terça-feira, maio 20, 2008

Os bastidores da última cruzada


Steven Spielberg, George Lucas e Harrison Ford nunca esconderam que gostariam de fazer, pelo menos, mais um Indiana Jones. Em 1988, o trio encontrou espaço na agenda de cada um para finalizar a até então trilogia. Spielberg seria o diretor de Rain Man, que acabou ganhando quatro Oscars, incluindo Melhor Filme e Melhor Diretor (Barry Levinson), mas preferiu fazer Indiana Jones e a Última Cruzada antes que Harrison Ford ficasse "velho demais", afinal o astro do século XX era quase um cinqüentão. Ironicamente, isso foi uma preocupação.

Mas para chegar lá, Spielberg queria distância de idéias sombrias do amigo George Lucas, que caprichou nas cores escuras e luzes infernais no episódio anterior (O Templo da Perdição). Lucas até veio com uma história sobre um castelo mal-assombrado, mas Spielberg já havia feito o seu filme de fantasmas (Poltergeist). Mesmo sem concordar 100%, Spielberg manteve o MacGuffin sugerido por Lucas: o Santo Graal. O diretor, no entanto, quis mostrar um pouco mais da personalidade do herói ao público e inseriu o pai do arqueólogo na trama.

Quem conhece a filmografia de Spielberg sabe o quanto ele trabalhou a imagem do pai ausente na vida de um filho. Foi assim em E.T., por exemplo. Spielberg gosta de mostrar como a distância dos pais afeta a fase da infância. Foi assim em Império do Sol e Fievel - Um Conto Americano, que ele apenas produz. Veja como a imagem dos pais é sempre forte nos filmes dirigidos ou produzidos por Spielberg: em De Volta Para o Futuro, Marty McFly (Michael J. Fox) acerta contas com o pai ao garantir sua própria existência numa louca viagem no tempo dirigida por um de seus "afilhados" (Robert Zemeckis). Em A.I. - Inteligência Artificial, um robô cultiva um amor eterno por sua mãe humana; em Contatos Imediatos do Terceiro Grau, Richard Dreyfuss abandona mulher e filhos para ir embora da Terra na companhia de extraterrestres; em Louca Escapada, Goldie Hawn provoca a fuga do marido da prisão para impedir que o bebê do casal seja entregue à adoção. São apenas alguns exemplos.

Mas quem seria o Sr. Jones? Como Spielberg sempre quis dirigir James Bond, ele convidou Sean Connery, o 007 original. E o melhor de todos. Connery ainda estava com o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, por Os Intocáveis, brilhando em sua casa quando aceitou o convite. E olha que Sean Connery é somente 12 anos mais velho que Harrison Ford.

Para incrementar a relação entre pai e filho, Spielberg quis abrir o filme com o jovem Indiana Jones. A escolha foi River Phoenix, um dos talentos promissores da época, que também atuou ao lado de Harrison Ford em A Costa do Mosquito, de Peter Weir - o próprio Phoenix revelou que a experiência anterior facilitou sua tarefa de "imitar" os trejeitos do astro.

Como Spielberg queria retomar o clima de Os Caçadores da Arca Perdida, ele trouxe de volta os nazistas como vilões e personagens queridos pelos fãs como Marcus Brody (Denholm Elliott) e Sallah (John-Rhys Davies). Para viver a nova namorada de Indy, a escolha foi a atriz irlandesa Alison Doody, a mais bonita da série.

Indiana Jones e a Última Cruzada
ganhou o Oscar de Melhores Efeitos Sonoros (e disputou as categorias de Melhor Trilha Sonora e Melhor Som). Sean Connery foi indicado ao Globo de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante, mas foi bisonhamente esnobado pela Academia.

Steven Spielberg, George Lucas e Harrison Ford garantem que esse é o filme favorito deles. Com o sucesso da terceira aventura, o trio considerou fazer uma quarta parte num futuro próximo. Só que os três deveriam aprovar o roteiro. Não poderia ser dois votos contra um. O acordo era a unanimidade. E Ford sempre disse que só faria mais um se encontrasse uma história superior a Indiana Jones e a Última Cruzada. Enfim, o astro chegou a passar dos 60 anos e ninguém encontrava o roteiro perfeito, nem espaço nas agendas. Agora, quase duas décadas mais tarde, temos a oportunidade de ver Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal nos cinemas. Mesmo com Harrison Ford "velho demais". Desta vez, isso não foi uma preocupação.

4 Comments:

At 11:04 PM, maio 20, 2008, Blogger Johnny Strangelove said...

Só sei de uma coisa ...
que filme foda ... eheheh
conto as horas para sentir a mesma sensação que vc sentiu ...

abraços

 
At 11:33 AM, maio 21, 2008, Blogger Pedro Henrique said...

Hoje é o dia...

 
At 2:55 PM, maio 21, 2008, Blogger Kamila said...

Não sabia que Spielberg era para ter dirigido "Rain Man"!

 
At 4:49 PM, maio 21, 2008, Blogger Otavio Almeida said...

Johnny, o filme é maravilhoso! Os três são ótimos!

Pedro, eu só vou amanhã. Que inveja.

Pois é, Kamila... E ainda bem.

Abs!

 

Postar um comentário

<< Home