sexta-feira, outubro 24, 2008

Obra-prima ou enganação?


Sinédoque, Nova Iorque
, de Charlie Kaufman, fala sobre um diretor de teatro em crise pessoal e profissional, que tenta fazer a peça perfeita. Certa hora, não sabemos mais o que é realidade e o que é ficção na tela. A arte se confunde com a vida e vice-versa. É a peça dentro da peça. O personagem interpretado por Philip Seymour Hoffman é o alter-ego de Kaufman. Só pode ser.



Oito e Meio, de Federico Fellini, fala sobre um diretor de cinema em crise pessoal e profissional, que tenta fazer seu próximo filme. Certa hora, não sabemos mais o que é realidade e o que é ficção na tela. A arte se confunde com a vida e vice-versa. É o filme dentro do filme. O personagem interpretado por Marcello Mastroianni é o alter-ego de Fellini. Só pode ser.

Bom, eu vi o filme de Charlie Kaufman na Mostra Internacional de Cinema, em São Paulo. Ainda estou pensando em Sinédoque, Nova Iorque. Estou vidrado no filme, mas me pergunto: Obra-Prima ou enganação? A comparação com Oito e Meio seria mera coincidência? Charlie Kaufman é tão original assim?

Prometo chegar a uma conclusão, mas sei que o cinema não começou em 1999 com Quero Ser John Malkovich.

17 Comments:

At 7:52 PM, outubro 24, 2008, Blogger Kau said...

Otavio, maravilhosa essa comparação. Sinceramente, não tenho medo da direção de Kaufman neste Sinédoque, Nova Iorque. O cara é um diretor impressionante e acho que seria impossível ele blefar na direção. O que é Quero Ser John Malkovich?? Incrível!!!

Abraços.

 
At 7:56 PM, outubro 24, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Mas ele só se tornou diretor com SINÉDOQUE, Kau. Antes, ele sempre assinava (somente) como roteirista. Essa é a estréia dele como diretor.

Mas concordo que seus roteiros são incríveis! E ele é um autor, sem dúvida!

Abs! Bom final de semana!

 
At 8:02 PM, outubro 24, 2008, Anonymous Denis Torres said...

Otávio, acho que o filme pode não ser (e não é) tão original assim, mas não deixa de ser bom. Concorda?

 
At 10:25 PM, outubro 24, 2008, Blogger Fabio said...

@ Big O
É aquela coisa.. se fosse você ou eu, teríamos "copiado o Fellini", como foi o Kaufman, foi uma "referência genial"
:p

 
At 11:11 PM, outubro 24, 2008, Anonymous Vinícius P. said...

Li um artigo comentando mais ou menos isso. As críticas estão MUITO divididas, tipo: uns consideram o melhor filme do ano, enquanto outros um dos piores da década. Enfim, quero logo ver, ainda mais depois dos seus comentários!

 
At 12:55 AM, outubro 25, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

Não tem cara de autoral não...

Abraço!

 
At 2:21 AM, outubro 25, 2008, Anonymous Wally said...

Não vejo a hora de ver. Sua comparação é intrigante mas, até agora, vejo Kaufman como o mais original e brilhante roteirista da atualidade. Seus trabalhos para Quero Ser John Malkovich e Brilho Eterno são irretocáveis. E, ele tem disso de brincar de alter-ego, vide o também excelente Adaptação. E, como me recuso a acreditar que alguém que já construiu uma carreira tão impressionante como roteirista ousaria cometer a falta de originalidade de adaptar uma idéia prévia de filme, acho que o que tenha ocorrido possa variar entre homage e uma simples idéia dentro de uma idéia. Mas, ainda não vi o filme...

E o cinema pode não ter tido início em 99, mas o ano marcou a revelação de três gênios.

Ciao!

 
At 2:27 AM, outubro 25, 2008, Blogger Gustavo H.R. said...

Embora as opiniões menos favoráveis realmente não deixem uma boa impressão sobre o filme, não é sempre que um sujeito (roteirista!) como Kaufman alcança essa envergadura e isso há de ser bom para a ventilação de novas e boas idéias no cinema.
Só que o que mais empolga em SINÉDOQUE parece ser o elenco.

 
At 9:47 AM, outubro 25, 2008, Blogger contra-regra said...

O Kaufman é aquele diretor que não dá pra se formar uma opinião definitiva sobre ele nunca. Estou no aguardo por Sinédoque (não consegui ver no Festival do Rio). O ator que faz o protagonista é ótimo (o Hoffman dificilmente me decepciona em seus trabalhos!). Quanto a comparação com 8 1/2 de Fellini. Quem não compara algo com alguém hoje em dia? Originalidade nos dias de hoje? É só um mero detalhe.

Mídia? Cultura? Acesse:
http://robertoqueiroz.wordpress.com

 
At 11:15 AM, outubro 25, 2008, Blogger Kau said...

Otávio, errei a palavra. Ao invés de "Kaufman é um DIRETOR impressionante", leia "Kaufman é um ROTEIRISTA impressionante". Hahahaha. É que bem na hora eu estava pensando no que falar da direção de Barreto em Última Parada 174 (inclusive, meu texto já foi postado), daí vei o ''diretor'', rsrsrs.

Abraços.

 
At 12:21 AM, outubro 26, 2008, Blogger Fabio said...

Quem eu dirigi, Kau?
:p

Abs,
Fábio Barreto

 
At 3:44 AM, outubro 26, 2008, Blogger Marcus Vinícius said...

Bah, o que ele fez como roteirista em "Brilho Eterno..." falta adjetivo pra elogiar. Veremos como diretor agora. Sinédoque tá na minha lista sim, definitivamente.

A tabela de vocês e do SPFC tá uma bába e nós com dois confrontos diretos, que legal... Mas segue o baile, somos proibidos de não acreditar. =D

Abraço!

 
At 12:54 PM, outubro 26, 2008, Blogger Johnny Strangelove said...

Bem ...
é ...
Pelo menos o filme é bom?

 
At 2:38 PM, outubro 26, 2008, Blogger Kau Oliveira said...

Hahahahahaha, Fabio!

Otavio, estou com um novo blog na área. Deixei o Cinefilando e abri o Bit of Everything (http://bitlofleverything.blogspot.com/). Seu blog já foi adicionado!

Abraços!

 
At 5:04 PM, outubro 26, 2008, Anonymous Kamila said...

Bom, não assisti ao filme ainda, mas a comparação tem total fundamento. Eu tenho uma relação de amor e ódio com o Charlie Kaufman. Acho excelente o trabalho que ele fez, por exemplo, em "Adaptação" (que retrata também alguém em crise, um roteirista que não consegue fazer a adaptação de um livro).

Beijos!

 
At 1:05 PM, outubro 27, 2008, Blogger Luis Fernando said...

Otavio achei oito e meio um lixo. No futuro quero dar uma chance para ele novamente.

 
At 1:20 PM, outubro 28, 2008, Blogger Museu do Cinema said...

Eu não sou de vangloriar muito o Kaufman, gosto de Quero Ser... mas não acho um filme MARAVILHOSO e tal, como muitos críticos fazem, acho a melhor coisa do filme justamente a novidade, o filme é bom pq é altamente original.

 

Postar um comentário

<< Home