quinta-feira, abril 17, 2008

O mapa de Australia


O australiano Baz Luhrmann é um diretor ousado. Quem se arrisca é capaz de fazer grandes filmes. Ou grandes bombas. Mas esse é o caminho. Por tentar inovar a estrutura e a linguagem da narrativa, Luhrmann merece respeito e admiração. Mesmo de quem não gosta de seus filmes extravagantes.

No momento, ele trabalha no épico Australia. Até aqui, as fotos divulgadas revelam que este pode ser o filme romântico do ano. Ao menos isso, afinal há muita conversa paralela em Hollywood a respeito do projeto. Uma delas é sobre o potencial do roteiro de Stuart Beattie (Colateral), Ronald Harwood (O Pianista) e Richard Flanagan para ser aclamado como "O novo E o Vento Levou".


Recluso desde 2001, quando dividiu opiniões com seu musical Moulin Rouge (mas que tem mais fãs do que se imagina), Lurhmann tentou fazer Alexandre, O Grande, com Leonardo DiCaprio, mas não foi mais rápido do que Oliver Stone, que dirigiu aquele desastre com Colin Farrell no papel principal.

Com a saga de Alexandre deixada para trás, Baz Luhrmann desenvolveu Australia com extrema paciência. Exigente e com um belo olhar para detalhes, Luhrmann planeja algo realmente grande para o filme, que não poderia deixar de ter a presença da musa do diretor, Nicole Kidman.


Se Australia será o novo E o Vento Levou, ainda é cedo para discutir. Hollywood sabe se promover. Aliás, pouco se sabe da visão de Baz Luhrmann referente a este filme. Alguns dizem que é um musical, enquanto outros imaginam que se trata de um épico romântico bem sério. Não se sabe nem mesmo se o diretor continuará com a montagem histérica utilizada em Romeu + Julieta e Moulin Rouge. Pode até ser uma mudança de ares para Luhrmann, assim como Sangue Negro foi para o cinema de Paul Thomas Anderson.

Talvez Australia faça com que a Academia se reencontre com sua tradicional preferência por épicos românticos. Veja só: Moulin Rouge foi ousado demais e recebeu oito indicações ao Oscar, mas levou apenas duas estatuetas (Direção de Arte e Figurino). Graças a Baz Luhrmann, o musical voltava com tudo a Hollywood - ainda que causando uma certa estranheza pela roupagem moderninha. No ano seguinte, em 2002, a conseqüência foi o caminho aberto para o gênero, que se consagrou (novamente) com um filme mais convencional que Moulin Rouge e que apostou no velho estilo Broadway idolatrado pelos americanos. Resultado? Chicago ganhou seis Oscars, incluindo Melhor Filme.

Tudo isso para voltar ao assunto "Academia X Épicos Românticos". Neste ano, tivemos o deslumbrante, apaixonante Desejo e Reparação, de Joe Wright. Embora tenha disputado o prêmio principal, o filme ganhou um Oscarzinho só de Melhor Trilha Sonora. Há pouco tempo, um belo épico (e de preferência, romântico) costumava ser aposta certa no Oscar. Atualmente, a Academia anda preocupada com sua seriedade questionável e prefere "filmes de críticos" como Onde os Fracos Não Têm Vez. E, claro, a Academia está se renovando e conta com muitos jovens hoje em dia.

Mas talvez Desejo e Reparação tenha deixado um caminho rumo ao Oscar para um bom representante do gênero, que pode vir a ser Australia. O que pode ajudar: muita gente torceu por Moulin Rouge no Oscar 2002. E muitos reclamaram da ausência de Baz Luhrmann na categoria de Melhor Diretor. Enfim, esse pode ser o ano da consagração deste irreverente cineasta. E da reconciliação da Academia com épicos românticos.


Deixando os prêmios um pouco de lado, Australia vem aí cheio de aspectos interessantes. O maior deles é a reunião de uma equipe quase que inteiramente de australianos. Quando tudo começou para este sonho de Baz Luhrmann, o diretor imaginou os conterrâneos Nicole Kidman e Russell Crowe fazendo par romântico. Mas a agenda de Crowe anda lotada, principalmente por causa de sua duradoura parceria com o diretor Ridley Scott. De qualquer forma, isso não foi um problema.

Luhrmann convidou Hugh Jackman, que aceitou. Aliás, essa pode ser a grande chance de Jackman depois de seu papel como Wolverine. É verdade que X-Men abriu as portas para o astro, mas até agora, ele não foi reconhecido como um ator que saiba... atuar. E ele sabe. Mas como Hollywood tem a mente que tem, quando os estúdios pensam num australiano para um filme, eles logo imaginam Russell Crowe. Como Baz Luhrmann fez. De repente, Australia talvez seja o Gladiador de Hugh Jackman.

A trama do filme se passa obviamente numa Austrália às vésperas da Segunda Guerra Mundial (Hmm... Romance + Tragédia Histórica = Oscar?). Neste cenário, Lady Sarah Ashley (Nicole Kidman) recebe uma fazenda de herança, mas o local é cobiçado por um barão. Um cowboy (Hugh Jackman) decide ajudá-la, mas um problema ainda maior surge na frente do casal: o bombardeio japonês da cidade de Darwin, na Austrália.


A expectativa em torno do épico é imensa. Muita coisa vai rolar até o dia 14 de novembro, quando o filme estrear nos EUA. Ainda nem temos um trailer para conferir parte do resultado. Mas tudo indica que Baz Luhrmann se arriscou novamente. E é assim que nascem os grandes filmes. Ou bombas. A tentativa já é louvável. Australia tem estréia prometida para o dia 25 de dezembro no Brasil.

14 Comments:

At 7:35 PM, abril 17, 2008, Blogger Isabela said...

Já irei anotar na minha lista de filmes para assistir, para não esquecer!

 
At 10:27 PM, abril 17, 2008, Blogger Flávia said...

As fotos estão lindaaas! Vou querer ver.

Bjks!

 
At 11:13 PM, abril 17, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Tenho a impressão que vai ser um grande filme e não vai ser musical não (assim espero). Se vai papar um monte de Oscars não sei, isso depende se surgirão concorrentes no mesmo estilo épico romântico. Pois esse ano o Oscar foi muito "alternativo" mas ano que vem tá com cara de aparecer un novo Titanic, seja ele Austrália ou não. Geralmente essa é a tendência...

 
At 11:37 PM, abril 17, 2008, Anonymous Wally said...

Austrália é uma aposta séria para mim. Eu gosto de Baz. Amo ousadia e apesar dos efeitos (acho que Moulin Rouge e Romeu + Julieta só não são melhores justamente por causa da montagem vistosa demais) são filmes deslumbrantes e que me conquistaram.

Também acho que Austrália tenha potêncial para ser o Atonement do ano. Se for, eu ficarei extremamente grato.

E já viu Fonte da Vida?? Para mim é a prova concreta e bruta do talento de Hugh Jackman, que atuou com intensidade e beleza.

Ciao!

 
At 8:36 AM, abril 18, 2008, OpenID cineresenhas said...

Otavio, com o passar dos tempos, pouco ando me importando com o potencial de uma obra em conquistar indicações ao Oscar e mais pelos envolvidos no projeto. Mas também, como você informa, é muito cedo para pensarmos nisso, pois há pouco vimos à consagração de "Onde os Fracos Não Têm Vez" e temos pouco material de divulgação de "Australia". Mas Nicole Kidman sempre foi e sempre será um motivo forte para eu comparecer na estréia nacional.

Tenha um excelente fim de semana

 
At 10:20 AM, abril 18, 2008, Blogger Kamila said...

"Australia" é, definitivamente, um projeto ambicioso. Mas, ambição é uma palavra que Baz Luhrmann conhece bem. Ele é um cineasta destemido e que não tem medo de transpor barreiras.

As fotografias são deslumbrantes e uma prova de que a estética desse filme será sensacional.

No entanto, prefiro esperar o trailer para poder começar a falar das possíveis chances desse filme no Oscar 2008.

Mas, como fã de épicos românticos, esse é um filme que aguardo bastante.

Beijos e bom final de semana!

 
At 11:15 AM, abril 18, 2008, Blogger fabiana said...

Eu espero que Nicole não erre a mão e seja outra 'mocinha sem sal' como em Could Moutain. Minha grande aposta é em Hugh Jackman, torço para que ele mostre algo mais que Wolverine.

No aguardo.

 
At 12:48 PM, abril 18, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

E eu que pensava que a estréia seria bem antes...

Resta esperar então...

Abraço!!!

 
At 4:09 PM, abril 18, 2008, Blogger Hypado said...

Deve ser otimo.

 
At 8:08 PM, abril 18, 2008, Blogger Rodrigo Fernandes said...

Na boa, se a qualidade das fotos se refletir no filme... deve ser o fime do ano...
Tomara que venha com tudo mesmo e seja o "e o vento levou..." do século 21.
abraços

 
At 8:33 PM, abril 18, 2008, Blogger Grogal said...

See Please Here

 
At 11:40 PM, abril 18, 2008, Anonymous Vinícius P. said...

Eu nem acho que será reconhecido nas premiações (para mim terá um desempenho semelhante a "Cold Mountain", com destaque para a parte técnica), mas torço para que seja outro grande trabalho do diretor - e foi essa a impressão que tive ao ver essas belíssimas fotos.

 
At 12:06 AM, abril 19, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Amigos, espero que seja um grande filme.

Abs a todos! E um bom final de semana!

 
At 4:12 PM, abril 20, 2008, Blogger Romeika said...

As fotos estao deslumbrantes, mal posso esperar!!

 

Postar um comentário

<< Home