de sua performance em "O Curioso Caso de Benjamin Button", afinal ele já foi indicado à maior parte dos prêmios da temporada.

 
At 3:40 AM, dezembro 19, 2008, Anonymous Wally said...

Outro ótimo texto. PITT é ator muito bom. Seus últimos dois trabalhos (do ano passado) que foram completamente subestimados. Falo de Jesse James e Babel, nos quais esteve estupendo.

Ciao!

 
At 10:56 AM, dezembro 19, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Accept yourself and be happy, rsrs.

 
At 6:19 PM, dezembro 20, 2008, Anonymous Rafael Moreira said...

Olá Otávio. Primeira vez que comento, mas não a primeira que venho aqui.

Brad Pitt conquistou minha admiração há pouco. Ele só está evoluindo e eu enxergo uma carreira brilhante pela frente. Quem sabe ele não é indicado pela a academia? Mas acho que Pitt é um excelente ator, seus recentes trabalhos provam isso. Em "O Curioso Caso de Benjamin Button" só ouço elogios de sua atuação...

Abraço e bom domingo pra você!

P.S.: Espero que não se importe, mas tomei a liberdade de citá-lo no FYC do "The Dark Knight" no meu blog.

 
At 7:26 PM, dezembro 20, 2008, Anonymous Hugo Leon said...

Putz, como queria ver aonde termina essa tatoo da Jolie ...

 
At 2:30 AM, dezembro 21, 2008, Blogger Museu do Cinema said...

Sou + George Clooney!

 
At 1:06 AM, dezembro 23, 2008, Blogger Ibertson Medeiros said...

Também considero Brad Pitt um ótimo ator. Não pode esquecer de seu papel hilário em Snatch: Porcos e Diamantes, do Guy Ritchie e O Assassinato de Jesse James.
Ele mostra que não é apenas um galã que faz as garotas suspirarem, sem mostrar um mínimo de talento. E ainda muito bem acompanhado e endinheirado. Só falta ser oscarizado.

 
At 9:12 AM, dezembro 30, 2008, Anonymous Robson Santos Costa said...

Otávio, se vc tiver acesso leia a revista Carta Capital n.522 de 19 de novembro de 2008. Vá a página 21 no Blog do Freud. Tem relaçaõ total com o que vc escreveu aqui. Vc vai gostar heheheheheh

 
At 6:08 PM, janeiro 03, 2009, Blogger gustavo said...

Pitt é bacana sim!
Suas interpretações em "Clube da Luta" e "Os 12 Macacos" são estupendas e dignas de reconhecimento!
Espero que seu trabalho em "Queime Depois de Ler" seja reconhecido pela academia esse ano!

 

Postar um comentário

<< Home