terça-feira, agosto 18, 2009

Arraste-me Para o Inferno


Sam Raimi se deu bem com os filmes da série Homem-Aranha, mas o diretor nasceu para fazer terror gore com sangue, vômitos, bocas babadas, dentaduras nojentas, cabras falantes, bigornas, encostos, bruxas, possessões, luzes, sombras, sons agonizantes e outros elementos facilmente chocantes do gênero. Raimi consegue ser nervoso ao extremo e, ao mesmo tempo, mantém um habilidoso senso de humor reforçado por movimentos de câmera rápidos e a troca incessante de planos e contraplanos, além de contar com uma trilha à moda antiga ensurdecedora composta por Lalo Schfrin. Assim é Arraste-me Para o Inferno (Drag me to Hell, 2009), terror de verdade, que prova que Sam Raimi não pode (e não merece) ser um eterno escravo de produtores e estúdios interessados em franquias bilionárias. Em outras palavras: Ele é um excelente diretor, que tem o direito de experimentar coisas novas, mas que precisa voltar sempre que possível ao seu território favorito.

No filme, Christine Brown (Alison Lohman, ótima), candidata à vaga de gerente de crédito bancário, nega mais um empréstimo à estranha Sra. Sylvia Ganush (Lorna Raver, fabulosa). A moça, claro, não sabia que a velha era uma bruxa cigana. Muito menos que seria alvo de uma maldição da desgraçada: Durante três dias, Christine será atormentada por um demônio chamado Lâmia. Logo depois, será arrastada para o inferno. Simples assim.

Quem conhece as origens do diretor vai reparar em sua assinatura nas cenas mais impressionantes do longa, que mesclam CGI e trucagens básicas.
Saudosistas podem reclamar do uso de computação gráfica em alguns momentos, mas será que é problema fazer um bom filme de terror com um orçamento generoso? Aposto que Sam Raimi queria essa grana quando rodou Evil Dead no início dos anos 80.


Deixando o terror de lado (se isso é possível), há um detalhe que me chamou a atenção na trama de Arraste-me Para o Inferno. Em tempos de crise financeira, será que a maldição imposta pela Sra. Ganush representa a vingança do povo? O capitalismo pode nos levar para o inferno? Estamos numa época em que a esmagadora maioria das pessoas é intolerante, como a Sra. Ganush, e individualista, como Christine. A personagem interpretada brilhantemente por Alison Lohman, no entanto, não deve ser considerada como a vilã da história. Acredito que ela é uma vítima do sistema que todos nós conhecemos.

Lá no fundo, Christine é uma boa pessoa, mas que, por cobiça, toma uma decisão que a beneficia, mas que prejudica a Sra. Ganush. Por outro lado, a velha coroca não quer saber se o chefe de Christine é o grande culpado. Muito menos avalia as ramificações do corporativismo para identificar o responsável por sua situação - sendo que ela mesma tem uma parcela de culpa no cartório. Ao rogar praga sem dó nem piedade à menina, a Sra. Ganush representa a parte do povo que não compreende o sistema e aponta seus bodes expiatórios. Na verdade, a intolerância e o individualismo andam de mãos dadas em nossa sociedade e todo mundo teme cruzar com uma Sra. Ganush pelo caminho. São pequenos devaneios, claro. Acima de qualquer coisa, acredito que o filme foi feito para divertir o público. E Sam Raimi é bem-sucedido neste ponto.

Isso não quer dizer que Arraste-me Para o Inferno estimule Hollywood a investir novamente neste tipo de filme ainda incompreensível para a geração atual. Por incrível que pareça, não foi feito para o povão, mas para cinéfilos que admiram qualquer gênero da sétima arte. Quem tem memória curta, pode reclamar da ausência de cacoetes do cinemão de horror nos últimos anos, como meninas de cabelos escuros cobrindo o rosto, reviravoltas mirabolantes de roteiro no final do filme ou violência sádica. Arraste-me Para o Inferno é nada mais, nada menos que uma viagem no tempo dentro do gênero. É terror como se fazia nos anos 80, muito antes de Hollywood ficar sem ideias e descobrir os exemplares japoneses, além de distorcer longas como O Silêncio dos Inocentes e Seven - abandonando o psicológico e apostando no sangue e na carne - em busca do torture porn.



Raimi sabe que o terror verdadeiro vem do desconhecido ou do sobrenatural. Como poucos, consegue extrair comédia do horror sem jamais cair no ridículo. Digamos, então, que ele seja um pintor capaz de extrair medo da luz e humor da escuridão. Mas Raimi também é um exímio contador de histórias e acerta ao colocar o espectador ao lado de Christine. Acompanhar sua jornada é viciante. Dá vontade de repetir a dose por duas, três ou quatro vezes. Em DVD, as cenas memoráveis serão revistas até gastar o disco.

É aquele filme que faz desaparecer o olhar de crítico para dar lugar ao olhar de fã. E isso é um elogio, afinal, quantas produções, hoje em dia, têm esse poder? Como bom entendedor de cinema, o diretor sabia o que estava fazendo. De quebra, ainda entregou um final espetacular, que jamais será esquecido. Só espero que ele explore, cada vez mais, a sua assinatura. São por essas e outras razões, embora eu admire MUITO Homem-Aranha 1 e 2 (o 3 nem o diretor gosta), que rezo para Sam Raimi não ser arrastado para o inferno de Hollywood.


Arraste-me Para o Inferno (Drag me to Hell, 2009)
Direção: Sam Raimi
Roteiro: Sam Raimi e Ivan Raimi
Elenco: Alison Lohman, Justin Long, Lorna Raver, Dileep Rao, David Paymer, Reggie Lee e Adriana Barraza

E LEIA TAMBÉM:
"OS 10 MELHORES FILMES DE TERROR"
Antes de "Arraste-me Para o Inferno", claro.

15 Comments:

At 7:05 PM, agosto 18, 2009, Blogger Bruno Soares said...

Ainda não chegou por aqui, mas verei assim que possível. Até pq é um filme que TODO MUNDO gostou(!). Incrível isso. Pelo menos recentemente curei a dor de cabeça causada por GI Joe com o filmão do Mann. Abs!

 
At 7:11 PM, agosto 18, 2009, Blogger Otavio Almeida said...

BRUNO
Ah, gostou de INIMIGOS PÚBLICOS, é? Filmão mesmo. Mas não perca ARRASTE-ME PARA O INFERNO quando o filme estrear aí. Abs!

 
At 7:16 PM, agosto 18, 2009, Blogger Marcus Vinícius said...

E tomara que reacenda o público para o gênero, apesar que tem uma porrada de filmes bons recentes (os franceses Martyrs, Haute Tension e A Invasora, por exemplo) e de futuras estréias (Grace, Survival of the Dead).
Eu gostei bastante do filme também, certo que se ainda estiver passando verei novamente.

Saudações!

 
At 8:14 PM, agosto 18, 2009, Blogger altieres bruno machado junior said...

Olá Otávio

Estou curioso para ver Sam Raimi voltar as suas origens cinematográficas. Com certeza este seu novo filme de terror deve causar muitos arrepios. Quero conferir, de preferência no cinema.

Abrfaços e até mais.

 
At 9:35 PM, agosto 18, 2009, Blogger Mayara Bastos said...

O filme parece ser interessante, já que não curto muito estas paradas do Raimi para realizar "Homem Aranha". Mas tenho um pouquinho de medo, rsrsrsrsrsrsrs. Mas é isso que o filme quer passar, certo? rsrsrsrsrs.

 
At 11:19 PM, agosto 18, 2009, Blogger Pedro Henrique said...

Eu vou ver novamente nesse fim de semana. É demais.

 
At 7:34 AM, agosto 19, 2009, Blogger •. Cℓєвєя! . - said...

Não gosto do trabalho de Riami, por isso vou esperar a chegada dessa na locadora!

 
At 8:39 AM, agosto 19, 2009, Anonymous Robson Costa said...

Eu vi o trailer dele no cinema quando fui ver Inimigos Públicos e só o trailer já deu medo, imagino ser realmente muito bom.

 
At 1:32 PM, agosto 19, 2009, Blogger Weiner said...

Sem dúvida alguma o gênero terror tem sido "rechaçado" pela maioria dos cineastas da atualidade. Sam Raimi fez o cult (mas nem tão magnífico) "A Morte do Demônio", e concordo quando diz que ele fica mais à vontade em filmes "pessoais" do que em franquias bilionárias. Vou pegar este aí no cinema, assim quen estrear aqui. Afinal de contas, sua cotação me deixou bem curioso.
Abs!

 
At 5:09 PM, agosto 19, 2009, Blogger Kau Oliveira said...

Todo mundo adorando este filme. Eu ADORO o trailer e assim que me livrar de alguns trabalhos e seminários vão correndo assistir! Bom texto! Me deixou ainda mais perturbado hahahaha.

Abs!

 
At 5:19 PM, agosto 19, 2009, Blogger Ygor Moretti Fiorante said...

quero muito ver esse filme, me lembro ainda de uma noite alucinante, acho q foi o filme de terror q mais marcou minha infancia e adolecenca, achei bakana depois de me recuperar do medo que veio primeiro rsss

 
At 7:18 PM, agosto 19, 2009, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, desculpe o palavrão, mas esse filme é do caralho!!!

 
At 10:25 AM, agosto 20, 2009, Blogger Otavio Almeida said...

MARCUS
Fiquei curioso a respeito desses filmes que você citou. Vou procurar. Abs!

ALTIERES
Sim! Veja no cinema, claro! Terror também é cinema. E como em qualquer gênero, tem bons, maus e grandes filmes. Abs!

MAYARA
Mas o filme também é engraçado, o que acaba aliviando o "medo". Mas o filme também aposta em mistérios e folclores que fazem parte do imaginário de muita gente. E isso dá medo, certo? Bjs!

PEDRO
Também quero ver de novo. Poucos filmes conseguiram fazer isso comigo neste ano. Digo, entre as verdadeiras produções de 2009. Abs!

CLEBER
E o que merece ser visto no cinema além de um filme bem feito em todos os quesitos e com som de primeira? Abs!

ROBSON
É muito bom sim! Vá sem... medo. Hmm... Ficou estranho isso... Abs!

WEINER
Veja o filme. Depois quero ler sua opinião. Abs!

KAU
Obrigado! E não fique perturbado. Vá ao cinema que passa. Abs!

YGOR
UMA NOITE ALUCINANTE é demais. Mas eu prefiro A MORTE DO DEMÔNIO, que é menos cômico e tem um fim propriamente dito. Abs!

DENIS
Não se desculpe! É do caralho mesmo! Abs!

 
At 12:58 AM, agosto 21, 2009, Anonymous Wally said...

Farei o possível para vê-lo neste fim de semana. Tudo leva a crer que é indispensável.

Agora, e o público do cinema, como reagiu ao trash?

 
At 10:50 AM, agosto 21, 2009, Blogger Otavio Almeida said...

Cara, a sessão estava vazia. Mas muita gente ensaiou uns "Oh" e outros "Hahahahhaha"... Abs!

 

Postar um comentário

<< Home