terça-feira, abril 08, 2008

Horton e o Mundo dos Quem!


O elefantinho fofinho Horton (voz de Jim Carrey) descobre que há vida dentro de um grão. É a Quemlândia, um mundo povoado por seres microscópicos. O simpático e atrapalhado Horton sabe que a selva é perigosa para o grão e precisa protegê-lo até encontrar um local seguro. Em sua jornada, o elefantinho bonitinho alerta o Prefeito dos Quem (voz de Steve Carell) para as constantes ameaças que a Quemlândia enfrenta, mas que seus habitantes não têm conhecimento. Com receio das conseqüências dos ideais de Horton, alguns animais extremistas, que parecem a Santa Inquisição, querem a cabeça (ou a tromba) do herói. Só porque o lema de Horton é: "Uma pessoa é uma pessoa, não importa o seu tamanho."

A teoria é legal, mas não se engane. Fruto da mente criativa do Dr. Seuss, autor de cerca de 40 livros infantis como How the Grinch Stole Christmas e The Cat in the Hat, a trama de Horton e o Mundo dos Quem! (Horton Hears a Who!, 2008) é assumidamente infantil. Por muitos anos, o escritor e cartunista fez o imaginário das crianças americanas e garantiu um lugar cativo na cultura dos EUA. Mas o Dr. Seuss nunca foi tão popular no Brasil. Aqui, o negócio é Maurício de Sousa e a sua Turma da Mônica.

Pela fidelidade ao livro original, a emoção oferecida pela animação Horton e o Mundo dos Quem!, do Blue Sky Studios (responsável por A Era do Gelo), atingiu em cheio o público americano. No Brasil, animações sempre vão bem nas bilheterias, mas apesar das curiosas metáforas inseridas na trama, Horton e o Mundo dos Quem! pretende mesmo é dialogar com a criançada, especialmente os pequeninos até cinco anos de idade. Meninos e meninas com mais do que isso, já terão vergonha de serem vistos na fila do filme.

Há muito tempo que eu não vejo uma animação voltada quase que exclusivamente para a garotada. Para os adultos, duas dicas: 1) Ou Horton e o Mundo dos Quem! desperta o menino (ou a menina) que cresceu com as histórias do Dr. Seuss ou; 2) É melhor levar seu filho, sobrinho ou irmãozinho nessa sessão.

Ao adulto, nem ao menos resta a discussão da frase "Uma pessoa é uma pessoa, não importa o seu tamanho" ou do grito "Nós estamos aqui", que surge perto do final. Alguns radicais que procuram mensagens (ou problemas) na arte usaram Horton e o Mundo dos Quem! em discursos contra o aborto e pesquisas com células embrionárias. Mas se é assim, a animação também luta pela preservação da natureza e a igualdade entre povos e raças. Não sei se o Dr. Seuss teve essa intenção, mas sua obra se tornou domínio público. Eu acho bobagem, porque se há alguma teoria, a prática de Horton e o Mundo dos Quem! é a diversão para a criançada.

Em sua parte técnica, a animação é maravilhosa e serve muito bem ao roteiro voltado para gente miúda. A verdade é que achei o humor bobo para adultos (ou meninões como eu). Todos os personagens entram em cena tropeçando, batendo a cabeça, etc. E é uma pena que a premissa sobre a existência de diversos mundos seja concluída de forma infantil. Sei que estou pedindo demais, mas acredito que Horton e o Mundo dos Quem! funcione mais com os meninões americanos. Ou com o público-alvo de canais como Discovery Kids e Baby TV.

Horton e o Mundo dos Quem! (Horton Hears a Who!, 2008)
Direção: Jimmy Hayward e Steve Martino
Roteiro: Ken Daurio e Cinco Paul (Adaptado do livro do Dr. Seuss)
Com as vozes de Jim Carrey, Steve Carell, Carol Burnett, Seth Rogen, Will Arnett, Dan Fogler, Amy Poehler e Isla Fisher

17 Comments:

At 7:01 PM, abril 08, 2008, Blogger Kamila said...

Eu adorei "Horton e o Mundo dos Quem!". O filme tem um roteiro muito legal e o que eu mais gostei nele foi o fato de o final ser conciso. Não temos aquelas cenas adicionais para enrolar ainda mais. O filme termina na hora certa.

Só lamento não ter tido a oportunidade de assistir ao filme na sua versão original.

Beijos.

 
At 7:11 PM, abril 08, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Já estou com saudade da Pixar, Kamila!

Bjs!

 
At 8:41 PM, abril 08, 2008, Blogger Johnny Strangelove said...

Estamos ficando velho amigo ...
Porém se for essencialmente infantil já é algo bom ...

 
At 10:24 PM, abril 08, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Olha Otávio, eu fui assistir essa animação sem esperar muita coisa e talvez por isso fiquei surpreso e saí do cinema satisfeito. Não é nenhuma maravilha que nem Ratatouille, mas é bem superior a muitas animações feitas por aí e a qualidade do desenho é inegável. Talvez no final ele dê uma pequena escorregada para o infantil demais naquela cantoria toda, mas se você avaliar o desenho aquela é a única parte em que há uma canção, sendo que tem muitas animações chatas com canções do início ao fim. Acho a cotação de apenas 2 estrelas injusta, você poderia pelo menos aumentar pra 2 e meio, né? Abs.

 
At 11:02 AM, abril 09, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

Sou meio chato para animações, essa aí não me chamou atenção. Acho que às vezes fico esperando um novo "A Bela e a Fera", por isso a desilusão.

Abraço!!!

 
At 11:03 AM, abril 09, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

É essencialmente infantil, Johnny! Mas velhos, não! Eu quero ver WALL-E!!!!

Denis, você citou RATATOUILLE. Isso! Acho que não podemos nos contentar com pouco... E não acho que somente a canção torna o filme infantil (ou musical).

Abs!

 
At 11:05 AM, abril 09, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Pedro, falando em esperar por outro A BELA E A FERA... Será que alguém sabe me dizer se existe o DVD de FANTASIA 2000???? Nunca vi. Só o original.

Abs!

 
At 11:21 AM, abril 09, 2008, Blogger Johnny Strangelove said...

Então é bom ... para quem gosta do genero ... eheheh

 
At 11:30 AM, abril 09, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Mas Johnny, eu não acho que RATATOUILLE seja voltado somente para as crianças, por exemplo. Ou TOY STORY. Ou O REI LEÃO mesmo. Ou AKIRA, A VIAGEM DE CHIHIRO e SHREK. Já penso isso de HORTON E O MUNDO DOS QUEM!

Abs!

 
At 11:43 AM, abril 09, 2008, Blogger Guhn said...

See Please Here

 
At 12:09 PM, abril 09, 2008, Anonymous Vinícius P. said...

Não sei se se é porque sou fã de animações, mas achei "Horton" excelente. E discordo plenamente quando você comenta que é boba para adultos - posso ser muito criança então, já que fiquei super emocionado com o final.

Abraço!

 
At 12:11 PM, abril 09, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Hahahhahahaha... Ok, Vinicius! Acho que preciso ver mais desenhos. A vida anda muito estressante aqui em SP. Que venha WALL-E!

Abs!

 
At 12:36 PM, abril 09, 2008, Anonymous Denis Torres said...

É Otávio, depois de Ratatouille, o céu não é mais o limite para vc. WALL-E tem tudo para ser o desenho do ano e que assim seja. Parafraseando Napoleon Dynamite: Peace Out! Aliás, você poderia escrever uma crítica sobre este filme na seção Hollywoodiano Cult, pois é um filme que todos que eu conheço gostaram, mas a maioria da pessoas não conhece. É, in my humble opinion, um dos fenômenos mais recentes de bilheteria nos EUA(pelo que foi investido)e tornou cult por lá em pouquíssimo tempo. O engraçado é que pela tradição os filmes cult não obtém bons resultados de bilheteria ou crítica, o que aconteceu exatamente o contrário com NP. Abs.

 
At 12:47 PM, abril 09, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, depois de assistir a Shine a light, pergunto: vc já assistiu o filme concerto que Scorcese fez em 78 chamado The Last Waltz?

 
At 1:00 PM, abril 09, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Sim! Eu já vi. Acho que envelheceu bastante. Mas eu curti. Abs!

 
At 2:00 PM, abril 09, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, fiquei sabendo que a equipe do Flamengo assistiu ontem à noite o filme O Gladiador para se motivar no jogo que tem hoje contra o Cienciano na Libertadores. Não seria melhor ter assistido Ben Hur? rsrs Abs.

 
At 1:53 AM, abril 11, 2008, Anonymous Rodrigo Azevedo said...

Eu não esperava nada desse filme, no fim das contas até achei engraçadinho.

 

Postar um comentário

<< Home