segunda-feira, abril 28, 2008

Os Reis da Rua


O que dizer de um filme que denuncia toda a sua trama em seus primeiros 10 ou 15 minutos? E quando esse filme tem atores do calibre de Forest Whitaker, vencedor do Oscar por O Último Rei da Escócia, e Hugh Laurie, duas vezes ganhador do Globo de Ouro? E que Hugh Laurie, o House em pessoa; pai de Stuart Little, aparece somente em meia dúzia de cenas? E isso só para dar espaço ao grande protagonista Keanu Reeves. Essa perda de tempo se chama Os Reis da Rua (Street Kings, 2008). Mesmo com Whitaker e Laurie no elenco, parece que o único nome a reinar em cena é o do Sr. Reeves, um ator limitado com o rei na barriga depois de Matrix.

Dirigido por David Ayer, roteirista de Dia de Treinamento, que estréia no ofício de cineasta, Os Reis da Rua - como o filme que deu o Oscar de Melhor Ator a Denzel Washington, em 2002 -, também é mais um filme sobre um tira honesto no meio de uma polícia corrupta. Apesar do polêmico banho de sangue promovido pelo policial Tom Ludlow (Reeves) para fazer justiça nos 10 minutos iniciais, não é preciso ser gênio para adivinhar que ele é o mocinho nesse ninho de cobras. Os abraços de urso e tapinhas nas costas do "herói" já dizem ao espectador como o filme vai acabar.

O problema é que a história engrena depois de meia hora de filme. Até a última cena, quando Ludlow soluciona o mistério envolvendo o assassinato de um ex-parceiro da lei, o diretor enrola e exagera na lentidão do desenvolvimento da trama como se houvesse alguma carta na manga; uma surpresinha só guardada para o pobre do espectador. Ledo engano. O final é exatamente aquele desenhado no começo do filme. Você sabe quem é bonzinho e quem é bandido. Sabe quem vai morrer e quem sobreviverá. Então, para quê tanta enrolação?

Os Reis da Rua é um desperdício de elenco e paciência. Em poucas cenas, Hugh Laurie aparece bem e Forest Whitaker dá um show, claro. Eles são ótimos. Mas todos estão ali para servirem ao grande Keanu Reeves, que se contenta em fazer cara de quem não dormiu à noite e tomou cachaça no café da manhã. Quer mais? Seu Tom Ludlow tem um trauma do passado a ser superado no decorrer da história. Quer mais clichê do que isso? Só adivinhando o final do filme logo no início.

E olha que Os Reis da Rua saiu da mente de James Ellroy, autor dos livros que originaram Los Angeles - Cidade Proibida, de Curtis Hanson, e Dália Negra, de Brian De Palma. Aqui, ele é um dos roteiristas. Lamentável. Diferente de Los Angeles - Cidade Proibida, Os Reis da Rua não é um trabalho estupendo em conjunto dos atores. Todos são apoios para Keanu Reeves. Só que o astro esqueceu que não está em Matrix, um filme que ninguém liga se ele é ou não é um bom ator.

O interessante no meio disso é lembrar que além de Dia de Treinamento, o cinema que David Ayer quer contar tem suas raízes em Serpico, clássico de Sidney Lumet. Mesmo com esse baita ponto de partida como referência, e com um elenco caro (e James Ellroy), o diretor conseguiu estragar tudo. Lógico que Ayer jamais faria um novo Serpico. Longe disso. Mas nem chegou aos pés de belos policiais modernos como o recente (e subestimado) Os Donos da Noite.

Os Reis da Rua é assistível, mas não engana ninguém, afinal o filme não chegaria a lugar algum sem nomes famosos iluminando o pôster. E o problema do roteiro não é lembrar outros filmes semelhantes, mas ser completamente óbvio. Ainda seria dessa forma se o mesmo script tivesse sido o primeiro a tratar do tema da corrupção na polícia. É como jantar aquele macarrão requentado do almoço de domingo não na segunda, mas na terça-feira.

Os Reis da Rua (Street Kings, 2008)
Direção: David Ayer
Roteiro: James Ellroy, Kurt Wimmer e Jamie Moss
Elenco: Keanu Reeves, Forest Whitaker, Hugh Laurie, Chris Evans, Martha Higareda e Cedric the Entertainer

25 Comments:

At 11:29 PM, abril 28, 2008, Anonymous Robson Saldanha said...

É curioso isso! Porque hoje mesmo li uma resenha sobre esse filme elogiando-o, dando quatro estrelas! Acho que precisarei assisti-lo pra tirar minhas próprias conclusões. Gostei do trailler, vamor ver na hora H!

abraço!

 
At 12:16 AM, abril 29, 2008, Anonymous Wally said...

Curiosamente não tive muito interesse em vê-lo nos cinemas. Me identifiquei mesmo foi com Whitaker e com o nome de Ellroy assinando o roteiro. Mas pelas duras críticas, o roteiro é trash, e o filme também. Uma pena. Poderia ter sido uma grata surpresa policial. Se ainda tiver passando semana que vem, talvez, e somente talvez, verei.

Ciao!

ps: lhe respondi lá no blog, antes da crítica de Ponto de Vista. Adorei Akira, mas não a ponto de considerá-lo obra-prima. Acho que ainda tem muito filme ali para ser digerido. Quero rever automáticamente, e farei isso assim que abrir espaço de tempo. Mas eu adorei e vibrei com cada segundo. Aquela narrativa é primorosa!

Ciao!

 
At 12:32 AM, abril 29, 2008, Anonymous Rodrigo Azevedo said...

Vontade zero de ver esse filme.

E ah,
Muito esquisita a politica de lançamento de Tres Vezes Amor. Pouquissimas cópias. Aqui no litoral nem chegou...

 
At 12:39 AM, abril 29, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

Quero muito ver pelo Forest, mas quanto ao filme, não esperava grande coisa...

Abraço!!!

 
At 2:50 AM, abril 29, 2008, Blogger Rodrigo Fernandes said...

Apesar da crítica pretendo ir assisti-lo pelo elenco,mesmo ja´não indo com tanta animação como estava antes, ehehe
abraços, Otávio!!!

 
At 8:57 AM, abril 29, 2008, Anonymous Yab said...

Gostava de saber em quê que o autor desta crítica se baseia para dizer que Keanu Reeves tem "o rei na barriga depois de Matrix"; ou que o mesmo actor se esqueceu de que filme onde está, e que os outros actores só lá estão para o "servir", e para serem os únicos pobres desgraçados que fazem um bom serviço.
Só sei é que a sofreguidão com que se deita um dos actores em particular a baixo, faz-me duvidar da boa fé do resto da crítica...

 
At 10:53 AM, abril 29, 2008, Blogger Johnny Strangelove said...

só uma pergunta ...
saturaram o tema?

 
At 11:07 AM, abril 29, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Olá Robson! Veja o filme e depois me conte o que achou.

Wally, não gostei desse filme. Previsível, previsível... E eu acho AKIRA maravilhoso. É ficção científica vinda de mentes orientais. Digo, a compreensão de seu conteúdo para uma mente ocidental se torna uma tarefa um tanto complicada. Para isso, é preciso ver e rever AKIRA.

Rodrigo, o problema é que o protagonista não é o Tom Cruise, por exemplo. Assim, o filme teria um grande lançamento. Infelizmente.

Pedro, o Forest Whitaker tem um belo momento nos minutos finais.

Rodrigo, não liga pra mim. Veja o filme e depois me conte o que achou. Aí releia o que eu escrevi.

Yab, diga-me um bom filme estrelado pelo Keanu Reeves depois que MATRIX acabou. Ele é astro, certo? Então, meu rico dinheirinho será investido em uma de suas produções, não é? Pois acho que ele deve se preocupar sim com suas escolhas. É o meu (e o seu) dinheiro em jogo. Não podemos ir ao cinema somente pq o cara tem um "nome".

Pois é, Johnny. Eu ia citar que depois de OS INFILTRADOS, que nem é um roteiro original, Hollywood redescobriu o gênero. E dá-lhe OS DONOS DA NOITE, OS REIS DA RUA, etc. É a maldita tendência...

Abs a todos!

 
At 11:07 AM, abril 29, 2008, Blogger Daniell said...

Só meia dúzia de cenas com o Dr. Casa!? Que ultraje, agora que não assisto mesmo! Isso merecia uma bengalada na cabeça! :)

 
At 11:09 AM, abril 29, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Daniell, House certamente daria uma bengalada na cabeça do diretor.

Abs!

 
At 2:01 PM, abril 29, 2008, Anonymous Yab said...

Depois de Matrix? Sem dúvida uma coisa chamada A Scanner Darkly; e, apesar de críticas (tendeciosamente?) más, Constantine. Isso, se não contármos o espaço entre o Matrix e as sequelas: Something's Gotta Give, e The Gift, onde o papel que faz é apoiado até por críticos que não vão minimamente com a cara dele.
À parte disso, não meço o valor de um filme pelo dinheiro que faz na bilheteira. E nem pelos "nomes" que lá entram: tenho o dvd do atrás mencionado ASD, mas não tenho nem fui ver ao cinema A Casa do Lago, por exemplo. O que me interessa é o que o filme quer transmitir.
Nisto, talvez "Os Reis da Rua" falhe, mas desconfio sempre quando se atira a falha para as costas de um único interveniente, enquanto se desculpa repetidamente a performance de todos os outros actores. Achei particularmente denunciador o facto de o crítico ter a necessidade de desvalorizar e pisar no trabalho de Keanu Reeves em Matrix. O que é, no mínimo, injusto. Sendo assim, como é que é? O filme é realmente mau, ou isto é apenas um caso de odiozito contra um determinado indivíduo? Afinal, todos os outros actores terão feito esta mesma (supostamente má) escolha...
E continuo sem perceber essa do "rei na barriga". Pelos vistos, um tipo passa a ser mal visto por querer continuar a trabalhar. Indepentemente de haver os que gostam, e os que não gostam desse trabalho.

 
At 2:25 PM, abril 29, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Yap, eu disse "depois que acabou MATRIX". Falo da trilogia. Mas tem razão. ALGUÉM TEM QUE CEDER é um bom filme. Mas não por causa de Keanu Reeves.

Eu acho que ele é um ator limitado que vive dizendo "WOW". Desculpa. Mas eu acho.

Ele é o protagonista de OS REIS DA RUA, que tem um roteiro fraco e previsível. Acho sim que Reeves deveria escolher bem seus projetos. Em OS REIS DA RUA, ele deveria sair de cena na metade do filme e dar espaço para bons atores como Forest Whitaker e Hugh Laurie. Mesmo com um roteiro medíocre, eles são capazes de segurar um filme.

O ingresso do cinema não é barato. As séries de TV, por exemplo, conseguem surpreender a cada episódio. Então, para quê ver um filme desses e gastar dinheiro? Prefiro ficar em casa e ligar a TV. Fiz bobagem mesmo.

E convenhamos, OS REIS DA RUA não é um "filme de arte" que mereça uma discussão tão séria. Você pode gostar do filme e eu respeito isso. Mas, para variar, achei o Keanu Reeves fraco, o roteiro é previsível e sem criatividade alguma. É a minha opinião. E a culpa não é só dele. E não é um "odiozito". Até pq ele me deu muita alegria com o primeiro MATRIX. Paz!

Abs!

 
At 3:25 PM, abril 29, 2008, Anonymous Yab said...

E eu mencionei "depois que acabou MATRIX", a trilogia: A Scanner Darkly. Ou este é um "mau filme"?
Além disso, uma coisa, é achar um determinado actor "limitado"; daí a reduzir as suas performances a um mero "wow" de quem faz pouco, já me parece um bocado abusivo.
Além disso, culpá-lo mais do que qualquer um dos outros actores que, repito, fizeram exactamente a mesma escolha de filme, também me parece tendencioso. Como me parece tendencioso esperar que o dito actor saia de cena para deixar brilhar os actores que você prefere. Mas isso já seria outra conversa. Sim, é apenas uma questão de opinião, e de eu não concordar com muita coisa do que por aí se escreve...

 
At 4:06 PM, abril 29, 2008, Blogger Kamila said...

Otavio, eu vou mais longe: o filme revela tudo no trailer!!! Já dá para saber totalmente que vamos assistir ao tipo de obra que você descreveu no seu ótimo texto.

Mesmo assim, como fã desse gênero, devo conferir "Os Reis da Rua".

Beijos!

 
At 5:05 PM, abril 29, 2008, Anonymous Anônimo said...

Caro Otavio Almeida

Após The Matrix o Keanu Reeves fez dois excelentes filmes independentes: Thumbsucker e A Scanner Darkly. Em ambos foi extremamente elogiado pela crítica e quem não o viu em Scanner deveria correr na locadora e assistir e aprender a valorizar um ator que aceita projetos arriscados como aquele. Claro que Alguém tem que Ceder não é bom "por causa dele" e nem deveria ser, ele não era o protagonista. Mas talvez a sua boa atuação como interesse amororso explique por que as mulheres questionam até hoje o que a Keaton tinha na cabeça que não ficou com ele. rsrs

Após Matrix o ator ainda fez Constantine (que muita gente gosta) e A Casa do Lago, idem. Não dá para falar que suas escolhas não estão sendo boas.


Ah! Vc é mais um daqueles sofredores da "Keanu é mau ator folie au deux" que assola uma parte da crítica e diz uma besteira: que ele fala um monte the 'Wows' em seus filmes. Piada e mentira. É "Whoa" e ele só disse isso em três filmes: Bill and Ted, a sequência Bogus Journey (obviamente pelo vocabulário limitadissimo de Ted Logan) e tirando um sarro na história em The Matrix. Apenas. Nada mais. Nada.

Se tem um astro em Hollywood que NÃO tem o rei na barriga é Mr. Reeves e se vc soubesse um mínimo dele não diria uma bobeira dessas. O cara não tem nenhum problema em atuar em filmes de orçamentos enormes (como o próximo O Dia em que a Terra parou) e outros independentes, como Scanner e o próprio Os Reis da Rua, de orçamento baixo na casa dos 20 milhões, produzido pela divisão independente da FOX, a Seachlight, o que explica a necessidade de nomes para promover e o lançamento um tanto quanto modesto em publicidade. O filme também é muito bom e o que "pega" na história não é o fato de vc saber o que vai acontecer, mas acompanhar o por quê de Tom Ludlow "não querer" ver a verdade do que ele mesmo fez com sua vida, a sua natureza doentia e a maneira pouco convencional com que resolve acertar as coisas. E Keanu segura muito bem o papel, sempre contido em face da quase histriônica e super over performance de Forest Whitaker, um bom ator que pesou na mão no papel do Capitão Wander. Por sorte o resto do elenco não se contaminou por isso e se manteve mais neutro, como o próprio Keanu. Hugh Laurie (que tem um personagem fundamental) e Chris Evans.

Para alguns atuação é "comer" o cenário como Whitaker tenta fazer, para outros, como eu, é fazer o público se indentificar com um personagem soturno, contido, sofrido e ainda traiçoeiro, como Keanu Reeves faz com Tom Ludlow. Uma ótima performance, mais uma, em um bom filme. Não o melhor do gênero mas, sem dúvida, um bom exemplo de drama policial.

Sandra

 
At 5:07 PM, abril 29, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Yab, espero que Keanu Reeves seja indicado ao Oscar e outros prêmios (menos o Framboesa de Ouro), por OS REIS DA RUA. É mais fácil eu estar enganado do que o próprio Neo. Abs!

Kamila, você sabe que eu coloquei o trailer aqui no blog, mas não assisti? Mas se você diz que isso já está na prévia, eu acredito. E... acredite: você não terá surpresas durante o filme. Bom, está aí: eu fui ao cinema porque também sou fã do gênero. Nunca aprendo. E obrigado! Bjs!

 
At 5:10 PM, abril 29, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Whoa, Sandra! Obrigado por me corrigir. Bjs!

 
At 5:26 PM, abril 29, 2008, Blogger fabiana said...

Eu assisto qualquer porcaria que tenha o Keanu Reeves no elenco, mas, curiosamente não me empolguei para assistir esse filme no cinema. Talvez espere sair em DVD!

E eu acho que o Forest Whitaker deveria se dar mais ao valor, porque, pelo que você comentou, assim como em Ponto de Vista, seu personagem não fede nem cheira.

Beijo

 
At 6:05 PM, abril 29, 2008, Blogger Marcus Vinícius said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 6:06 PM, abril 29, 2008, Blogger Marcus Vinícius said...

Keanu quem? Uma coisa é Al Pacino, Robert De Niro, caras que vão bem até em filmes ruins, outra coisa é um ator de 2º ou 3º escalão. Ele até tem filmes legais até, mas existem 300 atores melhores que ele. Sem contar que ficar defendendo homens, hmm...

Abs Otávio!

 
At 9:30 PM, abril 29, 2008, Anonymous Anônimo said...

Marcus, qualquer ator eastá sujeito à uma má interpretação. Dê uma olhada em 88 minutos e verifique se Al Pacino consegue salvar o filme...

 
At 10:59 PM, abril 29, 2008, Blogger Marcus Vinícius said...

Anônimo, o filme é muito ruim, realmente, mas o velho Al não perde a classe. Tchê, o cara não é milagreiro também, hehe. Como dizem no truco, "andorinha sozinha não faz verão".

 
At 12:48 AM, abril 30, 2008, Anonymous Rodrigo Azevedo said...

É verdade, Otavio.

Operação Valquiria é um bom exemplo.

 
At 8:52 AM, abril 30, 2008, Anonymous Anônimo said...

Ver o Keanu dando uma surra no The Game com uma lista telefônica já vale o ingresso para Os reis da Rua. =D

 
At 12:11 PM, abril 30, 2008, Anonymous Yab said...

"Keanu quem?"

Reeves. E não, nem toda a gente segue o que os criticos escrevem, como meninos bem comportados. Por incrivel que posso parecer a alguns, gente diferente gosta de actores diferentes, independentemente dos "escalões" que cada um segue.

"Uma coisa é Al Pacino, Robert De Niro, caras que vão bem até em filmes ruins(...)Sem contar que ficar defendendo homens, hmm..."

Está bem.

 

Postar um comentário

<< Home