terça-feira, maio 05, 2009

X-Men Origens: Wolverine


Sou fã dos dois primeiros filmes da série X-Men, mas tenho lá minhas implicâncias com o terceiro, que é cheio de frescuras. De qualquer forma, o que eles têm de melhor é Hugh Jackman como Wolverine. E era questão de tempo até a Marvel lançar um filme solo com o herói. Eu só não sabia que o primeiro longa focado em um dos mutantes do Professor Xavier (Patrick Stewart) estaria mais para os "clássicos" da geração músculo sem cérebro dos anos 80, liderada por Arnold Schwarzenegger e Sylvester Stallone, do que para os filmes da até então trilogia X-Men.

Do ponto de vista crítico é muito fácil massacrar X-Men Origens: Wolverine (X-Men Origins: Wolverine, 2009), mas como torcedor nostálgico de Comando Para Matar, Rambo, Braddock e Difícil de Matar (esses dois últimos estrelados pelos amigos Chuck Norris e Steven Seagal), não posso negar que me diverti com o filme.

X-Men Origens: Wolverine é um herdeiro legítimo da época que permitiu aos malandros uma tiração de onda com seus corpinhos sarados recém-saídos das Academias. Hollywood não ficou atrás e apostou em heróis musculosos, mas machos. Hoje em dia, esse conceito foi jogado no ralo e os mocinhos são tão fortes quanto eu. Veja Jack Bauer e Jason Bourne por exemplo. E por mais que ainda insistam em uns G.I.JOEs sem expressão e carisma como Vin Diesel e The Rock, que jamais chegarão aos pés de Sly e Schwarza, Hollywood acreditou no potencial canastra de Wolverine para trazer de volta esse tipo de herói brucutu, que parecia morto e enterrado.

Tirando o Wolverine, esqueça o que há de bom na trilogia X-Men. Neste filme solo do mutante interpretado por Hugh Jackman, temos exibição gratuita de muques e várias falas de efeito antes e depois de mandar o vilão pelos ares e sair fazendo pose em câmera lenta.
A proposta é o mínimo de roteiro para um máximo de pancadaria, explosão, ossos quebrados e pessoas descartáveis morrendo. Você conhece o tipo. Ao resgatar essa aura esnobe e exibicionista do cinema de ação dos saudosos anos 80, o diretor Gavin Hood (ou seja lá quem tenha dado as cartas) não deixou de fora nem mesmo a clássica cena de nudez para agradar quem gosta de ver homem peladão.

Antes que alguém levante a mão pra dizer que chamei Hugh Jackman de canastrão, eu gostaria de afirmar que o astro é
muito talentoso. Em Wolverine, ele apenas se dá ao luxo de interpretar um herói de caras e bocas de forma perfeita. O único problema que vejo em sua carreira é que apesar de ser o Wolverine definitivo do cinema, Hugh Jackman ainda não encontrou seu grande filme. Mas isso é outra história.

O problema mais grave de Wolverine é levar a sério seu papel de prequel. Explico: Sabemos que a história se passa cronologicamente antes de X-Men, mas Wolverine caminha para um clímax que depende (e muito) dos filmes dirigidos por Bryan Singer (X1 e X2) e Brett Ratner (X3). Sozinho, ele não funciona. Mas, ei, essa é a proposta da Marvel, que agora manda e desmanda em Hollywood. Eles já fazem isso nos quadrinhos há tanto tempo que os fãs concordarão que cinema também pode ser feito da mesma maneira. Como se fosse um clubinho fechado. Mesmo sabendo disso, o importante é ver Hugh Jackman honrando o Governator e seus amigos fazendo de Wolverine um filme ruim, mas bom. A dica é esquecer a lógica, zerar o cérebro e entrar no clima da diversão.

X-Men Origens: Wolverine (X-Men Origins: Wolverine, 2009)
Direção: Gavin Hood
Roteiro: David Benioff e Skip Woods
Elenco: Hugh Jackman, Liev Schreiber, Danny Huston, Will i Am, Lynn Collins, Kevin Durand, Dominic Monaghan, Taylor Kitsch, Daniel Henney e Ryan Reynolds

10 Comments:

At 8:38 AM, maio 07, 2009, Blogger Robson Saldanha said...

Não adianta coment´parios maldosos... eu ainda quero ver! hehehehe

 
At 10:09 AM, maio 07, 2009, Blogger Otavio Almeida said...

Mas eu fui bonzinho...

 
At 2:22 PM, maio 07, 2009, Anonymous Robson Santos Costa said...

Bem, eu já dei minha opinião sobre o filme no tópico dos filmes dos X-Men, e continua valendo a mesma.....

 
At 2:35 PM, maio 07, 2009, Blogger Otavio Almeida said...

Robson Flamenguista, vc me perguntou outro dia sobre a Raposa Prateada. Acho que vc já sabe, mas o nome da atriz é Lynn Collins, um clone piorado da Michelle Monaghan.

Abs!

 
At 3:05 PM, maio 07, 2009, Blogger Line para os íntimos. said...

Eu sempre acompanho teu blog. E concordo sobre o Wolverine. Assisti com algumas expectativas... Muita ação. De fato...só tinha ação e o Hugh Jackman nú.

Além de ler algumas críticas e escutar outras. Gostei do filme. E compraria para a minha coleção de super-heróis.

 
At 3:55 PM, maio 07, 2009, Anonymous Wally said...

O roteiro desse filme é execrável! Muito ruim mesmo! Mas Jackman-Schreiber foram uma dupla boa de atores e Gavin Hood insere um clima meio "ação trash" que descompromete a seriedade tola do roteiro. Mas o filme é bem fraco.

Ciao!

 
At 7:18 PM, maio 07, 2009, Blogger Otavio Almeida said...

Valeu pela participação, Line! E antes de críticos, somos cinéfilos e torcedores de nossos ídolos. Como o Wolverine. Ou o Hugh Jackman.

Wally, friamente é isso aí! É 80's action total! E esqueci de comentar, mas o Liev Schreiber tá legal no filme. Completamente insano!

 
At 1:08 AM, maio 08, 2009, Blogger João Vicente Nascimento Lins said...

Quero ver, mas só de saber que não tem sangue, já fico com um pé atrás (tá eu sei Batman do Cris Nolan tbm n tem, mas tem todo um roteiro inteligente, e tem o coringa, como vilão mais foda de uma adaptação de hq até agora). Mas se sobrar tempo, e disposição talvez eu assista.

 
At 2:04 PM, maio 11, 2009, Anonymous pac said...

Otavio a culpa é mais da Fox do que da Marvel né ? Esse filme é da Fox q entre outras coisas só gosta de filme que todo mundo possa assitir na sessao da tarde e acha que filme e desenho tem q ser dublado pra brasileiro poder assitir

 
At 1:50 PM, maio 20, 2009, Anonymous Robson Santos Costa said...

Otávio, valeu pelo Robson FLAMENGUISTA (eu fui na final do carioca heheheh, Maraca maravilhoso...dizer o que né?). É, eu procurei informações sobre a GATA Prateada. Não acho ela um clone piorada da Michelle, acho tão gatíssima quanto, nem tem como escolher mas se parecem mesmo.

João Vicente, o Batman não tem sangue mas sugere tanto coisa que acho que ficou até mais violento sem sangue, depende de como vc imagina(eu sempre imagino o pior heheheh).

 

Postar um comentário

<< Home