sábado, novembro 24, 2007

Saudades do bom e velho faroeste


O cinéfilo já pode conferir O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford, que estreou neste final de semana. Assisti ao filme dirigido por Andrew Dominik e produzido por Ridley Scott na Mostra de SP e juro que fiquei com saudade dos velhos faroestes do cinema (leia a crítica aqui).

Esse filme não pode ser colocado no mesmo pedestal de Meu Ódio Será Sua Herança, O Homem que Matou o Facínora, Onde Começa o Inferno, Rastros de Ódio ou Os Imperdoáveis. Faroeste não pode ter frescuras. É matar ou morrer. Até Robert Zemeckis, quando brincou com o gênero em De Volta Para o Futuro - Parte III, sabia disso.

A mitologia construída pelo western no cinema não merece O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford, que como faroeste é um comercial de shampoo ou margarina. A fotografia de Roger Deakins é belíssima, embriagante, etc. Deve ser indicada ao Oscar, claro. Mas quem erra a mão é o diretor. Inexperiente, ele se deixa levar pelas imagens captadas por Deakins e acha que tudo é parte de uma paisagem tocada pelo vento.

E olha que ele teve um apoio e tanto. Diretor de fotografia dos irmãos Coen, Roger Deakins fez o seu melhor em Onde os Fracos Não Têm Vez. Mas ali, embora eu também não goste muito do filme, Joel e Ethan Coen sabem utilizar esse apoio para contar a história. Onde os Fracos Não Têm Vez também possui uma narrativa lenta, mas parece necessária e não fica com cara de filme publicitário. Como se isso não bastasse, em Jesse James, Dominik preferiu perder tempo com tramas paralelas, quando deveria se concentrar no sentimento de admiração e inveja, que mais parece paixão reprimida, de Robert Ford (Casey Affleck) pela lenda do Velho Oeste interpretada por Brad Pitt.

Além da fotografia, O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford tem uma linda trilha sonora composta por Nick Cave e Warren Ellis. Mas nem essa dupla, nem Deakins e nem mesmo Brad Pitt e Casey Affleck merecem o resultado frouxo de Andrew Dominik. Pitt está ótimo como Jesse James e ganhou o prêmio de Melhor Ator no último Festival de Veneza. Foi um exagero, mas ele está bem.

Quem merece mais elogios do que Pitt é Casey Affleck, irmão (ainda) menos famoso de Ben Affleck. Em breve, poderemos conferir Casey dirigido por Ben, em Gone Baby Gone, adaptação de mais um livro de Dennis Lehane, o mesmo autor de Sobre Meninos e Lobos. Dizem que Casey Affleck está ainda melhor no filme que marca a estréia do irmão como diretor. Temos que prestar mais atenção na carreira do rapaz, que até outro dia era apenas um dos integrantes menos idolatrados dos Ocean's Eleven, do qual Brad Pitt faz parte.

10 Comments:

At 1:29 AM, novembro 25, 2007, Anonymous Wally - Cine Vita said...

To querendo muito ver esse filme, mas ainda não consigo acreditar que nem ele, nem O Reino e nem Viagem a Darjeeling não estreiaram aqui no meu estado. É uma vergonha...

Ciao!

 
At 1:31 AM, novembro 25, 2007, Anonymous Wally - Cine Vita said...

*"nem eles estreiaram" e não "nem eles nao estrairam" * rsrsrs

 
At 4:08 PM, novembro 25, 2007, Blogger Kamila said...

Quero assistir ao filme, mas parece que não estreou no Nordeste. Acho que, assim como "O Preço de uma Coragem", nem deve chegar por aqui.

Boa semana!

 
At 7:06 PM, novembro 25, 2007, Blogger Alex Gonçalves said...

Otavio, nunca curti filmes de faroeste. Tanto que não deve ter visto nem uma dúzia de produções deste gênero. Acho que a trama interessante deste "O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford" deve despertar em mim algum interesse em ver outros faroestes, mas não estou empolgado em ver com urgência este filme estralado por Brad Pitt. E "Medo da Verdade" deve ser muito bom. Finalmente Affleck está voltando a ter o prestígio que tinha antes.

 
At 10:38 PM, novembro 25, 2007, Blogger Marcus Vinícius said...

Bons tempos onde homens armados até os dentes e cheirando a Bourbon mandavam no velho oeste americano. Tempos onde 'As Pontes de Madison' seriam derrubadas a bala pelo 'Blondie', hehehe.

E parabéns pela vaga na Libertadores 2008. Aliás, pra nós gremistas, amanhã é o dia de fazer no mínimo uma prece pros deuses do futebol, hehe.

Abraço!

 
At 11:04 AM, novembro 26, 2007, Blogger Otavio Almeida said...

Kamila, isso é lamentável. Espero que o filme chegue logo aí.

Alex, acho que quem não conhece tantos faroestes tem chance de gostar desse filme.

Marcus, é isso mesmo! Faroeste é isso! Cara, valeu! O Mengão chegou mesmo! Nem acredito! E olha... entre Palmeiras e Cruzeiro, torço pelo Grêmio, que fez um grande ano e merece chegar lá.

Abs!

 
At 11:10 AM, novembro 26, 2007, Blogger Museu do Cinema said...

Bom, aqui não chegou tb, mas com a defasagem q tô até gostei...

Mas eu prefiro o wester spaguetti, com o Leone/Morricone claro.

 
At 4:00 PM, novembro 26, 2007, Blogger Marfil said...

Casey Affleck e Sam Rockwell estão extraordinários! A fotografia, tão alrdeada, nem é tão extraordinária assim, mas gostei do filme. É um filme de remorso. Um filme de culpa.

 
At 8:59 PM, novembro 26, 2007, Anonymous Vinícius P. said...

Eu não sou tão fã do gênero, talvez por não ter conferido tantos filmes desse estilo, portanto talvez aprecie mais do que você esse "Assassinato de Jesse James" (por falar nisso, adorei aquela brincadeira que você fez com o título, substituindo por Robert Redford). Dos que você citou, adoro "O Homem que Matou o Fascínora" e estou bem ansioso por "Onde os Fracos Não Têm Vez". Quanto ao Casey Affleck, espero que seja indicado ao Oscar.

Abraço!

 
At 10:09 PM, novembro 26, 2007, Blogger Otavio Almeida said...

Valeu, Vinicius! Mas foi o Cassiano quem notou primeiro essa semelhança entre Robert Ford e o queridão Redford.

Abs!

 

Postar um comentário

<< Home